The Mamas & the Papas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
The Mamas & The Papas
The Mamas & The Papas no The Ed Sullivan Show em 1968
Informação geral
Origem Nova Iorque, Nova Iorque
País  Estados Unidos
Gênero(s) Folk rock
Rock psicodélico
Sunshine pop
Período em atividade 1965-1968;
1971-1972
1982-1994
Gravadora(s) Dunhill Records
Integrantes Denny Doherty
Cass Elliot
John Phillips
Michelle Phillips
Jill Gibson
Mackenzie Phillips
Elaine McFarlane
Laurie Beebe

The Mamas & The Papas foi um grupo vocal formado em Nova Iorque, Estados Unidos, nos anos 1960, por John Phillips (responsável pelas composições do grupo), Michelle Phillips, 'Mama' Cass Elliot e Denny Doherty. Entre 1966 e 1968, alcançaram renomados sucessos nas paradas de todo o mundo com canções como “Monday, Monday” e "California Dreaming'", até hoje suas canções mais conhecidas.

O The Mamas & The Papas foi uma das únicas bandas norte-americanas a conseguir manter o sucesso e a par de poder competir com a Invasão Britânica. O grupo gravou e se apresentou de 1965 a 1968, lançando cinco álbuns e legou dez sucessos entre os compactos mais vendidos.

O grupo teve bastante sucesso , que se deve as belas harmonizações vocais, acompanhamento em estúdio, de seus discos, por músicos profissionais, e a sua participação na contracultura sessentista. O grupo também deixou um legado de excelentes releituras de vários sucessos de outros artistas dos anos 1960, como “I Call Your Name”, “Do You Wanna Dance?”, “My Girl” e “Twist and Shout”.

História[editar | editar código-fonte]

O nome The Mamas & The Papas surgiu inspirado por um programa de televisão, em que seus integrantes assistiam a uma entrevista com alguns Hell's Angels e um deles disse que chamavam suas mulheres de 'mammas', o que bastou para que Cass e Michelle quisessem ser 'mammas também, sobrando então para John e Denny serem os 'papas'.

Em 1966, o grupo lançou seu primeiro álbum, If You Can Believe Your Eyes and Ears, que trazia dois dos seus maiores sucessos, "California Dreaming" e "Monday, Monday", e atingiu o primeiro lugar nas paradas americanas. Em 2003, a revista especializada em música Rolling Stone listou este álbum na 127ª posição entre os 500 melhores de todos os tempos.

John Phillips casou-se com Michelle Gillian em 1962. Depois do início do sucesso do grupo, Michelle e Denny Doherty, o principal vocalista, começaram um romance que mativeram em segredo dos outros membros do grupo, até ser descoberto pelo marido John. Posteriormente, Michelle acabou se envolvendo com Gene Clark do grupo The Byrds. Com isso, John Philips consultou advogados, e Michelle acabou sendo formalmente demitida do grupo em 1966. Para seu lugar foi contratada Jill Gibson, antes do lançamento do segundo álbum chamado The Mamas & The Papas.

O álbum trouxe os sucessos Dancing in the Street, Words Of Love e Dedicated To The One I Love e atingiu o quarto lugar nas paradas de sucesso americanas. Como os fãs não aceitaram muito Jill, o grupo aceitou Michelle de volta ainda em 1966. John e Michelle acabaram se reconciliando pouco tempo depois.

Em 1967, lançaram o álbum Deliver, que foi segundo lugar nas paradas dos mais vendidos e trouxe alguns sucessos como "My Girl" e "Creeque Alley". Neste mesmo ano, John Philips ajudou a organizar o Festival de Monterey Pop, no qual o grupo se apresentou, uma de suas últimas apresentações ao vivo.

O Fim[editar | editar código-fonte]

Ainda em 1967, após uma discussão com John Phillips, Mama Cass abandonou o grupo e só uniu-se ao grupo um ano mais tarde para gravação do último álbum por exigência contratual. O quarto álbum do grupo atingiu o décimo quinto lugar nas paradas e conseguiu algum sucesso com "Dream a Little Dream of Me", que foi creditado como sendo gravado por Mama Cass with The Mamas and The Papas e é cantada apenas por ela.

Em 1971, a gravadora do grupo exigiu a gravação de mais um disco, People Like Us, que pode ser considerado como um quase-retorno do grupo.

Pós The Mamas & The Papas[editar | editar código-fonte]

John Philips tornou-se produtor cinematográfico, e Michelle Gillian (de quem se divorciou) começou carreira de atriz. Denny Doherty e Cass Elliot lançaram discos solo, mas foi ela que conseguiu maior destaque, e fez sucesso com as canções "Make Your Own Kind of Music", "Dream a Little Dream of Me" e "It's Getting Better".

- "Mama" Cass Elliot (Ellen Naomi Cohen) morreu de ataque do coração em 29 de julho de 1974, após se apresentar em shows solo em Londres. John Philips também morreu de problemas cardíacos em 18 de março de 2001. Denny Doherty morreu em 19 de janeiro de 2007, aparentemente por causa do aneurisma abdominal, nunca curado. Michelle é a única sobrevivente da primeira formação.

The Mamas & The Papas New Generation: A reconstituição e a renovação[editar | editar código-fonte]

Em 1982, Denny Doherty fez uma reconstituição de "the Mamas and the Papas", com John Phillips, a sua filha Mackenzie Phillips e Elaine Spanky McFarlane, apresentando velhos êxitos e novos temas escritos por John Phillips. Doherty produziu um espectáculo na Broadway, intitulado Dream a Little Dream que consistia na narração da história de "The Mamas & the Papas" segundo a sua perspectiva. Foi bem recebido e teve críticas favoráveis.

Pouco antes de 1992 a formação do grupo era: John Phillips, Scott McKenzie (compositor do sucesso 'San Francisco'), Lisa Brascia e Deb Lyons. O novo quarteto gravou em 1995 um CD ao vivo (Que só foi lançado em 1998) intitulado "California Dreamin Live In Concert". Desde então o grupo passou por diversas formações sempre tendo a frente o "papa" John Phillips. Em 1992 John recebeu um transplante de fígado e passou a dirigir os novos vocalistas.

Depois escolhidos a dedo pelo próprio John Phillips vieram: Chrissy Faith, Janelle Sadler, David Baker e Mark Williamson.

Com a morte de John aos 65 anos (em 2001) o maestro John Kito (tecladista e diretor musical do grupo, conhecido também como John Buonamassa) assume o comando. Entram os novos 'papas': Manny Moreira e Jeffrey Ross para se integrar com as 'mamas' Crissy Faith e Janelle Sadler.

Ao longo dos anos, The Mamas and the Papas têm insistido em representar uma idéia, um som, um modo de vida. Eles ainda se recusam a depender de um vocalista gritando, um estilo de cabelo, ou um guitarrista chamando a atenção para si. Além disso, John escreveu e arranjou tantas grandes canções, que nunca The Mamas and the Papas precisa preencher o seu tempo no palco, recorrendo a medleys de canções de outros artistas para preencher sua hora no palco ou para agradar o público. Os novos The Mamas and Papas continuam a tradição que John começou. Eles ainda mantêm vivos os sonhos e esperanças de todas as gerações.

Em qualquer apresentação do The Mamas and The Papas pelo mundo você vai olhar para a platéia e vai ver, pelo menos, três gerações assistindo, ouvindo e cantando junto. John ainda deixou o depoimento sobre o The Mamas and The Papas (New Generation): "Quando as harmonias realmente começam a trabalhar, temos um tom especial, como uma quinta voz. Nós apelidamos de 'Harvey'. Tudo o que posso dizer sobre a música é que 'Harvey' está aparecendo bastante estes dias!"

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • If You Can Believe Your Eyes and Ears (1966)
  • The Mamas and the Papas (1966)
  • Deliver (1967)
  • The Papas & the Mamas (1968)
  • People Like Us (1971)

Extras

  • California Dreamin': Live in Concert

Obs: Este show "ao vivo" foi gravado em 3 de Julho de 1995 (com uma nova formação) e lançado em 1998. Os integrantes eram: John Phillips, Scott McKenzie, Lisa Brescia e Deb Lyons.

Ver também[editar | editar código-fonte]

The Magic Numbers

Flag of the United States.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical dos Estados Unidos, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.