The Dillinger Escape Plan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Dillinger Escape Plan
The Dillinger Escape Plans Greg Puciato.jpg
A banda em concerto, 2005
Informação geral
Origem Morris Plains, Nova Jérsei
País  Estados Unidos
Gênero(s) math metal, mathcore, avant-garde
Período em atividade 1997 - atualmente
Gravadora(s) Sumerian, Epitaph, Season of Mist, Relapse, Now or Never, Party Smasher Inc.
Página oficial www.dillingerescapeplan.org
Integrantes Billy Rymer
Greg Puciato
Ben Weinman
Liam Wilson
Ex-integrantes Dimitri Minakakis
Mike Patton
Jeff Wood
Adam Doll
John Fulton
Derek Brantley
Chris Pennie
Brian Benoit
Gil Shareone
Jeff Tuttle

O The Dillinger Escape Plan é uma banda norte-americana de mathcore/math metal que mistura o heavy metal/hardcore com elementos de fusion/jazz. Eles são conhecidos por suas grandes habilidades técnicas musicais e por sua intensidade e violência em seus shows. O nome da banda se refere ao famoso ladrão de bancos norte-americano John Dillinger.

História[editar | editar código-fonte]

O início da banda pode ser traçado na banda de hardcore Arcane. A formação do Arcane durante sua última fase incluia o vocalista Dimitri Minakakis, Ben Weinman e Derek Brantley nas guitarras, o baterista Chris Pennie e Adam Doll ocupando o baixo. Com essa formação, o The Dillinger Escape Plan tocou apenas duas vezes. O guitarrista Brantley acaba deixando o grupo. Administrado pelo amigo de longa data e caçador de baleias como emprego, Tom Apostolopoulos e pelo guitarrista Benjamin Weinman, o grupo grava a sua primeira demo, que a gravadora "Now or Never Records", oferece como álbum agora. John Fulton junta-se a banda, preenchendo a vaga deixada por Derek Brantley, pouco tempo após a primeira tour da banda. A banda ganha notoriedade na cena hardcore pela instensidade de sua perfomance, notoriamente conseguindo chamar a atenção de representantes da Relapse Records, que compareceram em um show da banda na Pensilvânia, fato esse que acabou gerando um contrato com a gravadora. O baixista Fulton toca no primeiro lançamento da banda, o EP Under the Running Board, mas acaba deixando a banda em 1998.

As três músicas lançadas, serviram de antecipação para o primeiro álbum completo da banda, chamado Calculating Infinity. Antes da gravação deste, o baixista Adam Doll se envolveu em um acidente automobilístico, deixando-o paralisado da cintura para baixo, mesmo assim, é creditado como colaborador no álbum. O guitarrista Weinman acabou tocando baixo e guitarra na gravação. John Futon acaba saindo da banda antes da turnê, e para seu lugar é chamado Brian Benoit, da banda Jesuit. O álbum recebeu críticas positivas, tanto da mídia underground quanto da mídia mainstream, chamando a atenção do ex-vocalista do Faith No More, Mike Patton, que os chamam para excurisionar com sua banda, Mr. Bungle. Jeff Wood, ex-baixista do M.O.D., junta-se a banda na turnê. A banda concorda em excursionar com o Mr. Bungle, e faz uma série de shows por todo os Estados Unidos, junto também com a banda Candiria. Conforme o tempo, a banda passou a encorporar em seus shows samplers, iluminação, fogos de artifício e um guspidor de fogo. Após meses de turnê, incluindo apresentações nos festivais "Warped Tour e "March Metal Meltdown", o baixista sai da banda para se dedicar ao seu projeto chamado Shat. Em seu lugar entra o baixista Liam Wilson da banda Starkweather.

Em 2000, a gravadora Now or Never Records relança o primeiro álbum da banda, mais algumas bonus tracks. O vocalista Minakakis acaba saindo da banda neste tempo. Após um tempo tocando alguns shows sem um vocalista, a banda se reúne algumas vezes com o ex-vocalista, que acaba concordando fazer um último show com a banda. A banda então começa a procurar um substituto pela internet. Enquanto a banda fazia sua procura, eles acabaram gravando um EP com Mike Patton nos vocais. A banda neste ano, tocou no festival "Krazy Fest" em Louisville, Kentucky com Sean Ingram do Coalesce no vocal. Em março de 2002, a banda anunciou o lançamento do EP Irony is a Dead Scene, lançado pela gravadora Epitaph Records e com Mike Patton nos vocais. O álbum teve a estréia de Liam Wilson no baixo. O ex-integrante da banda, Adam Doll participou do álbum, contribuindo com os samplers e os teclados, marcando sua última participação com a banda. Curiosamente, a banda faz um cover do grupo de música eletrônica, Aphex Twin, com a música "Come To Daddy".

No fim de 2001, a banda conhece Greg Puciato, um dos muitos vocalistas testados pela banda nos testes. O vocalista impressiona a banda, com sua linha vocal (que é totalmente diferente de Dimitri Minakakis) e de sua postura agressiva nos palcos. Após dois ensaios conjuntos, a banda oferece a vaga ao músico, que logo o aceita. Sua primeira aparição com a banda foi no festival "CMJ Music Festival" em Nova York, logo depois gravando duas músicas para um tributo ao Black Flag.Em 2004 é lançado o álbum Miss Machine, que gera um sucesso inacreditável para a banda. Com esse álbum, a banda consegui despertar a atenção da mídia, não só do rock, mas como críticos de jazz elogiaram a banda. Enquanto isso a banda fez muitos shows pelo mundo, gerando fãs pelo mundo todo. Alguns antigos fãs desaprovaram, mas em geral, foi um saldo positivo para a banda.

Após um período de dois anos em turnê e duas baixas na banda, a banda lança o EP exclusivo via iTunes, Plagiarism, e o DVD Miss Machine: The DVD. A banda embarcou então numa turnê abrindo para o AFI na América do Norte, e logo em seguida outra com o Coheed and Cambria. A banda prepara material novo, com previsão de lançamento previsto somente em 2009.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns completos[editar | editar código-fonte]

EP's[editar | editar código-fonte]

Ao vivo[editar | editar código-fonte]

Splits[editar | editar código-fonte]

Coletânea[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]