The Second Coming

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde julho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ícone Russo representando o Segundo Advento

"The Second Coming" (que pode ser traduzido em português por "O Segundo Advento") é um poema do escritor anglo-irlandês William Butler Yeats de 1919, originalmente publicado em Novembro de 1920 na revista americana The Dial e, posteriormente, na coletânea Michael Robartes and the Dancer, de 1921.

O poema apresenta uma temática de angústia e testemunho de decadência aparente, utilizando imagens do Apocalipse e sobre a Parusia como uma alegoria para descrever a atmosfera na Europa, no final da Primeira Guerra Mundial.

Poema (texto original em inglês)[editar | editar código-fonte]

Turning and turning in the widening gyre
The falcon cannot hear the falconer;
Things fall apart; the centre cannot hold;
Mere anarchy is loosed upon the world,
The blood-dimmed tide is loosed, and everywhere
The ceremony of innocence is drowned;
The best lack all conviction, while the worst
Are full of passionate intensity.

Surely some revelation is at hand;
Surely the Second Coming is at hand.
The Second Coming! Hardly are those words out
When a vast image out of Spiritus Mundi
Troubles my sight: somewhere in sands of the desert
A shape with lion body and the head of a man,
A gaze blank and pitiless as the sun,
Is moving its slow thighs, while all about it
Reel shadows of the indignant desert birds.
The darkness drops again; but now I know
That twenty centuries of stony sleep
Were vexed to nightmare by a rocking cradle,
And what rough beast, its hour come round at last,
Slouches towards Bethlehem to be born?

Referências ao poema[editar | editar código-fonte]

Algumas frases do poema tornaram-se referências na língua inglesa, principalmente "Things fall apart; the centre cannot hold." (Tradução aproximada: "As coisas se desfazem; o centro não pode se manter." Stephen King, por exemplo, faz repetidas referências a esse poema em sua obra The Stand de 1978.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]