The Cranberries

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Cranberries
The Cranberries em março de 2010 durante a turnê de reunião.
Informação geral
Origem Limerick, Munster
País  Irlanda
Gênero(s) rock alternativo
Período em atividade 1989 - 2003, 2009 - atualmente
Gravadora(s) Interscope Records, Island Records
Página oficial www.cranberries.com
Integrantes Dolores O'Riordan
Noel Hogan
Mike Hogan
Fergal Lawler

The Cranberries é uma banda de rock alternativo irlandesa que ganhou notoriedade durante a década de 1990, vendendo mais de 14,5 milhões de álbuns nos Estados Unidos. A banda encerrou suas atividades temporariamente em 2003, porém retornou aos palcos em novembro de 2009 numa turnê pela América do Norte, e no ano seguinte pela América do Sul e Europa.

Membros da banda[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Noel e Mike Hogan, dois irmãos de Limerick, criaram a banda em 1989 e poucos meses depois, Fergal Lawler entra para o projeto cujo nome original era The Cranberry Saw Us[1] , o saw us fazendo um trocadilho com sauce, molho em inglês (vale lembrar que cranberry é uma fruta típica da ilha irlandesa, no Brasil essa fruta é conhecida como oxicoco ou uva-do-monte). Dolores O'Riordan fez o teste e ganhou o papel de vocalista principal, compondo a letra de "Linger". Sua voz é um elemento importante da sonoridade da banda.

Sua fita demo feita em casa teve bom resultado localmente e a banda logo gravou uma fita demo que ganhou muito interesse popular e da crítica. Após uma variedade de ofertas de gravadoras, decidiram assinar com a Island Records. Após um single inicial de pouco sucesso, abandonaram seu empresário. Seu segundo single, "Linger", e álbum de estréia, Everybody Else Is Doing It, So Why Can't We?, tornou-se um grande sucesso nos Estados Unidos e logo depois no Reino Unido. O single "Dreams" também tornou-se um sucesso, alcançando a 14ª posição nas paradas dos EUA.[2]

Metade da década de 1990[editar | editar código-fonte]

Em 1994, O'Riordan casou-se com Don Burton, o gerente de turnê da banda. A posição de O'Riordan como líder da banda estava causando tensões dentro do grupo enquanto gravavam No Need to Argue, outro álbum de sucesso que incluía "Zombie", um protesto sobre a violência entre extremistas protestantes e católicos na Irlanda do Norte na época do conflito norte-irlandês [3] . O álbum trouxe à banda imensa popularidade na Europa e Estados Unidos.

No meio de boatos sobre a iminente saída de O'Riordan da banda, o álbum To the Faithful Departed foi lançado, que vendeu bem apesar da crítica não ter gostado e também não atingiu o mesmo sucesso do álbum anterior. Nos próximos anos, a banda cancelou uma grande turnê programada e boatos de uma separação surgiram novamente. Eles lançaram Bury the Hatchet, com opiniões variadas da crítica, em 1999.[1]

Em 2001, lançaram Wake Up and Smell the Coffee recebendo opiniões como "a magia está de volta". O álbum estreou na 46ª posição nas paradas dos EUA.[2] A banda parecia estar de volta.

Uma coletânea de grandes sucessos, Stars - The Best of 1992-2002 foi lançada em 2002, junto de um DVD com os videoclipes da banda.

Pausa[editar | editar código-fonte]

No entanto, em 2003 a banda anunciou que iria tomar algum tempo para suas carreiras individuais. Mais cedo naquele ano, O'Riordan tinha cantado a canção principal do filme A Paixão de Cristo, "Ave Maria", e tinha até composto uma canção para o filme Evilenko. O novo projeto de Noel Hogan é Mono Band.

Após a turnê de Dolores O'Riordan pelo mundo ao longo de sete meses e das novas produções da banda Arkitekt (Noel Hogan), o antigo produtor do The Cranberries, Stephen Street, decidiu lançar um álbum com músicas gravadas durante o ano de 2003 para o sétimo álbum do grupo, fato que não ocorreu devido a pausa dos integrantes no mesmo ano.

O próximo álbum então foi colocado em espera, após doze anos de turnês e promoção, com a venda total de álbuns da banda excedendo 42 milhões.[carece de fontes?]

Em 27 de fevereiro de 2012, após 10 anos sem nenhum trabalho lançado, a banda lança Roses, seu sexto trabalho de estúdio[4] , pela Downtown Records/Cooking Vinyl nos Estados Unidos e em Cooking Vinyl mundial. O álbum foi produzido por Stephen Street e gravado em maio de 2011 em Toronto e Londres.

Projeto Solo de Dolores[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2007 foi lançado o álbum Are You Listening?, escrito integralmente por Dolores O'Riordan. As doze faixas são descritas por Dolores como um registro de suas experiências nos últimos anos, um diário íntimo transformado em canções.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre The Cranberries