The Breakfast Club

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Breakfast Club
O Clube (PT)
Clube dos Cinco (BR)
Pôster promocional
 Estados Unidos
1985 • cor • 97 min 
Direção John Hughes
Produção John Hughes
Michelle Manning
Ned Tanen
Roteiro John Hughes
Elenco Emilio Estevez
Anthony Michael Hall
Judd Nelson
Molly Ringwald
Ally Sheedy
Género dramédia
Idioma Inglês
Música Keith Forsey
Cinematografia Thomas Del Ruth
Edição Dede Allen
Estúdio A&M Films
Channel Productions
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Estados Unidos 15 de fevereiro de 1985
Brasil 28 de junho de 1985
Portugal 5 de setembro de 1985
Orçamento US$ 1,000,000
Receita US$ 51.525.171
[0088847 Site oficial]

The Breakfast Club (Clube dos Cinco (título no Brasil) ou O Clube (título em Portugal)) é um filme norte-americano do gênero drama produzido em 1985. Foi escrito e dirigido por John Hughes e estrelado por Emilio Estevez, Anthony Michael Hall, Judd Nelson, Molly Ringwald e Ally Sheedy. Dispõe também de Paul Gleason e John Kapelos no elenco.

A história mostra um dia na vida de cinco adolescentes que, por terem se comportado mal na escola, ficam detidos um sábado inteiro e tendo que redigir um longo texto, com mais de mil palavras, sobre o que eles pensam sobre si mesmos. Apesar de muito diferentes, eles acabam se conhecendo melhor e dividindo seus dramas pessoais.

Criticamente, ele é considerado um dos maiores filmes do ensino médio de todos os tempos, bem como uma das obras mais memoráveis ​​e reconhecível de Hughes. O filme se tornou um clássico cult, um obra que define a década de 1980, e teve uma enorme influência sobre a vinda de muitos dos filmes do gênero, desde então. Foi inteiramente rodado em sequência. As filmagens começaram em 28 de março de 1984 e terminaram em maio do mesmo ano.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O enredo segue cinco alunos na fictícia Shermer High School, em Shermer, Illinois, escrevendo o relatório que pede a detenção de sábado em 24 de março de 1984. Apesar de não serem completos estranhos, os cinco adolescentes são de diferentes grupos sociais.

Os cinco estudantes, que parecem ter nada em comum à primeira vista, se reúnem na biblioteca da escola, onde são vigiados e ordenados a não falar ou se mover a partir de seus lugares até o principal antagonista, Richard Vernon (Paul Gleason). Eles devem permanecer por um período de oito horas e 54 minutos. Ele manda aos alunos escreverem um texto de 1.000 palavras (em que cada aluno deverá escrever sobre o que ele ou ela pensa que o outro é) e depois deixa-los na maior parte sem supervisão, voltando apenas ocasionalmente para verificar-los. John Bender (Judd Nelson), que tem uma relação particularmente negativa com o Sr. Vernon, ignora as regras e maltrata os outros estudantes; zombando de Brian Johnson (Anthony Michael Hall) e Andrew Clark (Emilio Estevez), e cometendo assédio sexual com Claire Standish (Molly Ringwald). Allison Reynolds (Ally Sheedy), permanece estranhamente quieta.

Os alunos passam as horas em uma variedade de maneiras. Aos poucos, eles se abrem uns aos outros e revelam seus segredos internos (por exemplo, Allison é uma mentirosa compulsiva, Bender vem de um lar abusivo e Brian e Claire se envergonham de sua virgindade). Eles também descobrem que todos eles têm relações tensas com os pais e têm medo de cometer os mesmos erros que os adultos à sua volta. No entanto, apesar dessas amizades em desenvolvimento os alunos estão com medo que uma vez que a detenção acabe, eles retornarão a seus problemas antigos.

A pedido e do consenso entre os alunos, Brian é convidado a escrever o texto pedido pelo Sr. Vernon (o assunto era para cada aluno detalhar "quem você pensa que é"). Brian faz isso, mas em vez de escrever sobre o tema real, ele escreve uma carta muito motivadora que é, em essência, o ponto principal da história. Ele assina o ensaio como "The Breakfast Club" e deixa na mesa do Sr. Vernon para ele ler quando eles saissem da detenção.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Cada uma das jovens estrelas do filme tornou-se parte da Brat Pack (cujos membros incluem Rob Lowe, Andrew McCarthy e Demi Moore), um grupo de atores que encontraram a fama, ao mesmo tempo e por vezes expressos em filmes juntos. John Hughes apareceu em um papel não-creditado como o pai de Brian. De todo o elenco, apenas Anthony Michael Hall e Molly Ringwald estava em idade escolar. No lançamento do filme, Nelson tinha 25 anos, enquanto Sheedy e Estevez foram ambos com 22 anos de idade.

Emilio Estevez foi originalmente escalado para interpretar John Bender, mas já como Hughes não conseguiu encontrar ninguém para interpretar Clark, Estevez concordou em assumir o papel. Nicolas Cage estava sendo cogitado para o papel de John Bender. Bender foi o último papel criado para o filme. Hughes eventualmente escalou John Cusack para interpretar John Bender, mas decidiu substituí-lo por Judd Nelson antes das filmagens começarem, porque Cusack não tinha olhar ameaçador o suficiente para o papel.

Inicialmente Molly Ringwald iria interpretar Allison Reynolds, mas ela insitiu tanto ao diretor para que lhe atribuísse o papel de Claire Standish que no final acabou ficando com ela. Ally Sheedy concordou em interpretar Allison Reynolds. Rick Moranis foi pensado originalmente como o zelador, ele deixou a produção devido a diferenças criativas e foi substituído por John Kapelos. Ringwald e Hall namoraram brevemente após o término das filmagens.

Filmagens[editar | editar código-fonte]

As filmagens começaram em 28 de Março de 1984, em Des Plaines, Ilinois, e terminou em Maio de 1984. A Maine North High School foi usado nas filmagens de The Breakfast Club, a mesma escola foi utilizada para algumas das cenas do filme Ferris Bueller's Day Off que foi lançado apenas um ano após The Breakfast. Alguns dos cartazes nas paredes durante as filmagens de The Breakfast Club ainda estavam lá quando Ferris Bueller foi filmado.

No comentário do DVD de Ferris Bueller's Day Off (apresentado na versão de 2004), John Hughes revela que filmou os dois filmes dessa maneira para economizar tempo e dinheiro. A Maine North High School, foi fechada por dois anos antes de John Hughes entrar em cena para usa-la como um local de filmagem de The Breakfast Club.

Recepção[editar | editar código-fonte]

O filme tem um 90% de aprovação do site Rotten Tomatoes, com base em 42 comentários, com uma pontuação média de 7.5/10. O consenso crítico é que The Breakfast Club possui um olhar quente, perspicaz, e muito engraçado sobre a vida interna dos adolescentes. A revisão do site Metacritic deu ao filme uma média de 62% com base em 11 opiniões dos críticos.

Em 2008, o filme foi escolhido pela revista Empire como um dos 500 melhores filmes de todos os tempos. Do mesmo modo, o The New York Times o colocou como o seu melhor filme na lista 1000 Movies Ever. O filme também é número 1 no ranking da revista Entertainment Weekly sobre os 50 melhores filmes High School.

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O filme foi lançado nos Estados Unidos no dia 15 de Fevereiro de 1985, na Argentina dia 16 de Maio de 1985 (primeiro país da América Latina a exibir o filme nos cinemas) e na França dia 11 de Setembro de 1985.

O DVD foi lançado primeiramente nos EUA apenas em 1998 em disco simples, em 2003 foi lançado o DVD com a versão remasterizada e em 2008 foi lançada a edição com 2 discos.

Tributos[editar | editar código-fonte]

Em 2005, a MTV anunciou que o filme seria premiado com o "Silver Bucket of Excellence Award" em homenagem ao aniversário de 20 anos no MTV Movie Awards.[1] Para coincidir com o evento, a MTV tentou reunir o elenco original. Sheedy, Ringwald e Hall apareceram juntos no palco com John Kapelos na platéia; Gleason deu pessoalmente o prêmio ao seus ex-colegas de elenco.[2] Estevez não pôde comparecer ao encontro por causa de outros compromissos e Nelson apareceu mais cedo no show, mas saiu antes da reunião no palco por razões desconhecidas, o que levou Hall a brincar que os dois estavam "na África, com Dave Chappelle". A banda Pop-punk Yellowcard tocou uma versão do hino do filme, "Don't You (Forget About Me)". Esse show foi gravado em 28 de Maio de 2005 e exibido em 9 de Junho, o vídeo da apresentação pode ser encontrado no Youtube.

Em Março de 2010 na 82ª Cerimônia do Oscar, Sheedy, Hall, Ringwald e Nelson apareceram em um tributo a John Hughes[3] , junto com outros atores que trabalharam com Hughes[4] , incluindo Jon Cryer de Pretty in Pink, Matthew Broderick de Ferris Bueller's Day Off e Macaulay Culkin de Home Alone, Home Alone 2: Lost in New York e Uncle Buck. Em Setembro de 2010, o elenco se reuniu em um evento em Nova York para relembrar o diretor John Hughes.[5] [6] [7]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

The Breakfast Club: Original Motion Picture Soundtrack
Trilha sonora
Lançamento Estados Unidos 19 de Fevereiro de 1985
Gênero(s) Rock
New wave
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD
Gravadora(s) A&M

A trilha sonora de The Breakfast Club foi lançada em 1985 pela gravadora americana A&M Records. A canção "Don't You (Forget About Me)" alcançou a primeira posição da Billboard Hot 100.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Versão padrão
# Título Vários Duração
1. "Don't You (Forget About Me)"   Simple Minds 4:19
2. "Waiting"   E.G. Daily  
3. "Fire in the Twilight"   Wang Chung 3:52
4. "I'm the Dude" (instrumental) Keith Forsey  
5. "Heart Too Hot to Hold"   Jesse Johnson, Stephanie Spruill  
6. "Dream Montage" (instrumental) Keith Forsey  
7. "We Are Not Alone"   Karla DeVito 3:38
8. "Reggae" (instrumental) Keith Forsey  
9. "Didn't I Tell You?"   Joyce Kennedy  
10. "Love Theme" (instrumental) Keith Forsey  
Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 3 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg[8]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O roteiro do filme foi escrito em apenas dois dias por John Hughes: 4 a 5 de julho de 1982.
  • A mãe e a irmã mais moça de Anthony Michael Hall na vida real fizeram os papéis de mãe e irmã do personagem do ator.
  • A cena em que os personagens sentam em círculo no chão da biblioteca e contam as razões de seu castigo, não tinha falas no roteiro e o diretor autorizou os atores que falasse o que quisessem.
  • Judd Nelson quase foi mandado embora das filmagens pelo diretor John Hughes por causa de suas atitudes negativas em relação à Molly Ringwald fora das filmagens, mas foi convencido por Paul Gleason a mantê-lo no filme.
  • Foi pensada a possibilidade de realizar seqüências do filme a cada dez anos, onde os personagens se reencontrariam, mas isso acabou nunca acontecendo.
  • O filme "Secrets" (1992) dirigido por Michael Pattinson, ganhou o título no Brasil de "Clube dos Cinco 2"[9] , mas não tem nenhuma relação com "The Breakfast Club".
  • Uma paródia do filme foi feita na série da Nickelodeon Victorious: foi criado um episódio onde Tori e seus amigos ficavam na detenção da escola num sábado, e aprontavam loucas aventuras. O episódio foi exibido nos EUA no dia 28 de janeiro de 2012 e alcançou 3,9 milhões de telespectadores. [10]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: The Breakfast Club
Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o