The Uninvited (2009)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Uninvited
Os Indesejados (PT)
O Mistério das Duas Irmãs (BR)
 Estados Unidos
 Canadá
 Alemanha

2009 •  cor •  87 min 
Direção Charles Guard
Thomas Guard
Produção Roy Lee
Laurie MacDonald
Walter F. Parkes
Coprodução Casey Grant
Riyoko Tanaka
Produção executiva Doug Davison
Michael Grillo
Tom Pollock
Ivan Reitman
Roteiro Craig Rosenberg
Doug Miro
Elenco Emily Browning
Arielle Kebbel
Género Drama
Horror
Mistério
Música Christopher Young
Direção de fotografia Daniel Landin
Cinematografia Daniel Landin
Edição Christian Wagner
Distribuição Paramount (DreamWorks)
Lançamento Canadá e Estados Unidos 30 de janeiro de 2009
Brasil 29 de maio de 2009
Portugal 30 de julho de 2009
Idioma inglês
Receita US$ 41 624 046 [1]
Página no IMDb (em inglês)

The Uninvited (O Mistério das Duas Irmãs (título no Brasil) ou Os Indesejados (título em Portugal)) é um filme teuto-canadense-norte-americano dirigido por Charles e Thomas Guard.


Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Anna ficou em uma instituição psiquiátrica por dez meses, após sua tentativa de suicídio depois que sua mãe doente terminal morre em um incêndio numa casa de barco. Saindo da instituição, ela não tem nenhuma memória do evento, mas sofre frequentemente de pesadelos relacionados. Um paciente do quarto em frente ao dela fala algo pertubador para Anna. Pouco tempo depois, ela sai com seu pai, Steven, um escritor que dedicou seu último livro para Anna e sua irmã.

Em casa, Anna se reúne com sua irmã, Alex, com quem ela é muito próxima. As irmãs estão contra a namorada de Steven, Rachel, que tinha sido enfermeira de sua mãe enquanto era viva. Alex critica Steven por dormir com Rachel, enquanto a mãe das meninas ainda estava viva e doente na cama, mas ele não responde.

Anna descreve a Alex como as cenas de seus sonhos começaram a acontecer enquanto ela está acordada. As irmãs ficam convencidas de que as alucinações são mensagens de sua mãe, dizendo que ela foi assassinada por Rachel.

Anna alcança seu antigo namorado, Matt, que lhe diz que ele viu o que aconteceu na noite do incêndio. Eles secretamente planejam se encontrar de noite, mas Matt não se apresenta e Anna regressa a casa. Em seu quarto, Anna acorda e vê-lo subir em sua janela, dizendo que ela precisa saber a verdade e que ele tinha um aviso de sua mãe. Eles têm um beijo, mas em seguida, ela percebe que as costas de Matt se contorcem. Então ela foge da sala com medo, mas quando ela volta, ele se foi.

Na manhã seguinte, o corpo de Matt é puxado para fora da água, com as costas quebradas da forma como Anna viu. A polícia suspeita que ele caiu e se afogou. As irmãs são incapazes de encontrar um registro de Rachel como enfermeira e chegam a conclusão que ela é na verdade, Mildred Kemp, uma babá que matou os três filhos, e ela cuidava deles porque tinha uma obsessão com seu pai viúvo.

Eles tentam avisar seu pai, mas ele ignora as suas preocupações e sai para o trabalho. As meninas tentam reunir provas contra Rachel para mostrar a polícia, mas Rachel injeta um sedativo em Alex. Anna foge e vai para a delegacia de polícia local, mas eles não acreditam nas suas reivindicações e chamam Rachel, que acalma Anna e leva para sua casa. Rachel coloca Anna desorientada na cama, Anna vê Alex na porta com uma faca. Alex diz para ela ficar calada e Anna desmaia. Ela acorda e descobre que Alex já matou Rachel e seu corpo está jogado no lixo.

Aliviadas, as meninas confortam-se umas as outras. O pai dirige-se horrorizado com a cena. Anna explica que Rachel tentou assassiná-las, mas Alex salvou suas vidas ao matar Rachel. Confuso, Steven diz que Alex tinha morrido no incêndio, juntamente com sua mãe. Quando Anna olha para baixo, ela descobre que ela não está segurando a mão de sua irmã, mas a faca ensanguentada usada para assassinar Rachel.

Anna finalmente se lembra do que aconteceu na noite do incêndio. Depois de ver seu pai e Rachel tendo relações sexuais, Anna ficou furiosa e encheu um regador de um grande tanque de gasolina na garagem de barcos. Ela não fechou a torneira com cuidado, o que resulta em um rastro de gasolina derramada a partir dele que foi então incendiado por uma vela que cai no chão. Sua mãe e Alex foram mortas na explosão resultante.

Flashbacks revelam que Anna tinha tido uma alucinação sobre Alex desde que ela deixou a instituição. Ela se lembra de matar Matt — que tinha se encontrado com ela anteriormente na sua casa — deixando-o cair e quebrar suas costas numa ribanceira. Ela também se lembra de matar Rachel. A polícia é chamada para prender Anna por assassinato.

Quando Steven é questionado, ele revela que Rachel mudou seu sobrenome anos atrás para escapar de um namorado abusivo, o que explica o motivo de Anna não poder encontrar o registro de Rachel e a história de Mildred Kemp é falsa, o que implica que Anna é mentalmente doente. Na instituição, Anna é recebida de volta pela paciente através do corredor que assustou no início do filme, cujo o nome na placa da porta é "Mildred Kemp".[2]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Local de filmagem[editar | editar código-fonte]

Embora o filme seja ambientado em Maine, foi filmado em Vancouver, na Colúmbia Britânica. A maior parte do filme foi filmado em um único local, uma propriedade a beira-mar em Bowen Island, a uma curta viagem de balsa a oeste de Vancouver. O produtor Walter F. Parkes falou sobre o local: "Oitenta por cento da história se passa na casa, portanto, não poderia fazer o filme sem o lugar certo. Não poderia ter sido mais importante. Nós olhamos Luisiana, um ambiente que era bonito e um pouco ameaçador. Tivemos duas casas que eram compromissos terríveis, mas ambas caíram completamente. Tivemos um momento difícil para encontrar qualquer coisa que tinha tanto a conexão com a história e as possibilidades logísticas certas.

Mas em seguida, tivemos a sorte de encontrar no Canadá um lugar que parecia como se tivesse sido construído para o nosso filme. Era perfeitamente evocativa e sugestiva de uma família que é ao mesmo tempo acolhedora e proibitiva. O fato de que a casa estava a 30 milhas de Vancouver era um problema maior, porém menor do que ter que obter barcos para levá-los todos lá; táxis aquáticos e balsas são um modo de vida lá em cima. Na verdade, eu não me lembro de alguma vez ter um tempo mais agradável em um local. Chegando em um barco e ter uma xícara de café e, em seguida, indo até o pequeno píer e nos degraus que construímos, isso nos focou. Nós fomos isolados com uma coisa em nossas mentes, é o que estava sendo feito neste filme. Foi ótimo."[3]

É relatado que uma garagem de barcos de dois andares no filme foi construída na propriedade com vista para a água apenas para várias cenas. A água fria é áspera e desagradável; devido uma cinza esverdeada que cai constantemente e não é permitida para natação.[4]

Música[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora original para o filme foi composta por Christopher Young, que gravou com uma orquestra de 78 peças e 20 pessoas no coro. Sua pontuação é caracterizada como Harmónica de vidro e Yale Women's Slavic Chorus.[5]

Recepção[editar | editar código-fonte]

The Uninvited teve recepção mista por parte da crítica especializada. Com base em 24 avaliações profissionais, alcançou uma pontuação de 43 em 100 no Metacritic. Em avaliações mistas, do The New York Times, A.O. Scott disse: "O principal problema com The Uninvited reside na sua recusa de decidir exatamente se o filme quer ser um comercial. Ele certamente não tem muito em comum com "A Tale of Two Sisters", o filme de terror coreano assustador de que ele é supostamente uma refilmagem."

Do Wall Street Journal, Joe Morgenstern: "O enredo toma emprestado como que livremente de Hitchcock e Henry James, a partir do Bard of Avon, e não faz sentido escrupuloso, embora eu teria que ver o filme de novo, que eu não vou fazer, para ter certeza que não faz enganação."

Salon.com, Stephanie Zacharek: "Como é geralmente o caso com os filmes de Hollywood que usam filmes asiáticos de terror como sua inspiração, os irmãos Guards parecem ter olhado para o original, tomado emprestado algumas imagens e em seguida, fez o filme de acordo com algum modelo preconcebido que faz o público saltar - em vez de construir galerias para as coisas que assombra nossos sonhos."

Em avaliações favoráveis, do ReelViews, James Berardinelli: "The Uninvited é uma produção falha, mas gratificante no caminho que ela oferece. Os elementos interessantes e originais do filme efetivamente compensam a forma estereotipada em que a trama se desenvolve."

Chicago Sun-Times, Roger Ebert: "O rosto de Emily Browning em The Uninvited funciona tão bem ... Ela faz você ter medo por ela, o que é metade da batalha. No entanto, ela é tão doce que ela está pronta para um papel de Jane Austen. [...] Estou um pouco surpreso com a [classificação] PG-13, mais evidência que as notas da MPAA classifica para o que um filme não tem (nudez, palavrões, sexo) do que o que ele tem, que são imagens que poderiam ser muito mais preocupantes para alguns espectadores mais jovens."[6]

Chicago Tribune, Michael Phillips: "Os atores são fortes, de qualquer maneira, e Banks em particular mostra alguma habilidade e astúcia para manter animada sua malvada e estereotipada madrasta."

Philadelphia Inquirer, Steven Rea: "Com acenos visuais para Stanley Kubrick de "The Shining" e uma adesão bastante fiel ao teor e tom do gênero susto coreano, The Uninvited não assusta e choca tanto como ele o acalma em uma série de conjunto de peças alucinógenas inquitantes."

USA Today, Claudia Puig: "Não será muito fácil para desligar-se de The Uninvited. Um suspense de horror que tem na veia a moda de "The Ring", que é bem atuado, assustador e generosamente produzido."[7]

No Rotten Tomatoes tem um índice de 45%.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. The Uninvited (em inglês) Box Office Mojo. Visitado em 29 de abril de 2015.
  2. The Uninvited (em português) Cine Pop. Visitado em 30 de abril de 2015.
  3. The Perfect House (em inglês) ScifiJapan. Visitado em 18 de janeiro de 2009.
  4. An Invitation to the Set of The Uninvited (em inglês) Shocktillyoudrop. Visitado em 18 de janeiro de 2009.
  5. Christopher Young scores the horror film The Uninvited (em inglês) Scoring Sessions. Visitado em 3 de junho de 2008.
  6. Roger Ebert. The Uninvited 2009 (em inglês) Roger Ebert Ebert Digital LLC. Visitado em 22 de maio de 2015.
  7. The Uninvited (em inglês) Metacritic. Visitado em 29 de abril de 2015.
  8. The Uninvited (em inglês) Rotten Tomatoes. Visitado em julho de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]