The Taking of Pelham One Two Three (1974)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Taking of Pelham One Two Three
Assalto ao metrô 123 (PT)
O sequestro do metrô (BR)
 Estados Unidos
1974 • cor • 104 min 
Direção Joseph Sargent
Roteiro Peter Stone (roteiro)
Elenco Walter Matthau
Robert Shaw
Martin Balsam
Hector Elizondo
Género Policial
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

The Taking of Pelham One Two Three (pt.: Assalto ao metrô 123 / br.: O sequesto do metrô), também conhecido em inglês como The Taking of Pelham 123, é um filme estadunidense de 1974 do gênero "Policial", dirigido por Joseph Sargent e produzido por Edgar J. Scherick. O roteiro de Peter Stone adapta a novela homônima de Morton Freedgood (que usou o pseudônimo de John Godey) e, apesar da história violenta, usa de muito sarcasmo e humor negro nos diálogos entre os personagens.

Houve refilmagens para a TV em 1998 e para o cinema em 2009.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Reféns
  • Cynthia Belgrave
  • Anna Berger…mãe
  • Gary Bolling…homossexual
  • Carol Cole…secretária
  • Alex Colon…mensageiro
  • Joe Fields…vendedor
  • Mari Gorman
  • Michael Gorrin…velho
  • Thomas La Fleur…filho do velho
  • María Landa…mulher latina
  • Louise Larabee…bêbada
  • George Lee Miles
  • Carolyn Nelson
  • Eric O'Hanian
  • Lucy Saroyan
  • William Snickowski…Hippie
  • Barry Snyder

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Na agitada cidade de Nova Iorque, quatro homens fortemente armados (que chamam a si próprios com nomes em inglês de cores - Mister Blue ou "Senhor Azul", Mister Green ou "Senhor Verde", Mister Grey ou "Senhor Cinza" e Mister Brown ou "Senhor Marrom" - e se disfarçam com bigodes falsos, óculos e chapéus), sequestram uma composição do metrô (identificada pela estação e horário que partiu, ou seja, Pelham 123).

Enquanto isso, o entediado tenente Zachary Garber, responsável pela segurança nas estações, apresenta o centro de controle de operações para um grupo de funcionários do metrô de Tóquio. Esse trabalho é interrompido pelo anúncio do sequestro dado por rádio pelo Senhor Blue (um mercenário inglês) que pede 1 milhão de dólares para libertar um grupo de passageiros que mantém cativo em um dos vagões. Ele ameaça matar os passageiros se não receber o dinheiro exatamente em uma hora. As autoridades percebem que o homem não está a brincar, quando chega a notícia da morte de um funcionário do metrô, que fora até o vagão para descobrir o que estava a acontecer.

A partir daí Garber começa as negociações, buscando desesperadamente ganhar tempo e salvar reféns enquanto tenta descobrir o plano de fuga dos bandidos.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Produção[editar | editar código-fonte]

  • Trechos das cenas nos túneis foram filmadas na Linha da Estação da Rua Fulton e na então abandonada Estação da Rua Court no Brooklyn (atualmente serve como ligação até o Museu de Trânsito da Cidade de Nova Iorque). O Controle de Operações foi reconstruído nos estúdios de filmagens.
  • Locações na esquina da Rua 28 com a Park Avenue no sul de Manhattan foram usadas nas cenas de entrega do dinheiro, à vista de uma multidão de pessoas e policiais. As autoridades de trânsito da cidade quase não cooperaram com o filme temendo que o mesmo inspirasse esse crime na vida real mas acabaram cedendo com o pagamento de um seguro de $250 000 para o metrô. O prefeito John Lindsay também participou de algumas tratativas para a produção, autorizando a filmagem em Nova Iorque. Mesmo assim algumas passagens foram filmadas no Canadá.
  • Jerry Fielding interpreta a popular canção composta e arranjada por David Shire. A trilha sonora foi o primeiro CD lançado pela Film Score Monthly. Mais tarde foi relançada pela Retrograde Records.[1] Nos letreiros finais há um arranjo mais alongado, sugestão de Talia Shire, esposa do compositor à época.[2]
  • As autoridades de transporte da cidade, por muitos anos baniram a saídas de trens de Pelham no horário de 1h e 23 min. Posteriormente, a proibição foi retirada mas a referência a esse horário continua a ser evitada.[3]

Nominações[editar | editar código-fonte]

BAFTA
Roteiristas dos Estados Unidos
  • 1975: Indicado como "Melhor roteiro de drama adaptado" — Peter Stone

Refilmagens[editar | editar código-fonte]

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

  • O sistema de nomes de cores dos sequestradores foi usado em outros filmes, sendo o mais lembrado o de Quentin Tarantino em Reservoir Dogs. A série de TV The Unit também se utiliza, como meio de esconder os nomes e postos dos operativos militares que ali aparecem.
  • O filme foi a inspiração para a canção de Carter USM chamada "The Taking of Peckham One Two Three".
  • Uma referência ao filme aparece na letra da canção de Beastie Boys, "Sure Shot", em álbum de 1994 (Ill Communication): "Well, it's the taking of Pelham, one, two, three / If you want a doodie rhyme then come see me"

Referências

  1. FSM-80123-2
  2. Adams, Doug. CD liner notes
  3. Dwyer, Jim, "Subway lives : 24 hours in the life of the New York City subway", Crown, 1991, ISBN 051758445X

Ligações externas[editar | editar código-fonte]