The King of Fighters '95

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The King of Fighters 95
Desenvolvedora SNK
Publicadora(s) SNK
Plataforma(s) Arcade
Neo-Geo
Neo-Geo CD
Sega Saturn
PlayStation
PlayStation 2
Game Boy
Playstation Network(PS3)
Virtual Console (Wii)
Série The King of Fighters
Data(s) de lançamento
Gênero(s) Luta
Modos de jogo Single Player
Multiplayer
Classificação Inadequado para menores de 13 anos i ESRB (América do Norte)
Mídia Cartucho
CD
Idioma Japonês
Hardware
Sistema Neo-Geo MVS
Último
Último
The King of Fighters '94
The King of Fighters '96
Próximo
Próximo

The King of Fighters '95 é um videogame produzido no ano de 1995 pela empresa fabricante de jogos SNK. É o segundo jogo da série The King of Fighters , e o primeiro da segunda saga da série, a Saga Orochi.

Elenco de Personagens[editar | editar código-fonte]

Hero Team: Kyo Kusanagi, Benimaru Nikaido e Goro Daimon

Fatal Fury Team: Terry Bogard, Andy Bogard e Joe Higashi

Art of Fighting Team: Ryo Sakazaki, Robert Garcia e Takuma Sakazaki

Female Team: Yuri Sakazaki, Mai Shiranui e King

Psycho Soldiers Team: Athena Asamiya, Sie Kensou e Chin Gentsai

Ikari Warriors Team: Heidern, Ralf Jones e Clark Steel

Korea Team: Kim Kaphwan, Choi Bounge e Chang Koehan

Rivals Team: Iori Yagami, Billy Kane e Eiji Kisaragi

Chefes: Saisyu Kusanagi e Rugal Bernstein

História[editar | editar código-fonte]

Um ano se passou. Em 1995 todos os lutadores do torneio passado se lembram da competição com recordações aficionadas, mas agora sabem que Rugal está morto e o torneio morreria com ele. Isso era o que eles pensavam, até que sete dos oito times começaram a receber convites uma vez mais. Nesta ocasião, os envelopes foram assinados com um "R". Quem ele era e o que ele queria? Ninguém soube, e muitos não tiveram nem mesmo o cuidado. Os lutadores iriam àquele lugar novamente em 1995! Todos os times estavam juntos novamente, exceto um, o time dos E.U.A, que não foi encontrado em parte alguma. Porém, outro time apareceu no lugar deles e, para alguns dos lutadores, não era um time grandioso. O time era formado por Billy Kane, ex-campeão do torneio, um grunge contra os Lobos Solitários. Eiji Kisaragi, um ninja cruel com um negócio inacabado com a família Sakazaki. E o capitão do time. Um só, mas ainda assim inacreditavelmente forte e usa técnicas semelhantes as de Kyo, mas com a diferença que suas chamas são purpuras. O jovem misterioso era conhecido como nenhum outro. Iori Yagami. Um descendente dos Yagami, eternos rivais da família Kusanagi. Agora, o torneio estava cheio de interesses pessoais. Com esta união de ódio, emoção e excitação começou mais uma vez a batalha. Guerreiros, agora com um ano de experiência e algumas técnicas novas, uma vez mais fazendo as batalhas mais intrigantes e excitantes. Foram decididos os resultados da batalha, algumas vezes, no último lutador de cada time e o vencedor não era definido em nenhuma parte da luta. Nem mesmo os atuais campeões, o Time do Japão, tiveram um caminho fácil. Guerreiros revitalizados, combinados com o sangue novo, fizeram este torneio muito mais emotivo e hábil que o último. Como o Time Heróis estava a ponto de entrar em uma das últimas batalhas, eles se concentraram no vestiário. Porém, de repente, uma fumaça verde começou a os cercar. O trio notou que eles estavam perdendo os sentidos, e tudo ficou preto. Gás dormente. Kyo acordou em um lugar escuro. Ele apenas podia ver seus companheiros desfalecidos próximos a ele. Foi recebido com um certo riso familiar. Era Rugal! Kyo, Benimaru e Daimon estavam cépticos, mas realmente era ele! Ele estava diferente. Além do braço cibernético, ele estava com muito mais poder que antes! Como isto poderia ser? Rugal estava com uma sede terrível de vingança! Ele acenou para o Time Heróis, mas tinha um novo aliado. Sua outra secretária, Vice, o apresentou. Benimaru e Daimon ficaram surpresos, mas Kyo estava mudo. Era Saisyu Kusanagi, seu próprio pai! Kyo estava cheio de alegria e felicidade, mas ficou paralisado quando seu pai o desafiou para uma luta. Os olhos dele indicavam que ele não era o mesmo. Rugal tinha feito uma lavagem cerebral, e ordenou que ele matasse o próprio filho! Kyo ficou confuso lutando com seu próprio pai, mas Benimaru e Daimon lutaram essa batalha por ele. Saisyu era um oponente formidável, sendo o pai e mestre de Kyo, mas ele não pôde lutar com todo o seu potencial, devido à resistência dele à lavagem cerebral. Ele foi derrotado finalmente, mas Benimaru e Daimon estavam exaustos e não podiam lutar mais. Saisyu recuperou os sentidos e chamou Kyo. Ele pediu a seu filho para derrotar Rugal, e vingá-lo. Então, Saisyu perde a consciência. Kyo se levanta lentamente, e enfrenta Rugal uma vez mais. Porém, enfrentando a raiva de Kyo, estava o ódio de Rugal! Ele começou a emitir, de repente, uma aura previamente indetectável e seu poder começou a subir a níveis inesperados! O aparecimento dessa força o levou a uma forma diferente, agora com um olhar demoníaco! Era a fúria de Omega Rugal! A última batalha começou na plataforma de mísseis de Rugal, escondida numa base subterrânea. Embora Kyo lutasse com o mesmo entusiasmo do ano passado, o novo poder adquirido por Rugal estava muito além do que Kyo podia suportar. Seu poder e velocidade estavam dobrados e, junto com o sentimento de ódio e vingança, as coisas começaram a ficar difíceis para Kyo. Porém ele foi ajudado por seus amigos Terry, Ryo, Athena, entre outros. Todos eles lhe deram forças para ir em frente. Kyo se levantou uma vez mais. Nesse instante a maré começou virar a favor de Kyo. Rugal estava começando a perder o controle de seu próprio corpo. Kyo forçou Rugal a dar tudo de si, mas isso levou a sua própria queda. O poder em seu corpo começou a ficar descontrolado. Seu corpo começou a se contrair e a explodir. Durante o sofrimento dele, uma voz profunda poderia ser ouvida em um lugar distante: "Você se engana! Só os da linhagem de sangue podem controlar tal poder! Não tem nenhuma chance!" Rugal jurou vingança e um pilar de luz o consumiu. Kyo ofuscou-se. Quando se virou, Rugal e Iori, após ter surrado seus companheiros de time, Billy e Eiji, tinham desaparecido. Levando Benimaru e Daimon com ele, Kyo escapa da base. Agora, embora Rugal estivesse sem dúvida destruído, ninguém poderia dizer se o torneio estava morto ou não e ninguém poderia contar que horror estava por trás do poder que Rugal obteve. Não muito longe dali, Saisyu observa com orgulho o homem que seu filho havia transformado-se.