O Rei Leão (musical)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de The Lion King (musical))
Ir para: navegação, pesquisa
O Rei Leão
The Lion King Musical.png

O poster oficial do O Rei Leão - Musical
Música Elton John
Letra Tim Rice
Libreto Roger Allers
Irene Mecchi
Baseado em No filme da Disney de mesmo nome de 1994
Produção Broadway 1997
Londres 1999
França 2007
Japão 1998
Países Baixos 2004
Espanha 2011
Brasil 2013
inúmeras produções internacionais
Prêmios 1998 Tony Award de Melhor Musical

O Rei Leão é um musical em exibição na Broadway de Nova Iorque desde julho de 1997, produzido pela Walt Disney Theatrical e baseado no filme de animação da Disney, . A música é de Elton John com letras de Tim Rice, com músicas adicionais de Hans Zimmer, Lebo M, Mark Mancina, Jay Rifkin e Julie Taymor. Dirigido por Julie Taymor, que se tornou a primeira mulher á ganhar o Tony de Melhor Direção, o show conta com atores em fantasias de animais, bem como gigantes e ocos fantoches.

O musical estreou 08 de julho de 1997, em Minneapolis, Minnesota, no Teatro Orpheum, e foi um sucesso instantâneo antes de sua estréia na Broadway no Teatro New Amsterdam em 15 de outubro de 1997; A abertura oficial foi no dia 13 de novembro de 1997. Em 13 de junho de 2006, a produção da Broadway mudou-se para o Teatro Minskoff para abrir caminho para a versão musical de Mary Poppins; no Minskoff ainda está em cartaz depois de mais de 6.700 apresentações. Tornou-se o quarto mais longo musical da história da Broadway e a maior bilheteria de uma produção da Broadway em todos os tempos, tendo arrecadou mais de US $ 1 bilhão. [1]

O show estreou em West End no Lyceum Theatre em 19 de Outubro de 1999 e ainda está em execução. O elenco da produção do West End foram convidados para se apresentar no Royal Variety Performance 2008, no London Palladium em 11 de dezembro, na presença de altos membros da família real britânica.

Em junho de 2012, foi confirmada a estreia, para 28 março de 2013, de uma produção em São Paulo, com a atriz sul-africana (e ex-atriz da tournê nacional) Phindile Mkhize no papel da babuína Rafiki e com as as traduções sendo feitas por Gilberto Gil. [2]

Adaptação[editar | editar código-fonte]

O musical incorpora várias alterações e adições à história, em comparação com o filme. O babuíno Rafiki foi alterado para um papel feminino porque Taymor notou que não havia nenhuma personagem feminina principal no filme.[3] Rafiki foi retratado por Tsidii Le Loka no musical original da Broadway, e por Josette Bushell-Mingo em a produção original de Londres.

O Rei Leão na Broadway e West End[editar | editar código-fonte]

Várias novas cenas estão presentes, incluindo uma conversa entre Mufasa e Zazu sobre a parentela de Mufasa e uma cena perigosa em que Timão se encontra quase se afogando em uma cachoeira enquanto Simba se sente impotente para ajudá-lo. Uma adição a narrativa principal é a representação da partida de Nala na "The Madness of King Scar", onde o vilão se deteriorando mentalmente tenta fazer de Nala sua companheira. Nala se recusa e depois anuncia sua intenção de sair das Terras do Reino e encontrar ajuda. Ela recebe as bênçãos das leoas e Rafiki durante a nova música "Shadowland".

O Rei Leão em Cartaz no Lyceum Theatre

Como seu antecessor, A Bela e a Fera (musical), o show acrescenta mais músicas para a sua produção de palco, incluindo "Morning Report", cantada por Zazu e mais tarde acrescentada ao filme para o lançamento em Platinum Edition DVD. "Shadowland", originalmente apresentado no CD Rhythm of the Pride Lands com letras zulus como "Lea Halelela", foi adaptada para o musical com novas letras em inglês. É cantado por Nala, as leoas, e Rafiki. "Endless Night", também do Rhythm of the Pride Lands com letras Swahili em "Lala", é cantada por Simba, enquanto refletia sobre a promessa de Mufasa sempre estar lá. "One by One" da Rhythm of the Pride Lands foi adaptado como uma música no estilo africano empolgante cantada pelo coro, na abertura do segundo ato.

Muitos dos animais retratados na produção são atores no traje usando ferramentas extras para mover suas fantasias. Por exemplo, as girafas são retratados por atores andando em pernas de pau. Para personagens principais, como Mufasa e Scar, os trajes apresentam apetrechos mecânicos que pode ser elevada ou descida para alimentar a ilusão de do andar de um gato. Outros personagens, como as hienas, Zazu, Timão, Pumba e, são retratados por atores em bonecos em tamanho natural ou fantasias. O personagem Timão é descrito por Taymor como um dos papéis mais difíceis de dominar, porque o movimento da cabeça e os braços do boneco coloca uma pressão sobre os braços do ator, costas e pescoço.[4]

O compositor Lebo M liderou o coro da Broadway original. Os membros do coro são normalmente visíveis na produção, em vez de ser escondido nas sombras, como visto em alguns outros shows musicais.

A nova música, the Lioness Hunt, apresenta uma sequência de dança particularmente complicado para as atrizes, e a dança é ainda mais difícil pelos grandes capacetes usados ​​durante a cena.

Durante a temporada do espetáculo na China, elementos chineses foram incluídos no musical. Uma das músicas foi adaptado para uma canção pop chinês bem conhecido, "Laoshu ai dami" ou "Mice Love Rice". O elenco ainda contava piadas e tentativas de conversas com o público em chinês[5]

Em 27 de junho de 2010, nove minutos da versão da Broadway foram cortados, entre eles todo o número musical de "Morning Report". A canção também foi removida das produções posteriores e gravações do elenco, como a versão espanhola.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Primeiro Ato[editar | editar código-fonte]

Rafiki é avisado por Mufasa e Sarabi sobre Simba, que nasceu há pouco tempo. Ele junta todos os animais da floresta em uma pedra, para começar a apresentação de Simba ("Circle of Life"). Após isso, Simba cresce e vira uma criança. Mufasa e seu filho vão para a pedra do rei, para Mufasa dizer para Simba que tudo que o Sol toca pertencerá á Simba um dia ("Grasslands Chant"). Zazu chega e conta para Mufasa sobre as coisas que estão acontecendo no reino, atualmente ("The Morning Report", atualmente cortada da versão da Broadway e da Espanha). Simba tenta caçar Zazu, mais bate com a cabeça em uma pedra. Mufasa o aconselha a como caçar, e Simba pula em cima de Zazu. Após ser caçado, Zazu recebe a noticía de que três hienas invadiram o reino. Mufasa vai procula-las, e Simba não pode ir junto. Ele pergunta para seu tio Scar o que é que há naquela parte do reino em que o sol não toca. Ele diz que um cemitério de elefantes não é coisa para uma criança. Simba fica alegre e vai contar a novidade para sua amiga Nala, que está com sua mãe perto dalí. Ao encontrar Sarabi (mãe de Simba) e Sarafina (mãe de Nala), as leoas começam a fazer uma dança, que significa que elas vão caçar antílopes ("The Lioness Hunt"). Sarafina diz para os dois que eles podem ir no olho d'água, apenas se Zazu for com eles. Simba fica chateado, e faz de tudo para encher Zazu ("I Just Can't Wait to be King!"). Eles fogem do olho d'água, e correm para o cemitério de elefantes, onde as três hienas residem. Elas tentam matar Simba e Nala, mais Mufasa chega e as afugenta ("Chow Down"). Mufasa fica chateado com Simba, pois ele o desobedeceu, e fala com ele que se ele tivesse morrido, os Grandes Reis do Passado iriam aceitá-lo, mais que eles continuam vivendo em todos eles ("They Live In You"). Perto dalí, Scar e as hienas reclamam de Mufasa e Simba. Scar tem um plano para matar seu irmão, e o conta para as hienas ("Be Prepared"). Após um tempo, as hienas assustam uma manada de antílopes, que emerge do palco, e quase mata Simba ("The Stampeade"). Mufasa recebe a noticía que Simba está lá, e vaí salvar seu filho. Ele o salva, mais fica preso num galho, e pede ajuda á Scar. Scar machuca o seu irmão, que cai embaixo da manada, e morre. Scar fala para Simba que ele foi o culpado de tudo, e fala que ele deve ir embora e nunca mais retornar. Scar conta para todos sobre a morte de Simba e a morte de Mufasa. Rafiki ouve a noticía e volta tristonho para o seu baobá, onde chora pela morte de Mufasa ("Rafiki Mourns"). Scar então se prepara para assumir o trono deixado por seu irmão ("Be Prepared (Reprise)") Simba é encontrado por Timão e Pumba, dois aventureiros que passeiam e vivem na floresta. Eles o ensinam o verdadeiro lema da vida ("Hakuna Matata"), e o levam para um passeio nas matas. Simba cresce, vira um adolescente e entra na música dançando e cantando.

Segundo Ato[editar | editar código-fonte]

O segundo ato começa com vários passáros e homens e mulheres que dançam ao redor de um lago, com um fundo azul (One by One). Após a música, todos os passáros e a beleza são trocados por esqueletos de elefantes, gaiolas, e Scar. Uma terrível seca atingiu a Pedra do Rei. Scar reclama com Zazu e as hienas que ele não tem nenhum sucessor na hierarquia, e que só há apenas uma leoa disponível. Uma Nala adolescente entra no cenário e explica para Scar que por causa dele, a Pedra do Rei está fracassando. Scar tenta agarrar Nala, que reage, atingindo a face de Scar e correndo ("The Madness of King Scar"). Nala sai da Pedra do Rei, e se encontra com as leoas, que decidem sair para caçar ("Shadowland"). Simba, Timão e Pumba andam pela floresta ("The Lion Sleeps Tonight"), e Pumba é atacado por Nala, que acaba atacando Simba. Simba se lembra do ataque de Nala, quando eles ainda erão crianças, e se apaixonam ("Can You Feel The Lopve Tonight?"). Simba acha Rafiki e o pergunta sobre os Grandes Reis do Passado. Ele vê uma nuvem com o formato de Mufasa, e reclama com ele sobre a ajuda que ele o dá ("Endless Night"). Rafiki descobre que Simba está vivo, e vai contar a novidade para as leoas ("He Lives In You (Reprise)"). Simba entra na comemoração cantando e dançando, vê um quadro com o formato do rosto do seu pai (Mufasa's Ghost). Há uma pausa instrumental, e Simba termina a música se juntando com Rafiki. Simba faz de tudo para matar seu tio Scar, que mentiu para todo mundo. Ele o acha, e descobre que Scar, não Simba, foi o culpado pela morte de Mufasa ("Simba Confronts Scar"). Scar morre, e Simba se reúne com Rafiki, Timão e Pumba para tomar o seu lugar como rei ("King of Pride Rock"). Nala, Zazu e os outros personagens entram no palco, e se juntam com Simba para o início de uma Era, com Rei Simba e Rainha Nala, e a filha deles, Kiara ("Circle of Life (Reprise)").

Turnês/Produções[editar | editar código-fonte]

O teatro em Hamburgo onde o musical está atualmente

Músicas[editar | editar código-fonte]

Primeiro acto[editar | editar código-fonte]

The Lion King na Broadway

*: A canção The Morning Report foi cortada da versão da Broadway em 27 de junho de 2010.

Segundo acto[editar | editar código-fonte]

  • One by One
  • The Madness of King Scar
  • Shadowland
  • The Lion Sleeps Tonight
  • Endless Night
  • Can You Feel the Love Tonight
  • He Lives in You
  • Simba Confronts Scar
  • King of a Pride Rock
  • Circle of Life (Reprise)

Elenco da Broadway (original)[editar | editar código-fonte]

Actor Personagem
Jason Raize Simba Adulto
Samuel E. Wright Mufasa
John Vickery Scar
Scott Irby-Ranniar Simba Criança
Max Casella Timão
Tom Alan Robbins Pumba
Tsidii Le Loka Rafiki
Heather Headley Nala
Geoff Hoyle Zazu
Tracy Nicole Chapman Shenzi
Stanley Wayne Mathis Banzai
Kevin Cahoon Ed
Gina Breedlove Sarabi
Kajuana Shuford Nala Criança

Elenco original brasileiro[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Tiago Barbosa Simba Adulto
Phindile Mkhize Rafiki
Josi Lopes Nala
César Mello Mufasa
Renata Villella Sarabi
Osvaldo Mil Scar
Primeira Temporada (2013):

Gustavo Bonfim, Henrique Filgueiras, Matheus Braga, Yudchi Taniguti

Segunda Temporada (2014):

Cauã Martins, Gustavo Bonfim, Kayky Reis, Yudchi Taniguti

Simba Jovem
Primeira Temporada (2013):

Any Gabrielly, Karollyne Nascimento, Laís Dias, Ysa Moreno

Segunda Temporada (2014):

Ayumi Higa/Jamilly Mariano/Karollyne Nascimento/Queren Rachel

Nala Jovem
Rodrigo Candelot Zazu
Marcelo Klabin Pumba
Ronaldo Reis Timão
Jorge Neto Banzai
Juliana Peppi Shenzi
Felippe Moraes Ed

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Original Produção da Broadway[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Nomeação Resultado
1998 Drama Desk Awards Melhor Musical Indicado
Melhor Ator Coadjuvante Max Casella Indicado
Geoff Hoyle Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante Tsidii Le Loka Venceu
Melhor Diretor Julie Taymor Venceu
Melhor Coreografia Garth Fagan Venceu
Melhor Orquestração Robert Elhai, David Metzger, e Bruce Fowler Indicado
Melhor Direção de Arte Richard Hudson Venceu
Melhor Figurino Julie Taymor Venceu
Melhor Iluminação Donald Holder Venceu
Melhor Design de Som Tony Meola Venceu
Melhor Design de Marionetes Julie Taymor e Michael Curry Venceu
Theatre World Awards Max Casella Venceu
Tony Awards Melhor Musical Venceu
Melhor Libreto Roger Allers e Irene Mecchi Indicado
Melhor Música Elton John, Tim Rice, Hans Zimmer, Lebo M, Mark Mancina, Jay Rifkin and Julie Taymor Indicado
Melhor Ator Coadjuvante Samuel E. Wright Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante Tsidii Le Loka Indicado
Melhor Direção Julie Taymor Venceu
Melhor Coreografia Garth Fagan Venceu
Melhor Orquestração Robert Elhai, David Metzger e Bruce Fowler Indicado
Melhor Direção de Arte Richard Hudson Venceu
Melhor Figurino Julie Taymor] e Michael Curry Venceu
Melhor Iluminação Donald Holder Venceu

Original Produção de Londres[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Nomeação Resultado
1999 Laurence Olivier Award Melhor Novo Musical Indicado
Melhor Ator Coadjuvante Rob Edwards Indicado
Melhor Atriz em Musical Josette Bushell-Mingo Indicado
Melhor Direção Julie Taymor Indicado
Melhor Coreografia Garth Fagan Venceu
Melhor Direção de Arte Richard Hudson Indicado
Melhor Figurino Julie Taymor Venceu
Melhor Iluminação Donald Holder Venceu

Original Produção Francesa[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Nomeação Resultado
2008 Molière Awards Melhor Musical Venceu
Melhor Figurino Julie Taymor Venceu
Melhor Design de Iluminação Donald Holder Venceu

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A atriz Tsidi Manye (Rafiki) confessou que esse é o seu melhor trabalho como atriz.
  • A atriz Zama Maguduela participou de três produções do musical: 2005, 2006, e 2007. Ela fez uma participação na única performance que Sydney, Austrália, recebeu.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. http://www.playbill.com/celebritybuzz/article/long-runs-on-broadway-109864
  2. Coletiva de imprensa do musical 'O Rei Leão'
  3. The South Bank Show: The Lion King Musical
  4. Taymor, Julie, The Lion King: Pride Rock on Broadway, (Disney Editions, 1998)
  5. O Rei Leão na China.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

The Lion King (em inglês) no Internet Broadway Database