The Agony and the Ecstasy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Agony and the Ecstasy
A agonia e o êxtase (PT)
Agonia e Êxtase (BR)
 Estados Unidos
1965 • cor • 138 min 
Direção Carol Reed
Roteiro Philip Dunne
Carol Reed
Irving Stone (livro)
Elenco Charlton Heston
Rex Harrison
Diane Cilento
Género Drama
Biografia
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

The Agony and the Ecstasy (br.: Agonia e êxtase / pt.: A agonia e o êxtase) é um filme biográfico estadunidense de 1965, produzido e dirigido por Carol Reed. O enredo busca retratar os conflitos entre o artista Miquelângelo e o Papa Júlio II durante a realização das pinturas do teto da Capela Sistina (1508-1512). O roteiro do diretor e de Philip Dunne adaptou o romance homônimo de Irving Stone. A trilha sonora foi composta por Alex North e Jerry Goldsmith [1] . A recriação da Capela em estúdio foi, na maior parte, de autoria do pintor irlandês Niccolo d'Ardia Caracciolo.

As filmagens foram nas versões Todd-AO e Cinemascope. A primeira foi usada para a cópia em DVD, devida a qualidade ter sido considerada superior.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Michelângelo Buonarroti, célebre escultor de Florença, recebe a encomenda do Papa Julio II, de erigir a tumba dele, cujo projeto prevê a construção de 40 esculturas. O Papa e o arquiteto Bramante acabam desistindo desse projeto e Miquelângelo recebe uma nova incumbência: pintar o teto da Capela Sistina. Ele, a princípio, não quer o trabalho pois não se acha um pintor mas, temendo contrariar o pontífice, aceita a encomenda e começa a pintar os afrescos representativos dos doze apóstolos. Logo o artista fica insatisfeito com o resultado e destrói as pinturas, fugindo em seguida para as Pedreiras de Carrara. O Papa quer enforcá-lo por isso e manda seus guardas persegui-lo. Ao se esconder dos soldados, Michelângelo acaba se inspirando e aceita retomar a pintura, sem antes convencer o Papa a mudar o projeto inicial. O trabalho agora é bem maior e Michelângelo deverá fazê-lo sozinho, a custo de grande fadiga e sofrimento. Enquanto isso o Papa enfrenta várias guerras e, com as demoras e interrupções, considera substituir Michelângelo pelo jovem mestre pintor Rafael.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

O filme foi indicado a cinco Óscars:[2] [3]

Foi indicado a dois Globos de Ouro:

  • Melhor ator (Rex Harrison)
  • Melhor roteiro (Philip Dunne)

Venceu em duas categorias do National Board of Review:

  • Melhor ator coadjuvante (Harry Andrews)
  • Um dos dez melhores filmes do ano

Venceu dois prêmios David di Donatello para filmes estrangeiro.

Referências

  1. Clemmensen, Christian. Jerry Goldsmith (1929-2004) tribute de Filmtracks.com. Recuperado em 14-04-2011
  2. The 38th Academy Awards (1966) Nominees and Winners. Página visitada em 24-08-2011.
  3. NY Times: The Agony and the Ecstasy. Página visitada em 26-12-2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]