O Hobbit (série de filmes)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Hobbit
O Hobbit (PT/BR)
Logo oficial da trilogia.
 Nova Zelândia  •  Reino Unido  •  Estados Unidos
 • cor
Direção Peter Jackson
Produção Carolynne Cunningham
Zane Weiner
Fran Walsh
Peter Jackson
Roteiro Fran Walsh
Philippa Boyens
Peter Jackson
Guillermo del Toro
Elenco Ian McKellen
Martin Freeman
Richard Armitage
Andy Serkis
Benedict Cumberbatch
Gênero Fantasia
Idioma Inglês
Site oficial

O Hobbit (no original em inglês: The Hobbit) é uma série de três filmes de fantasia épica e de aventura dirigido, coescrito e produzido por Peter Jackson e baseado no livro The Hobbit de J. R. R. Tolkien, publicado em 1937. Os filmes são, por subtítulo: An Unexpected Journey (2012), The Desolation of Smaug (2013) e The Battle of the Five Armies (2014). O Senhor dos Anéis é originalmente uma sequência do livro, assim, a série age como uma prequela para a trilogia dos filmes, também dirigidos por Jackson.

Vários atores irão reprisar seus papéis de O Senhor dos Anéis, incluindo Ian McKellen, Andy Serkis, Ian Holm, Hugo Weaving, e os atores cujos personagens não aparecem no livro, como Cate Blanchett, Christopher Lee, Elijah Wood e Orlando Bloom. Também retornando para a produção, entre outros, foram corroteiristas Fran Walsh e Philippa Boyens, ilustradores John Howe e Alan Lee, diretor de arte Dan Hennah, diretor de fotografia Andrew Lesnie e o compositor Howard Shore.[1] Alguns adereços vão ser trabalhados pela Weta Workshop e efeitos visuais, produzidos pela Weta Digital, como na trilogia original. O novo envolvimento mais significativo na série é a participação de Guillermo del Toro, originalmente escolhido para dirigir os filmes, mais foi como corroteirista que ele foi creditado.

Situado no mundo ficcional da Terra Média, os três filmes seguem o hobbit Bilbo Bolseiro (Martin Freeman), chamado pelo mago Gandalf (Ian McKellen), para acompanhar treze anões liderados por Thorin II (Richard Armitage) em uma missão até a Montanha Solitária, onde tentarão recuperar os pertences dos anões que foram roubados pelo dragão Smaug (Benedict Cumberbatch). É nessa aventura que Bilbo encontra o Um Anel que desencadeia a trilogia O Senhor dos Anéis.

O primeiro filme da série estreou no Embassy Theatre, em Wellington, Nova Zelândia em 28 de novembro de 2012. Cerca de 100 mil pessoas eram esperadas para estar no tapete vermelho em Courtenay Place, e todo o evento foi transmitido ao vivo na TV na Nova Zelândia, assim como streaming através da Internet.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Primeiros estágios de desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Peter Jackson e Fran Walsh expressaram interesse em filmar The Hobbit já em 1995, o qual seria a primeira parte de uma trilogia (os outros dois filmes sendo baseados em O Senhor dos Anéis).[2] O projeto foi frustrado quando o produtor de Jackson, Harvey Weinstein, descobriu que Saul Zaentz tinha os direitos de produção de The Hobbit, mas os direitos de distribuição ainda pertenciam à United Artists (que mantinham esses direitos, acreditando que os cineastas preferiria adaptar The Hobbit, em vez de O Senhor dos Anéis).[3] O estúdio ainda disputava mercado, de forma que as tentativas de Weinstein de comprar os direitos não foram infrutíferas. Então Weinstein pediu que Jackson continuasse com a adaptação de O Senhor dos Anéis sem The Hobbit.[4] Em última análise, O Senhor dos Anéis foi produzido pela New Line Cinema, então os direitos para filmar The Hobbit foram definidos para expirar em 2010.[5] Em setembro de 2006, a Metro-Goldwyn-Mayer, expressou interesse em se unir à New Line e Peter Jackson para filmar The Hobbit.[6]

Peter Jackson, diretor do filme, corroteirista e produtor.

Em março de 2005, Jackson lançou uma ação judicial contra a New Line, alegando não ter recebido parte dos lucros obtidos pela primeira parte da trilogia The Lord of the Rings, especialmente do filme The Fellowship of the Ring.[7] [8] Ele não buscou uma solução específica, mas pediu uma auditoria para ver se a New Line não havia feito uma remoção indevida de dinheiro.[5] Embora Jackson teria resolvido antes de começar a dirigir o filme, ele pensou que foi uma pequena ação, e que a New Line ainda iria deixá-lo a fazer The Hobbit. Porém, Robert Shaye que é cofundador da New Line estava irritado com a ação e disse em janeiro de 2007 que Jackson nunca mais iria dirigir um filme para a New Line, acusando-o de ser ganancioso.[9] [10] Harry Sloan que é chefe da MGM (que possuía metade dos direitos de The Hobbit), parou o desenvolvimento do longa-metragem, pois queria que Jackson tivesse envolvido no projeto.[11] Em agosto, após uma série de discussões e especulações sobre o caso, Shaye tentou reparar seu relacionamento com o diretor. Ele disse: "Eu realmente respeito e admiro Peter e adoraria que ele fosse criativamente envolvido de alguma forma em The Hobbit".[12] No mês seguinte, a New Line foi multada em 125 mil dólares, por falhar em apresentar os documentos contábeis requisitados.[5]

Em 16 de dezembro de 2007, a MGM, New Line e o cineasta Peter Jackson finalmente entraram em um consenso sobre o envolvimento de Peter na produção dos filmes. Os estúdios anunciaram que Jackson seria produtor executivo de The Hobbit e suas continuações.[13] Os dois estúdios que cofinanciaram o filme iria distribui-lo, foi anunciado que os dois filmes baseado em The Hobbit serão distribuídos na América do Norte pela New Line e nos demais continentes pela MGM — o primeiro acordo real da New Line com outro grande estúdio.[14] Orçamento de cada filme foi estimado em US$ 150 milhões de dólares, o que compara com o orçamento de 94 milhões de dólares para cada um dos filmes da trilogia O Senhor dos Anéis, dirigida por Jackson. Após a conclusão da fusão de New Line Cinema com a Warner Bros., em fevereiro de 2008,[15] as duas partes do filme foram anunciados como programado para ter o lançamento em dezembro de 2011 e 2012, retrospectivamente.[16] [17] Produtor Mark Ordesky, que é o produtor executivo de O Senhor dos Anéis, planejava retornar para supervisionar as prequelas.[18] Jackson explicou que ele optou por não dirigir porque teria sido insatisfatório para competir com seus filmes anteriores.[19]

Em fevereiro de 2008, o Tolkien Estate (através do Tolkien Trust, uma instituição britânica) e HarperCollins Publishers abriu um processo contra a New Line por quebra de contrato e fraude e exigiu 220 milhões de dólares em indenização por fatos acontecidos durante o desenvolvimento da trilogia O Senhor dos Anéis. A ação alegou que New Line tinha pago apenas ao Estate uma taxa inicial de apenas 62 500 de dólares, apesar da trilogia ter ganhar cerca de 6 000 milhões de dólares em todo o mundo. A ação afirmou que o Estate tinha o direito de receber cerca de 7,5% de todos os lucros obtidos por qualquer filmes de Tolkien, conforme estabelecido por acordos anteriores. O processo também tentou cancelar todas as filmagens de The Hobbit. A ação foi resolvida em setembro de 2009 por um valor não revelado. No entanto, no final de 2009, foi informado que Tolkien Estate, recebeu um pagamento de £ 24 milhões (pouco mais de 38 milhões de dólares).[20] [21] Christopher Tolkien disse: "Lamentamos que uma ação judicial tenha sido necessária, mas estamos contentes de ver que esta disputa será selada em termos satisfatórios para todos. Nós reconhecemos que a New Line pode agora avançar com as suas propostas e finalizar as filmagens de The Hobbit".[22]

Desenvolvimento com Del Toro[editar | editar código-fonte]

Guillermo Del Toro foi originalmente definido para dirigir o filme, mas saiu por causa de atrasos.

Apesar dos processos judiciais, o desenvolvimento prosseguiu e no inicio de 2008, The Hollywood Reporter anunciou que o diretor Guillermo Del Toro estaria entrando em negociações para dirigir o filme,[23] porém, somente em abril de 2008, foi informado que Guillermo tinha sido confirmado oficialmente.[24] Guillermo del Toro afirmou que ele era um fã da trilogia de Jackson e tinha discutido dirigir uma adaptação cinematográfica baseada no jogo Halo, em 2005. Embora este projeto tenha sido interrompido, eles se mantiveram em contato.[25] Em uma entrevista de 2006, Del Toro é citado afirmando "Eu não gosto de caras pequenos e dragões, pés peludos, hobbits, [...] Eu odeio todo isso".[26] Após ele ter assinado como diretor em abril de 2008,[27] Del Toro postou em TheOneRing.net que ele se encantou com The Hobbit quando era criança e que Smaug era um de seus personagens favoritos. Ele também afirmou que os outros livros de Tolkien "continham uma geografia e genealogia complexas demais para meu cérebro infantil". Ao assumir o papel de diretor, Del Toro estava agora "lendo como um louco para se adaptar a uma terra completamente nova, um continente — uma cosmologia criada por um brilhante filólogo transformado em Xamanismo". O diretor também escreveu que sua apreciação por Tolkien foi ampliada pelo seu conhecimento do gênero fantástico e as pesquisas de folclore que ele realizou durante a realização de seus próprios filmes de fantasia.[25]

A pré-produção começou por volta de agosto de 2008, com Del Toro, Jackson, Philippa Boyens Walsh, escrevendo o enredo.[28] Del Toro colaborou com Jackson, Walsh e Boyens através de videoconferência e voou a cada três semanas, rapidamente de Los Angeles (onde alguns dos projetos foram realizados)[27] à Nova Zelândia, para visitá-los.[29] O cineasta disse que disciplinou-se para escrever o roteiro da adaptação pelas manhãs. A tarde ele reservava para leituras e sessões de documentários que ele acredita que influenciarão os filmes - como influenciaram Tolkien a escrever o livro. Ele assistiu documentários da Primeira Guerra Mundial, e disse que "The Hobbit é um livro nascido das experiências da geração de Tolkien com a guerra, os campos de batalha e a decepção de ver o colapso de valores".[30] Del Toro também pediu recomendações de Peter Jackson, que segundo ele, coleciona aviões, tanques, canhões e tem reproduções de uniformes antigos.[31]

Em novembro de 2008, Del Toro disse que ele, Jackson, Walsh e Boyens em cada semana percebia algo de novo sobre a história e o roteiro sempre estava continuamente em mudança.[32] As horas de escrita aumentaram para 12 a cada dia, tal medida que foi dedicada em três semanas para finalmente decidir uma estrutura dos filmes.[33] Durante os primeiros meses de 2009, as escritas começam a partir de 8h30 e terminam às 15h00 quando Del Toro se reuniria com a Weta (ou seja, a Weta Workshop e Weta Digital, empresas de efeitos cinematográficos). A conclusão dos contornos da história e tratamentos terminou em março de 2009 e os estúdios aprovou o início de definir o roteiro.[34]

As filmagens foram previstas para ocorrer ao longo de 2010 na Nova Zelândia, eventualmente Del Toro reformulava os conjuntos Hobbiton em Matamata.[25] Em novembro de 2008, o diretor revela que as filmagens de The Hobbit podem levar cerca de 370 dias,[35] também revela para os fãs que o filme vai possuir criaturas diferentes, semelhantes com as de Hellboy II, o diretor disse que vai levar ao limite da tecnologia onde vão fundir os bonecos animatrônicos com a computação gráfica em uma nova forma de arte quando o assunto é o desenvolvimento de criaturas.[36]

Interpretação de Del Toro[editar | editar código-fonte]

O primeiro filme será fechado em si mesmo e baseado em O Hobbit enquanto que o segundo filme será uma transição e uma fusão com o mundo de Peter. Eu planejo alterar e expandir os visuais de Peter, e eu sei que o mundo pode ser mostrado de uma forma diferente. Diferente é melhor para o primeiro. Para o segundo eu tenho a responsabilidade de encontrar uma progressão lenta até imitar o estilo de Peter

– Del Toro sobre a consonância tonal com a trilogia de Jackson.[37]

Del Toro e Jackson possuem um relacionamento profissional positivo, onde se comprometerão com os desentendimentos de forma a beneficiar o filme.[25] Jackson se ofereceu para atuar como diretor de uma segunda unidade. Del Toro irá filmar The Hobbit com a mesma proporção 2.35:1 da trilogia, ao invés do seu padrão 1.85:1.[25] [38]

Del Toro pretende levar a tecnologia dos animatrônicos a novos patamares: "Nós realmente desejamos pegar o estado-da-arte em animatrônicos e fazer um salto de dez anos para o futuro com a tecnologia que desenvolveremos para as criaturas no filme. Nós temos toda a intenção de fazer para os animatrônicos e os efeitos especiais o que os outros filmes fizeram pela realidade virtual".[27] [39] Imagens geradas por computador irão melhorar ainda mais o desempenho dos animatrônicos na tela. Del Toro citou isto como importante, pois ele requererá que os animais falem no filme, então a fala de Smaug não será incongruente. Os Wargs serão refeitos para serem mais fiéis ao livro, e as aranhas da Floresta das Trevas serão diferentes de Laracna. Del Toro acrescentou que ele entende que mostrar os animais falando tem mais a ver com as pessoas podendo entendê-los.[40]

Del Toro interpreta The Hobbit como se passando em um "mundo ligeiramente mais dourado no começo, um ambiente bastante inocente" e o filme precisa "levar você de um tempo de maior pureza para uma realidade mais negra através do filme, mas de acordo com o espírito do livro".[27] Ele entende os temas principais como sendo a perda da inocência, a qual ele compara com a experiência da Inglaterra após a Primeira Guerra Mundial, e ganância, que ele diz que Smaug e Thorin II Escudo-de-Carvalho representam.[25] Bilbo Bolseiro reafirma sua moralidade pessoal durante o terceiro ato, quando ele se depara com a ganância de Smaug e dos Anões.[41] Ele acrescenta: "A espécie humilde e persistente da fibra moral de Bilbo representa bastante bem a ideia que Tolkien tinha sobre o pequeno homem Inglês, o homem Inglês médio",[42] e o relacionamento entre Thorin e Bilbo será o coração do filme.[43]

Del Toro se reuniu com os artistas conceituais John Howe e Alan Lee, com o responsável pela Weta Workshop, Richard Taylor, e o artista de maquiagem Gino Acevedo de forma a manter continuidade com os filmes anteriores,[27] e também irá contratar artistas quadrinistas europeus de forma a complementar o estilo de Howe e Lee na trilogia.[44] Ele também considerou a possibilidade de olhar os desenhos de Tolkien e usar elementos que não foram utilizados na trilogia.[42] Como Tolkien ao escrever The Hobbit não tinha intenção que o um anel fosse maligno, como o foi em O Senhor dos Anéis, Del Toro irá trabalhar a sua natureza diferente na história, mas não tanto que o afaste do espírito da história.[45]

Saída de Del Toro[editar | editar código-fonte]

Em 2010, Del Toro deixou o projeto por causa de atrasos. Em 28 de maio, estava em uma conferência de imprensa, e explicou que em virtude de certos problemas financeiros da MGM, o projeto de The Hobbit não tinha oficialmente recebido um sinal verde no momento. "Nós já desenhamos todas as criaturas. Já desenhamos os sets e os figurinos. Nós já fizemos algumas animações e planejamos sequências de batalhas. Nós estamos muito, muito preparados para quando tudo estiver engatilhado, mas não sabemos nada até que a MGM resolva tudo".[46] [47] Os problemas financeiros da MGM e constantes atrasos da produção fizeram com que o diretor fosse obrigado a deixá-la, pois Del Toro já tem diversos compromissos marcados com outros estúdios.[48] “Devido aos atrasos que impedem que as filmagens sejam marcadas tive que tomar uma das decisões mais difíceis da minha vida. Depois de dois anos vivendo, respirando e desenhando o mundo criado por Tolkien, eu lamento, mas preciso deixar a direção dessas incríveis adaptações", declarou Del Toro em comunicado oficial.[49] [50] Ron Perlman, que tinha ganhado um pequeno papel no filme, elaborado por Del Toro deixou o projeto juntamente com o diretor.[51]

No entanto, este incidente recebeu reação negativa de muitos fãs de Hobbit, que estavam irritados com a MGM por atrasar o projeto. Eles também tentaram convencer o estúdio a vender seus direitos para a Warner Bros. Em 27 de julho, Del Toro respondeu a estes fãs irritados, dizendo que "não era apenas a MGM. Estes são filmes muito complicados, economicamente e politicamente."[52]

No fim de maio de 2010, foi relatado que Peter Jackson estava com a missão de encontrar outro diretor para as adaptações. Fãs da série não descartaram a hipótese de ele mesmo dirigir o filme, porém seu agente logo se manifestou dizendo: "Peter tem compromissos com outros filmes que tornariam impossível a missão de dirigir O Hobbit neste momento".[53] Em 25 de junho de 2010, foi relatado que Jackson estaria em negociações para dirigir o filme e sua sequência.[54] [55] Em 15 de outubro de 2010, New Line Cinema e Warner Bros confirmam que The Hobbit vai dar inicio as filmagens com Jackson como diretor e que o filme será rodado totalmente em 3-D.[56] Além de confirmar Jackson como diretor, foi relatado que o estúdio deu sinal verde para o filme, e a fotografia principal iria começar em fevereiro de 2011.[57] Jackson afirmou que: "A exploração da Terra Média de Tolkien vai muito além da experiência cinematográfica normal. Não vemos a hora de retornar ao mundo maravilhoso de Gandalf e Bilbo. É uma viagem de imersão total em um lugar muito especial, onde reinam a imaginação, a beleza e o drama".[58] [59] [60] Terceiro filme The Hobbit: Battle Of The Five Armies
Apesar de The Hobbit ter sido feito originalmente como um filme prequela de Os Senhor dos Anéis, contendo duas partes, em 30 de julho de 2012, Jackson confirmou planos para um terceiro filme, transformando sua adaptação do livro de J.R.R. Tolkien em uma trilogia.[61] [62] De acordo com Jackson, o terceiro filme seria fazer uso extensivo dos apêndices que Tolkien escreveu para expandir a história da Terra-média (publicado na traseira do livro The Return of the King). Também divulgado que o filme vai exigir algumas imagens adicionais, mas que também vão ser usadas imagens já gravadas e que possivelmente não estaria no segundo e nem no primeiro.[63] O segundo filme foi renomeado para The Desolation of Smaug, e o terceiro foi intitulado There and Back Again, em agosto de 2012.[64] Porém, em abril de 2014 o diretor Peter Jackson decidiu mudar o nome do terceiro filme para The Hobbit: The Battle of the Five Armies, pois o título There and Back Again era bom para a franquia quando tinham apenas dois filmes, pois no segundo filme os personagens já chegaram "lá".[65]

Elenco da Trilogia[editar | editar código-fonte]

Papel Ator Brasil Dublagem
Bilbo Bolseiro Martin Freeman Alexandre Moreno[66]
Gandalf Ian McKellen Luiz Carlos Persy
Thorin Escudo de Carvalho Richard Armitage Márcio Simões[66]
Balin Ken Stott Pádua Moreira
Isaac Schneider (Uma Jornada Inesperada)
Dwalin Graham McTavish Ronaldo Júlio
Fili Dean O'Gorman Clécio Souto
Kili Aidan Turner Marcos Souza
Dori Mark Hadlow Reinaldo Pimenta
Nori Jed Brophy Júlio Chaves
Ori Adam Brown Marcelo Garcia
Bifur William Kircher Não possui, pois fala Khuzdul, uma língua específica dos Anões
Bofur James Nesbitt Jorge Vasconcelos
Bombur Stephen Hunter Anderson Coutinho
Óin John Callen José Sant'Anna
Glóin Peter Hambleton Mauro Ramos
Smaug Benedict Cumberbatch Ricardo Schnetzer[66]
Legolas Orlando Bloom Philippe Maia
Tauriel Evangeline Lilly Sylvia Salustti
Thranduil Lee Pace Guilherme Briggs[67]
Bard, o Arqueiro Luke Evans Hércules Franco
Radagast Sylvester McCoy Mário Monjardim
Elrond Hugo Weaving Hélio Ribeiro
Galadriel Cate Blanchett Miriam Ficher
Saruman Christopher Lee Ednaldo Lucena
Gollum Andy Serkis Guilherme Briggs [68]
Azog Manu Bennett -
Bolg Lawrence Makoare
Conan Stevens (Uma Jornada Inesperada)
-
Yazneg John Rawls -
Fimbul Stephen Ure -
Narzug Ben Mitchell Airam Pinheiro
Frodo Bolseiro Elijah Wood Sérgio Cantú
Bilbo Bolseiro (idoso) Ian Holm Isaac Bardavid
Beorn Mikael Persbrandt Bruno Rocha
Lindir Bret McKenzie Duda Ribeiro
Grão-Orc Barry Humphries Sérgio Fortuna
Tom, Bert e William William Kircher, Peter Hambleton e Mark Hadlow Paulo Bernardo, Ricardo Telles e Sérgio Stern
Grinnah Stephen Ure Fernando Mendonça
Thrór Jeffrey Thomas -
Thráin Michael Mizrahi (adulto)
Thomas Robins (jovem)
-
Mestre da Cidade do Lago Stephen Fry Alfredo Martins
Alfrid Ryan Gage Jorge Lucas
Bain John Bell Charles Emmanuel
Sigrid Peggy Nesbitt Ana Lúcia Menezes
Tilda Mary Nesbitt Ana Elena Bittencourt
Braga Mark Mitchinson Carlos Seidl
Percy Nick Blake Leonardo Serrano
Galion Craig Hall Paulo Vignolo
Elros Robin Kerr Guto Nejaim
Girion Luke Evans -
O Necromante Benedict Cumberbatch -
Albert Dreary Peter Jackson -
Betsy Carrapicho Katie Jackson Christiane Monteiro
Hilda Blanca Sarah Peirse Andrea Murucci

Filmagens[editar | editar código-fonte]

A companhia de anões da esquerda para a direita: Nori, Fíli, Dori, Bofur, Glóin, Dwalin, Thorin, Balin, Óin, Bombur, Bifur, Ori e Kíli.

A fotografia principal começou em 21 de março de 2011, em Wellington, Nova Zelândia. As filmagens ocorreram em Wellington Stone Street Studios, cidade de Matamata e em outros locais não revelados em torno de Nova Zelândia.[69]

Na criação dos 13 anões da história, foram colocados próteses de silicone para avolumar as testas e narizes. Os cabelos e as barbas dos personagens foram feitos de pelos de bois iaques, do Himalaia. Segundo o maquiador Peter King, o visual ficava excelente em 3-D. “Não existe nenhum ator do filme que não use aplique”, diz o maquiador, que criou seis perucas e oito barbas para cada anão – e isso após 30 sessões de teste.[70] [71]

O segundo bloco de filmagens na Nova Zelândia começou no final de agosto e foi concluído em dezembro de 2011.[72] A fotografia principal terminou em 6 de julho de 2012, depois de 266 dias de filmagens,[73] 104 dias a menos do que previsto na época do desenvolvimento liderado por del Toro.[35]

Lista de locais das filmagens
Lugar
Ficticio
Localização específica
na Nova Zelândia
Área geral
na Nova Zelândia
Aratiatia Spillway Taupo[74]
Braemar Station Tekapo[75]
Canaan Downs Takaka[76]
Denize Bluffs Mangaotaki[77]
Earnslaw Burn Mount Aspiring National Park[78]
Eweburn Station Te Anau[79]
Greenstone Station Greenstone[80]
Harwoods Hole Takaka[81]
Hobbiton Matamata Waikato[82]
Miramar Peninsula Wellington[83] [84]
Ohuto Station Okahune[85]
Paradise Otago[86]
Pelorus Bridge Marlborough[87]
Remarkables Otago[88]
Rock and Pillar Range Otago[88]
Speargrass Flat Otago[88]
Strath Taieri Middlemarch[89]
Treble Cone Ski Resort Wanaka[90]
Turoa Ski Area Mount Ruapehu[85]
Wanaka-Mt Aspiring Rd Wanaka[90]

Tecnologia[editar | editar código-fonte]

Os filmes foram filmados em 3D usando câmeras Red Epic.[91] Um equipamento especial fabricado pela 3ality Technica foi utilizado nas filmagens dos três filmes; duas câmeras e um espelho são usados para atingir um efeito intra ocular similar de um ser humano (a distância entre os olhos).[92] Isto é como a profundidade necessária para um filme ser visualizado 3-D.[93]

A trilogia The Hobbit, provavelmente, serão os filmes de maior orçamento até agora a serem filmados com as câmeras Red Epic.[94] Num vídeo revelando os bastidores, publicado no blog de produção do filme, relata que foram usados 48 Epic câmeras, durante as filmagens dos filmes.[93]

Em abril de 2011, Jackson revelou através de sua página na rede social Facebook que ele está filmando The Hobbit em 48 fps (quadros por segundo) em vez do normal que é 24 fps.[95] Além disso, os filmes estão sendo filmados em uma resolução de 5 K. Isso é substancialmente maior do que a resolução convencional de HD 1080. Os filmes estão sendo filmados digitalmente em cartões de memória de 128 GB que se adaptam a câmera RED Epic.[93]

Animais na produção[editar | editar código-fonte]

Funcionários de uma fazenda na Nova Zelândia, que serviu de locação para os filmes, acusaram a produtora do filme pela morte de até 27 animais usados nas gravações, devido a más condições de vida. Os delatores informaram à imprensa norte-americana que cavalos, ovelhas, cabras e galinhas morreram durante as filmagens entre 2010 e 2011. O primeiro animal a morrer teria sido um pônei chamado Rainbow, que quebrou a coluna após saltar de um barranco, de acordo com o peão Chris Langridge em entrevista à agência de notícias Associated Press. Ele afirma que foi contratado para treinar cerca de 50 cavalos em novembro de 2010, mas imediatamente ficou preocupado com as condições do local.[96] [97]

Seis cabras e seis ovelhas morreram após cair em buracos, contrair vermes ou comer alimentos estragados na fazenda que abriga os mais de 150 animais usados no longa. Já as galinhas teriam sido mortas por cães por não terem sido recolhidas ao galinheiro. Os produtores do filme afirmam que o número de mortes é bem menor do que o que foi divulgado. O grupo de proteção aos animais People for the Ethical Treatment of Animals (PETA) já anunciou que planeja manifestações e protestos nas estreias do filme na Nova Zelândia, Estados Unidos e Reino Unido.[98]

Pós-produção[editar | editar código-fonte]

Música[editar | editar código-fonte]

A música da série de filmes The Hobbit está sendo composta, orquestrada, realizada e produzida por Howard Shore, que também participou do desenvolvimento da trilha da trilogia O Senhor dos Anéis. A música será mais uma vez realizada pela Orquestra Filarmônica de Londres como foi para O Senhor dos Anéis. As sessões de gravação para os filmes começaram em 20 de agosto de 2012 no Abbey Road Studios. A trilha sonora para Unexpected Journey foi lançada em 11 de dezembro de 2012, pela gravadora WaterTower Music.[99] [100]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Nos cinemas[editar | editar código-fonte]

Estréia de The Hobbit: An Unexpected Journey em Wellington, New Zealand.

The Hobbit: An Unexpected Journey foi programado para ter sua estréia mundial em 28 de novembro de 2012 em Wellington, Nova Zelândia,[101] com outro grande lançamento na Nova Zelândia em 12 de dezembro.[102] Ingressos para sessões do filme da meia-noite na Nova Zelândia foram vendidos dentro de minutos, e uma grande quantidade de pessoas ficaram sem assistir ao filme.[103] O filme foi lançado em 13 de dezembro de 2012 no Reino Unido[104] e 14 de dezembro de 2012, para alguns outros países.[64] Com um um tempo de execução de 169 minutos (2 horas e 49 minutos), que foi um dos assuntos dos críticos especializados.[105]

Cerca de 100 000 pessoas eram esperadas para estar no tapete vermelho em Wellington Courtenay Place para a estréia.[106] Todo o evento foi transmitido ao vivo na TV3 e também transmitido pela Internet.[107]

The Hobbit: The Desolation of Smaug está previsto para ser lançado mundialmente em 13 de dezembro de 2013[108] com o último filme The Hobbit: There and Back Again agendado para ser lançado em 17 de dezembro de 2014.[109]

Home-video[editar | editar código-fonte]

The Hobbit: An Unexpected Journey foi lançado em Blu-ray e DVD nos Estados Unidos em 19 de março de 2013, com um lançamento agendado para o Reino Unido, um mês depois, em abril. Uma versão estendida contendo 20 a 25 minutos de cenas adicionais é esperada para estar disponível no terceiro trimestre de 2013.[110]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Filme Data de lançamento Receita de bilheteria Ranking de bilheteria Orçamento Ref.
An Unexpected Journey 14 de dezembro de 2012 1 017 003 568 #17 180 000 000 [111]
The Desolation of Smaug 13 de dezembro de 2013 950 422 697 #24 225 000 000 [112]
The Battle of Five Armies 17 de dezembro de 2014 N/A N/A 200 000 000 [113]
Total US$ 1 967 426 265 US$ 605 000 000

Resposta do público e crítica[editar | editar código-fonte]

Filme Rotten Tomatoes Metacritic IMDb
An Unexpected Journey 65% (270 comentários)[114] 58% (40 comentários)[115] 8.1 (418 950 avaliações)[116]
The Desolation of Smaug 75% (205 comentários)[117] 66% (44 comentários)[118] 8.2 (192 190‎ avaliações)[119]
The Battle of Five Armies
-
[120]
-
[121]
-
[122]
Média 70% 62% 8,15

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

An Unexpected Journey foi indicado a três Oscars de Melhores Efeitos Visuais, Melhor Desenho de Produção e Melhor Maquiagem e Penteados.[123]

Reação à alta taxa de quadros[editar | editar código-fonte]

Em uma seção da convenção CinemaCon, que foi realizada em Las Vegas em abril de 2012, dividiu opiniões a respeito da alta taxa de quadros — algo revolucionário na história do cinema, com 48 quadros por segundo, o dobro do formato padrão de 24 fps (frames por segundo).[124] Peter Jackson mostrou um vídeo de dez minutos do filme, mostrando o novo formato, e recebeu "uma reação abaixo do esperado na melhor das hipóteses". Enquanto Variety afirmou que o filme "parecia tudo mais nítido e distintamente diferente do que tudo mostrado antes, dando ao movimento 3-D uma sensação mais suave e nítida", também informou que perdeu o brilho cinematográfico da industria padrão de 24 fps.[125] Já o jornal Los Angeles Times, informou que uma tomada aérea das montanhas apareceu com mais detalhes e clareza que “a maioria dos documentários sobre a natureza”. Mas a extrema nitidez causou uma reação inesperada.[126] "Parecia um filme feito para a TV", reclamou um proprietário de cinema presente.[127] [128]

Peter Jackson afirmou que a má recepção "não foi particularmente surpreendente", pois segundo ele "deve ter um tempo longo, para poder se acostumar com isso. Dez minutos é muito pouco, provavelmente precisavam de pouco mais".[129] No entanto, uma vez que todo o filme foi lançado, muitos críticos mantiveram suas opiniões. Enquanto muitos apontaram a clareza e a rapidez das cenas de ação, eles também criticaram a qualidade da imagem como "hiper-real", claro o suficiente para detectar "sets pintados" e "narizes artificiais."[130] [131] Alguns críticos tiveram reações positivamente para o efeito geral da taxa de quadro mais rápido, dizendo que só leva um tempo para se acostumar.[132] [133]

The Hobbit: An Unexpected Journey foi lançado também nos cinemas com a quantidade padrão de quadros por segundos, pois muitas das salas de cinema ainda não estão aptas para receber tal tecnologia.[134]

Referências

  1. Matt Goldberg (18 de novembro de 2010). Composer Howard Shore to Score THE HOBBIT Collider.com. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  2. Sibley 2006, pp. 313–16.
  3. Ambrose, Thomas ‘Tom’. "The Return of the Ring", Empire, p. 67.
  4. Sibley 2006, pp. 323-25.
  5. a b c Benjamin Svetkey (4 de outubro de 2007). The Hobbit: Peace in Middle-Earth? Entertainment Weekly. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  6. Stax (11 de setembro de 2006). MGM Eyes Hobbit, T4 IGN. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  7. The Hobbit - Produção CineFilando. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  8. Director sues over Rings profits News (BBC) (2 de março de 2005). Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  9. Marcelo Hessel (11 de janeiro de 2007). Chefe da New Line diz que Peter Jackson não trabalha nunca mais com o estúdio Omelete. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  10. Jackson ruled out of Hobbit film News (BBC) (11 de janeiro de 2007). Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  11. Dade Hayes, Dave McNary (28 de fevereiro de 2008). New Line in Warner's corner - Company ends 40-year run as indie studio Variety. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  12. Patrick Goldstein. The big picture: New Line's midlife crisis (em inglês) Los Angeles Times. Visitado em 11 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 14 de janeiro de 2009.
  13. Érico Borgo (18 de dezembro de 2007). Peter Jackson, New Line e MGM oficializam adaptações de O Hobbit (em português) Omelete. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  14. Michael Fleming (18 de dezembro de 2007). 'Hobbit' back on track as twin bill (em inglês) Variety. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  15. Francisco Russo (29 de fevereiro de 2008). Warner e New Line passarão por fusão (em português) AdoroCinema. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  16. Dade McNary (28 de fevereiro de 2008). New Line in Warner's corner Variety. Visitado em 11 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 4 de novembro de 2012.
  17. Lais Cattassini (29 de fevereiro de 2008). New Line Cinema se torna Warner Bros (em português) Cinema com Rapadura. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  18. Anne Thompson (6 de março de 2008). Shaye kept New Line afloat Variety. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  19. An Unexpected Party Chat transcript now available!. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  20. Fábio Bettega (12 de fevereiro de 2008). O Filme de O Hobbit empaca de novo (em português) Valinor. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  21. Legal path clear for Hobbit movie - A film version of JRR Tolkien's novel The Hobbit is to go ahead after its producers settled a legal row with the author's heirs BBC News (8 de setembro de 2009). Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  22. Roberto Cunha (11 de setembro de 2009). "O Hobbit" vai parar na justiça AdoroCinema. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  23. Marcelo Hessel (29 de janeiro de 2008). Guillermo Del Toro negocia para dirigir O Hobbit - Informação é do Hollywood Reporter, o que significa que acordo pode estar perto de acontecer (em português) Omelete. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  24. Marcelo Hessel (24 de abril de 2008). Guillermo del Toro é, oficialmente, o diretor de O Hobbit - Mexicano se muda no fim do ano para a Nova Zelândia, onde comandará os filmes (em português) Omelete. Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  25. a b c d e f An Unexpected Party Chat transcript now available! Weta Holics (25 de maio de 2008). Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  26. Conversations: Guillermo del Toro (em inglês) Salon.com (12 de outubro de 2006). Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  27. a b c d e Guillermo del Toro Chats with TORN About ‘The Hobbit’ Films! (em inglês) TheOneRing.net (25 de abril de 2008). Visitado em 11 de fevereiro de 2013.
  28. Nicole Sperling (28 de agosto de 2008). Peter Jackson, Fran Walsh, Philippa Boyens join Guillermo Del Toro penning The Hobbit (em inglês) Entertainment Weekly. Visitado em 11 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2008.
  29. Michael Fleming (3 de setembro de 2008). Guillermo Del Toro booked thru 2017 Variety. Visitado em 12 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2011.
  30. Érico Borgo (6 de outubro de 2008). Guillermo del Toro comenta O Hobbit e Frankenstein - Diretor fala sobre influência para a adaptação de Tolkien e revela ideia geral de Frankenstein (em inglês) Omelete. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  31. Max Evry (5 de outubro de 2008). Guillermo del Toro on The Hobbit and Frankenstein (em inglês) Coming Soon. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  32. Ryan Rotten (12 de novembro de 2008). Guillermo del Toro Gives Hobbit Update Coming Soon. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  33. Guillermo del Toro (14 de novembro de 2008). I promise to give you news The One Ring .net. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  34. Hewitt, Chris. "The Two Towers", Empire, pp. 137–40.
  35. a b Marcelo Forlani (1 de dezembro de 2008). Filmagens de O Hobbit pode levar cerca de 370 dias - Guillermo del Toro fala do filme em chat online Omelete. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  36. Del Toro talks ‘Hobbit’ in Live Chat (em inglês) Bilbo Hobbit (29 de novembro de 2008). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  37. Levine, Stuart. "Exclusive: Guillermo del Toro on 'Hellboy II'", Premiere, 7 July 2008. Página visitada em 2008-07-08.
  38. Shawn Adler (8 de outubro de 2008). Guillermo Del Toro To Fly Solo On ‘Hobbit’ Directing Duties, Says No To Peter Jackson Assist Movies (MTV). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  39. Patrick Kolan (19 de agosto de 2008). Guillermo Talks The Hobbit's Effects IGN. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  40. Patrick Kolan (19 de agosto de 2012). Guillermo Talks The Hobbit's Effects - Gollum to be CG once more IGN. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  41. Joe Utichi Rotten Tomatoes (13 de julho de 2008). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  42. a b Shawn Adler (2 de julho de 2008). Guillermo Del Toro Answers 'Hobbit' Fans' Questions About Returning 'Rings' Cast, Religion And More MTV. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  43. [1] Shawn Adler (2 de julho de 2008). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  44. Shawn Adler (28 de abril de 2008). Guillermo Del Toro Addresses 'Hobbit' Fans' Concerns, Talks Possible Casting MTV. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  45. The visionary director spends an hour talking to us about his career. (11 de julho de 2008). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  46. Ryan Turek (27 de maio de 2010). Interview: Guillermo del Toro on Splice (em inglês). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  47. Marcelo Forlani (28 de maio de 2010). Guillermo del Toro confirma o atraso em O Hobbit - Filme depende do sinal verde da MGM, que tem problemas financeiros (em português) Omelete. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  48. Guillermo Del Toro departs “The Hobbit” Theonering.ne (30 de maio de 2010). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  49. Érico Borgo (30 de maio de 2010). Guillermo del Toro está fora de O Hobbit - Constantes atrasos forçaram o diretor a buscar outros filmes (em português) Omelete. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  50. Adam Vary (30 de maio de 2010). Why Guillermo del Toro left 'The Hobbit' -- and Peter Jackson will not replace him as director (em inglês) Entertainment Weekly. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  51. Francisco Russo. Curiosidades sobre O Hobbit: Uma Jornada Inesperada - Saiu junto com o antigo diretor AdoroCinema. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  52. Guillermo del Toro opens up on 'The Hobbit': 'It wasn't just MGM' Los Angeles Times (27 de julho de 2010). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  53. Marcelo Hessel (1 de julho de 2010). Peter Jackson fala sobre O Hobbit - mas não deve assumir a direção (em português) Omelte. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  54. Peter Jackson in Negotiations to Direct The Hobbit Films! (em inglês) ComingSoon (25 de junho de 2010). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  55. Marcelo Hessel (25 de junho de 2010). Peter Jackson está mais perto de dirigir O Hobbit - Hollywood Reporter diz que negociações estão em curso (em português). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  56. Tom Cardy (16 de outubro de 2010). Peter Jackson to direct The Hobbit in 3-D The Dominion Pos. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  57. 'The Hobbit' Gets Its Greenlight, With Jackson Directing (Updated) Thewrap (16 de outubro de 2010). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  58. Peter Jackson anuncia início das filmagens de 'O hobbit' para fevereiro O Globo (16 de outubro de 2010). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  59. Bob Tourtellotte (16 de outubro de 2010). Warner Bros. dá seu ok à realização de dois filmes "Hobbit" Portal UOL. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  60. Luís Salvado (outubro de 2010). É oficial: «O Hobbit» vai mesmo avançar e Peter Jackson será o realizador Cinema Sapo. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  61. Jordan Zakarin (30 de julho de 2012). Third 'Hobbit' Film Confirmed The Hollywood Reporter. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  62. Peter Jackson (Segunda, 30 de julho de 2012 às 13:30). An unexpected journey Facebook. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  63. Kofi Outlaw (agosto de 2012). ‘The Hobbit 3′ Edges Closer to Production ScreenRant. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  64. a b Pamela McClintock (31 de agosto de 2012). Third 'Hobbit' Film Sets Release Date The Hollywood Reporter. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  65. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Lucas
  66. a b c http://bailedosenxutos.com/matine-dos-enxutos-o-hobbit-a-desolacao-de-smaug-por-king/
  67. http://googlando.net/midias/cinema/o-hobbit-desolacao-de-smaug-e-minha-cabeca-explodindo/
  68. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas sana
  69. Pip Bulbeck (20 de março de 2011). Hobbit' Filming Finally Under Way in New Zealand (em inglês) The Hollywood Reporter. Visitado em 25 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 21 de maio de 2011.
  70. Ivan Claudio (22 de fevereiro de 2013). O poder da maquiagem - Cada vez mais sofisticada, a maquiagem torna mais convincente cinebiografias e filmes de fantasia, revoluciona o cinema e passa a ser uma das categorias mais disputadas no Oscar Terra Networks. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  71. Kim Masters (17 de outubro de 2012). The Hobbit:' Inside Peter Jackson and Warner Bros.' $1 Billion Gamble The Hollywood Reporter. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  72. The Hobbit Filming resumes The One Ring.net (23 de agosto de 2011). Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  73. Jordan Zakarin (6 de julho de 2012). 'The Hobbit' Completes Filming, Peter Jackson Posts Facebook Message (Photo) The Hollywood Reporter. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  74. Hamilton-Irvine, Gary. "Taupo's rapid allure to hobbit", Rotorua Daily Post, 25 de janeiro de 2012. Página visitada em 29 de novembro de 2012.
  75. Alan Wood. Tourism hopes hang on The Hobbit Stuff.co.nz. Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  76. 'Rogue sightings' of Hobbits Stuff.co.nz (18 de novembro de 2011). Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  77. Ain't It Cool News: The best in movie, TV, DVD, and comic book news Aintitcool.com. Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  78. Cutting room next stop for 'The Hobbit' | Otago Daily Times Online News : Otago, South Island, New Zealand & International News Odt.co.nz (9 de julho de 2012). Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  79. Log nu in om een reactie te plaatsen.. The Hobbit — Production Diaries 6 YouTube. Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  80. Otago stars in new 'Hobbit' video | Otago Daily Times Online News : Otago, South Island, New Zealand & International News Odt.co.nz (30 de dezembro de 2011). Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  81. Anna Pearson. Filming of The Hobbit in the Nelson region begins... Stuff.co.nz. Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  82. Ain't It Cool News: The best in movie, TV, DVD, and comic book news Aintitcool.com. Visitado em 25 de de dezembro de 2012.
  83. Meg Thompson (25 de maio de 2012). Bright lights over Miramar Stuff.co.nz. Visitado em 25 de de dezembro de 2012.
  84. Hobbit Movie Set To Stay For 16 Extra Months Stuff.co.nz. Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  85. a b Have your say » Merania Karauria 10 November 2011 7:36 am (10 de novembro de 2011). Tight security surrounds Hobbit Wanganui Chronicle. Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  86. Grant Bryant (10 de novembro de 2011). The Hobbit's Wakatipu Location Taking Shape Stuff.co.nz. Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  87. Ian Allen. Hobbits elude us, but we get to set Stuff.co.nz. Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  88. a b c Bray, Adam (21 de maio de 2012). Hanging out in Hobbiton: 'The Hobbit''s stunning movie set | CNN Travel Travel.cnn.com. Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  89. '+relative_time(twitters[i].created_at)+' (14 de novembro de 2011). The Hobbit Riddle in Otago | Middle-earth News News.mymiddleearth.com. Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  90. a b Secrecy surrounds Hobbit filming | Otago Daily Times Online News : Otago, South Island, New Zealand & International News Odt.co.nz (1 de dezembro de 2011). Visitado em 25 de dezembro de 2012.
  91. Erin Carlyle (15 de dezembro de 2012). 'The Hobbit' Director Peter Jackson: How Billionaire Jim Jannard Made The Film Possible Forbes. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  92. 3Ality Technica, empresa por trás da produção em 3D de “O Hobbit: Uma Jornada Inesperada Cine Alerta. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  93. a b c The Hobbit Team. Production Video #4 The Hobbit Blog. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  94. The Hobbit - Production Red (28 de novembro de 2010). Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  95. Peter Sciretta (11 de abril de 2011). Peter Jackson Explains Why He’s Shooting ‘The Hobbit’ at 48 Frames Per Second /Film. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  96. Treinadores denunciam morte de 27 animais em ‘O Hobbit’ - Eles culpam a produtora dos filmes; fazenda onde estavam abrigados era cheia de ‘armadilhas’ O Globo (19 de novembro de 2012). Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  97. Animais foram mortos durante filmagens de 'O Hobbit', diz site Folha de S. Paulo (19 de novembro de 2012). Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  98. Site diz que animais foram mortos durante filmagens de 'O Hobbit' Portal G1 (19 de novembro de 2012). Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  99. Marcelo Hessel (5 de novembro de 2012). O Hobbit - Uma Jornada Inesperada - Lista de faixas da trilha sonora Omelete. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  100. David Burger (1 de novembro de 2012). "The Hobbit: An Unexpected Journey" soundtrack will be released at all retailers on December 11. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  101. Pip Bulbeck (6 de junho de 2012). New Zealanders to See 'The Hobbit: An Unexpected Journey' on Nov. 28 The Hollywood Reporter. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  102. Ben Child (28 de novembro de 2012). The Hobbit: An Unexpected Journey overcomes setbacks for premiere The Guardian. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  103. Michael Forbes (7 de novembro de 2012). Sir Peter saves Hobbit fans' day Stuff. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  104. The adventure begins a day early! We are very excited to announce that The Hobbit: An Unexpected Journey will now be released on December 13th! Facebook (19 de outubro de 2012). Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  105. THE HOBBIT – AN UNEXPECTED JOURNEY (12A) British Board of Film Classification. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  106. Chris Whitworth (28 de novembro de 2012). 100,000 expected at Hobbit premiere celebrations 3 Nes - Best News. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  107. Live Stream of the Hobbit Premiere. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  108. Francisco Russo. Agenda de estreias - 13 dezembro 2013 AdoroCinema. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  109. The Hobbit: There and Back Again IMDb. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  110. Andrew Sims (8 de dezembro de 2012). ‘The Hobbit: An Unexpected Journey’ Extended Edition will run over 3 hours Hypable. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  111. An Unexpected Journey Box Office Box Office Mojo. Visitado em 27 de dezembro de 2012.
  112. The Desolation of Smaug Box Office Box Office Mojo. Visitado em 14 December 2012. http://www.rottentomatoes.com/m/the_hobbit_the_desolation_of_smaug/.
  113. There and Back Again Box Office Box Office Mojo. Visitado em 14 de dezembro de 2012.
  114. An Unexpected Journey Rotten Tomatoes. Visitado em 9 December 2012.
  115. An Unexpected Journey: Reviews Metacritic. Visitado em 9 de dezembro de 2012.
  116. An Unexpected Journey: Reviews IMDb. Visitado em 21 de janeiro de 2013.
  117. The Desolation of Smaug Rotten Tomatoes. Visitado em 9 de dezembro de 2012.
  118. The Desolation of Smaug: Reviews Metacritic. Visitado em 9 de dezembro de 2012.
  119. The Desolation of Smaug IMBd. Visitado em 31 de dezembro de 2012.
  120. There and Back Again Rotten Tomatoes. Visitado em 9 de dezembro de2012.
  121. There and Back Again: Review Metacritic. Visitado em 9 de dezembro de 2012.
  122. There and Back Again IMBd. Visitado em 31 de dezembro de 2012.
  123. Nomeados do Óscar Site oficial (2012). Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  124. Entertainment Weekly (24 de abril de 2012). CinemaCon 2012: Dim reaction to high-def look of Peter Jackson's 'The Hobbit. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  125. Josh L. Dickey (24 de abril de 2012). 'Hobbit' preview divides CinemaCon auds - WB also shows 'Dark Knight Rises,' 'Campaign' footage (em inglês) Variety. Visitado em 25 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2011.
  126. Diego Almeida (24 de abril de 2012). Exibição de O Hobbit causa estranheza entre os críticos Pipoca Moderna. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  127. Ben Child (25 de abril de 2012). The Hobbit: first glimpse gets mixed response The Guardian. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  128. Edson Lima (27 de abril de 2012). [SPOILER 10 minutos de O Hobbit: o que foi visto no vídeo] Valinor. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  129. Peter Jackson unsurprised by critics of Hobbit footage BBC News (29 de abril de 2012). Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  130. Peter Travers (13 de dezembro de 2013). The Hobbit: An Unexpected Journey - Directed by Peter Jackson RollingStone. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  131. Bob Mondello (13 de dezembro de 2012). A 'Hobbit,' Off On His Unhurried Journey NPR. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  132. Daniel Rutledge (5 de dezembro de 2012). Examining criticisms of The Hobbit 3 News NZ. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  133. Edson Lima (25 de abril de 2012). Exibição de O Hobbit causa estranheza entre os críticos Valinor. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
  134. Mike Fleming Jr (15 de julho de 2012). Comic-Con Q&A: Peter Jackson On His Return To Middle Earth With ‘The Hobbit’ And How 48 Frames Can Save Moviegoing Deadline.com. Visitado em 25 de fevereiro de 2013.
Bibliografia