The WB Television Network

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de The WB)
Ir para: navegação, pesquisa
The WB
The WB Television Network
200px
País  Estados Unidos
Fundação 11 de janeiro de 1995
por Time Warner e Tribune Company
Extinção 17 de setembro de 2006 para formar, junto com a UPN, a The CW
Pertence a Time Warner
Tribune Company
Warner Bros.
Cobertura América do Norte

O canal The WB Television Network (abreviado para The WB e a abreviação de Warner Bros.) foi um dos canais generalistas dos Estados Unidos da América, foi criado em 11 de Janeiro de 1995, pela Warner Bros. e pela Tribune Company.

No dia 24 de janeiro de 2006, a Warner Bros. Entertainment e a CBS Corporation anunciaram a fusão dos canais The WB e do UPN em um único canal o The CW Television Network. O pouco crescimento (principalmente o pequeno número de afiliadas) e a grande concorrência resultou na união da The WB e da UPN.

A Time Warner volta a usar a marca The WB para uma rede on-line, sendo lançado em 28 de Abril de 2008, cerca de 18 meses depois do fim da Rede The WB. Até que ele foi descontinuado em 2013. O site permitiu aos usuários assistir produções da rede e séries originais, disponível apenas para usuários dos Estados Unidos.

História[editar | editar código-fonte]

1995–97: O Ínicio[editar | editar código-fonte]

The WB Television Network estreou em 11 de Janeiro de 1995, com o episódio inaugural de The Wayans Bros. como seu primeiro programa. O clássico personagem de desenho animado da Warner Bros. Michigan J. Frog apareceu no ar como mascote oficial da rede (com o animador Chuck Jones, em pessoa, o apresentando durante a estreia), permaneceu como marca da rede até 2005. A estrutura de programação da The WB foi similar ao de sua concorrente Fox quando lançada, que começou com uma noite por semana de programação, e então gradualmente adicionando noites de programação ao longo de várias temporadas. A rede começou com uma programação de quarta-feira à noite de duas horas de seriados, as 8 as 10. Os primeiros programas da rede foram principalmente comédias dirigidas a um público etnicamente preto, apesar de várias séries durante os primeiros cinco anos no ar foram direcionados às famílias.

Apesar dos quatro de cinco seriados que estreou com a rede nos primeiros nove meses – The Wayans Bros. Unhappily Ever After, The Parent 'Hood e Sister, Sister (essa última foi resgatada pela The WB, depois de ter sido cancelada pela ABC)  – foram renovadas para mais temporadas, porém nenhuma delas teve nenhum impacto significativo. The WB expandiu sua programação para as noites de domingo na temporada de 1995-1996, mas nenhum dos novos programas (incluindo a série Kirk de Kirk Cameron e a novela noturna Savannah) conseguiu obter muito interesse da audiência.

A rede lançou também o bloco de programação Kids' WB em setembro de 1995, que apresentava uma mistura de séries da Warner Bros. de animações existentes originários da Fox Kids, originalmente foi ao ar de segunda-feira ao sábado pela manhã. The WB continuou a expandir-se na temporada 1996-1997, adicionando programação nas noites de segunda-feira. Esta temporada deu modestos sucessos ao The WB, no drama familiar 7th Heaven e as comédias The Steve Harvey Show e The Jamie Foxx Show

Ficheiro:MichiganJFrog.png
Michigan J. Frog, o antigo mascote da rede.

1997–2000: Atraindo o mercado adolescente[editar | editar código-fonte]

A rede The WB começou a ter sucesso com Buffy The Vampire Slayer (uma série baseada no filme de 1992 com o mesmo nome), que se tornou um sucesso com os críticos, quando estreou como série substituta no meio da temporada, em março de 1997. A série estreou como a maior audiência da noite de segunda-feira na história da rede, atraindo não só novos espectadores adolescentes, mas novos anunciantes também.

Inspirado no sucesso de Buffy, a WB intencionalmente mudou o foco de sua programação, tentando capturar o que é percebido para ser um mercado fortemente fragmentado pelo marketing, para atrair o cortejado público adolescente para audiência. Enquanto a rede Fox, anteriormente lançou seriados teens (séries como Beverly Hills, 90210 e Parker Lewis Can't Lose) e começou a atrair o público mais velho com séries como Ally McBeal, o The WB começou sua identidade com séries programas dirigidos a adolescentes. A rede apostou e conseguiu, sem dúvidas, sua série de assinatura foi Dawson's Creek, que estreou em janeiro de 1998, ao que foi então a maior audiência da história da rede. A série rapidamente se tornou o programa de maior audiência na televisão entre os adolescentes e o programa mais popular na The WB. A popularidade da série impulsionou a rede, que no mesmo período lançou a nova noite de programação, conhecida como ''New Tuesday'', e 7th Heaven desfrutou de um enorme aumento 81% em audiência nessa temporada.

Com três séries de sucesso em sua lista, The WB continou a construir sua base de fãs adolescentes na temporada seguinte, com o drama de faculdade Felicity e o outro grande sucesso Charmed, ambas as séries trouxe novos recordes para rede quando eles respectivamente tiveram 7,1 e 7,7 milhões de espectadores em suas estreias (Charmed teve a estreia de maior audiência na rede até que Smallville quebrou seu recorde, estreando com 8,4 milhões de espectadores, em outubro de 2001). No ínicio da temporada 1998-99, a rede expandiu sua programação para as noites de quinta-feira. Nessa temporada, 7th Heaven conquistou uma audiência que a The WB nunca veria – um episódio em 8 de fevereiro de 1999 da série atraiu 12,5 milhões de telespectadores – e a série ultrapassou Dawson's Creek como programa de maior audiência da rede.

Para a temporada 1999-2000, a rede expandiu-se mais uma vez, adicionando programação nas noites de sexta-feira. Novas séries naquela temporada incluiu Roswell, Popular e Angel o spin-off de Buffy the Vampire Slayer, o último dos que estreou com 7,5 milhões de espectadores – a segunda maior pontuação: estréia paraa rede no momento. Durante esta temporada, a The WB foi a única rede a ter ganhos em sua audiência público total e em cada chave de demográfica.

2000–03: Ampliando o foco[editar | editar código-fonte]

Com a explosão adolescente na década de 1990, começou a diminuir. A The WB tentou alargar o âmbito da sua programação do horário nobre. Embora as séries Roswell e Popular tenham estreado com uma boas classificações de audiência, ambas as séries viram sua audiência definhar no segundo ano, levando a rede a cancelar os dois (Roswell, assim como Buffy the Vampire Slayer foi revivido pela rede rival UPN). Entretando, apesar das boas classificações de Buffy, 7th Heaven e Charmed permaneceram consistentes, já outras perderam o fôlego, a série emblemática Felicity e Dawson's Creek estavam no momento de flacidez. A rede percebeu que não podia contar apenas com os gostos dos jovens adolescentes e assim começou a voltar para séries para famílias, as tentativas de lançar uma série de TV de sucesso visando um público mais diversificado.

Esta nova estratégia fez a rede WB cair para o sexto lugar no ranking (atrás da UPN) durante a temporada 1999-2000, perdendo 19% de sua audiência. Os executivos atribuiram a queda de audiência em grande parte devido a empresa Tribune Company remover a programação da WB da afiliada WGN-TV. Isso reduziu o público doméstico potencial da WB em 10 milhões de lares. (WGN-TV continuou com a The WB até o seu fim em 2006) – a WB fez várias afiliações com vários proprietários de estações (como o Sinclair Broadcast Group e PappasTelecasting Companies), impulsionado pelo lançamento em setembro de 1998 do The WB 100+ Station Group, um serviço nacional somente a cabo que levavam o sinal da rede, serviram a maior parte de 110 mercados de mídia menores da Nielsen nos Estados Unidos, que não tinham estações de televisão.

Apesar do ligeiro abrandamento nos destinos da rede, havia alguns pontos brilhantes na época. Gilmore Girls, que estreou em 2000, rendeu regulares classificações quando estreou em um intervalo de tempo com uma difícil concorrência, mas posteriormente se transformou em um das séries de maior sucesso a rede depois de se mudar para as terças em 2001, onde permaneceu por sete temporadas (movendo-se para a The CW para sua última temporada). Também no outono de 2000, o seriado de fantasia Sabrina, the Teenage Witch da ABC foi para a The WB como parte de sua programação de sexta-feira; a série continuou na rede por mais três temporadas, antes de terminar em maio de 2003. Em outubro de 2001, inspirado em Superman, Smallville estreia com 8,4 milhões de espectadores, a maior estreia da história da rede. A série também foi importante porque foi uma das poucas séries que atraiu uma audiência masculina substancial. Em 2001 também foi o lançamento da série de Reba McEntire, chamada Reba indiscutivelmente foi a mais bem sucedida comédia da rede. Reba e Sabrina serviram como apoio para um novo bloco de comédias na sexta à noite que continuou a maior parte do tempo de vida da rede. Outras séries que ganharam atenção durante o período foi o drama familiar Everwood e a série de vida curta mas aclamado, a sátira Grosse Pointe.

2003–06: Declínio[editar | editar código-fonte]

Apesar de alguns sucessos, a rede se esforçou para mudar seu foco no feminino 12 a 24 para o público de 12 a 34. Em 2005, a rede aposentou Michigan J. Frog, como mascote da marca da rede. O presidente de entretenimento então da The WB David Janollari, explicou em julho de 2005, na turnê de imprensa de verão da rede que "[Michigan] era um símbolo que perpetuava a sensação de jovens adolescentes da rede. Não é a imagem [agora] queremos colocar ao nosso público."

Ainda assim, com o lançamento de novas séries não parecem ajudar a rede. O período de 2003 a 2005 produziu três novas séries viáveis, One Tree Hill, Beauty and the Geek e Supernatural (todas mudaram-se a rede sucessor The CW), e mesmo assim suas audiências foram fracas em comparação com os picos de audiência de Dawson's Creek, que finalizou em maio de 2003. As classificações caíram em séries como Angel (que foi cancelada em 2004), a rede falhou ao lançar novas séries de sucesso para tomar seus lugares.

Embora fosse percebida a incapacidade da The WB em lançar séries de comédia de sucesso (Reba, sendo a única exceção), neste período a rede lutou para estabelecer novos dramas também. Altas falhas como Birds of Prey (uma série inspirada no universo de Batman, estreou em setembro de 2003, com quase 8 milhões de espectadores. Mas a audiência foi caindo a queda episódio, levando o seu cancelamento), Tarzan, Jack & Bobby, The Mountain, e produzido por Jerry Bruckheimer Just Legal, criado por Marta Kauffman Related, e Rebecca Romijn em Pepper Dennis.

Durante a temporada 2004-2005, a The WB terminou atrás do rival UPN, pela primeira vez em quatro anos e caiu ainda mais para atrás no outono de 2005. Ambas as redes ficaram atrás da rede de língua espanhola Univision no público de 18-34.