The Yellow Monkey

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Yellow Monkey
ザイエローモンキー
Informação geral
País Japão
Gênero(s) Hard Rock
Rock and Roll
Período em atividade 1989 - 2004
Gravadora(s) Columbia
Fun House
Engine
Página oficial www.theyellowmonkey.com
Integrantes
Kazuya Yoshii
Hideaki Kikuchi
Youichi Hirose
Eiji Kikuchi

The Yellow Monkey (ザイエローモンキー), abreviado pelos fãs para yemon (イエモン) é uma banda de Rock And Roll, formada em 1989. Com Kazuya Yoshii (vocal e guitarra), Hideaki Kikuchi (guitarra, backing vocal), Youichi Hirose (baixo, backing vocal) e Eiji Kikuchi (bateria). O nome sarcástico da banda, segundo os integrantes, deriva do preconceito étnico de que o povo japonês tem aparência simiesca (Monkey) e que os orientais sejam conhecidos como amarelos (Yellow). Mas, a própria banda já apresentou várias origens diferentes para o nome. O The Yellow Monkey encerrou suas atividades, oficialmente, em 2004, com oito álbuns de estúdio, incluindo um trabalho independente.

O The Yellow Monkey é tido como um dos grupos de rock mais importantes do Japão e, ao lado das bandas X Japan e Luna Sea, é um dos responsáveis pelo aumento de popularidade do estilo, especialmente entre o público adulto.

Seu sucesso no país natal foi enorme, e segundo alguns críticos, a banda poderia estar na lista dos 100 principais artistas do Japão, um grande feito para um grupo cujas músicas eram consideradas populares, fugindo do padrão japonês voltado para canções tradicionais. Porém, fora do país natal, o The Yellow Monkey, à exceção de em alguns países asiáticos, foi pouco conhecido, sendo lembrado em grande parte pela música Tactics, primeiro encerramento do famoso anime Rurouni Kenshin, tido até hoje como um dos melhores temas de animes já usados.

Pela complexidade temática de suas canções, 90% dos fãs do The Yellow Monkey têm mais de 20 anos de idade, fato que contribui para que a base de admiradores da banda mantenha-se crescendo com o passar dos anos. Seus hits mais famosos são a já citada Tactics, Rakuen, Spark, Burn, Seinaru Umi to Sunshine, Tsuioku no Mermaid e Jam.

História[editar | editar código-fonte]

No final dos anos 80, com o advento da banda X Japan, o Japão adota de uma vez o Rock and Roll, estilo ocidental, até então, pouco conhecido. Muitas bandas surgiram, como a The Yellow Monkey, que teve início em 1989, com o quarteto formado por Kazuya, no baixo, que na ocasião integrava uma banda chamada Urgh Police; Youichi Hirose, que realizava shows em Tóquio; Eiji e o irmão, Hideaki. O quarteto passou a realizar shows pelo circuito underground. Uma das casas de shows que o quarteto frequentava era o La Mama, em Shibuya. O fã clube da banda surgia, enquanto o quarteto se preparava para lançar seu primeiro trabalho.

Em 1991, a banda finalmente lançou seu primeiro trabalho Indie, o Bunched Birth, com sete canções originais: um trabalho "cru", com influências do Glam Rock britânico, especialmente da banda T.Rex e de David Bowie, e letras de autoria do vocalista Kazuya Yoshii. O trabalho foi bem recebido pelo público e impulsionou o lançamento do primeiro álbum major, The Night Snails and Plastic Boogie, em 1992. São composições mais elaboradas do que as do primeiro trabalho, mas ainda demonstrando as influências da banda de Marc Bolan. O quarteto ganha popularidade devido ao single Romantist Taste e, principalmente, à balada Pearl Light of Revolution, que já dava mostras do potencial das composições de Kazuya.

Em 1993, a banda lança seu segundo trabalho, o Experience Movie, que consagrou o Kazuya Yoshii como um dos melhores letristas e vocalistas do Japão, e Hideaki Kikuchi como um dos melhores guitarristas. A banda também começou a ser admirada pelas apresentações ao vivo, devido ao carisma e performance de Kazuya. O visual andrógino fazia parte das principais bandas da época, como X Japan, Buck-Tick, Luna Sea, L'Arc en Ciel e o próprio The Yellow Monkey. O que parecia uma tendência homoerótica era, na verdade, influência das bandas e artistas britânicos de Glam Rock dos anos 1970, como os já citados T.Rex e David Bowie. Todavia, o quarteto ainda não tinha alcançado um sucesso expressivo no mainstream.

No ano de 1994 lançam o álbum Jaguar Hard Pain. Um disco conceitual contando a saga de Jaguar, um soldado morto em combate que volta à vida para encontrar Mary, sua amada. Este disco foi o último trabalho da primeira fase do quarteto, cujas canções não tinham quase nenhum apelo popular. No final daquela turnê, a banda apresentou, o que outras bandas conseguiam com muitos anos de existência, um show no Nippon Budokan.

O Sucesso[editar | editar código-fonte]

O The Yellow Monkey já se tornara grande no Japão, porém no começo do ano de 1995 lançaram o álbum Smile, dando à banda a chance de fazer um show em Londres. Agora as influências de Hard Rock fizeram-se mais presentes, deixando de lado o Glam Rock e apostando em um som mais direto. O álbum foi mais um sucesso de público, e a banda emplacou o hit Love Communication, que ficou nas primeiras posições da ORICON. Outras músicas tornaram-se clássicos da banda como Nagekunari Waga Yoru no Fantasy, Nettaiya, a balada Hard Rain e Venus no Hana. A turnê do álbum no Japão contou com mais de quarenta apresentações. O visual da banda aos poucos começava a mudar, deixando o lado andrógino de lado e partindo para uma atitude mais rock n' roll.

Quando parecia que a banda ia descansar, no final de 1995, é lançado o álbum Four Seasons (que fora gravado em Londres). Sucesso na época de seu lançamento, é o álbum mais vendido e conhecido da banda. Contando com músicas mais acessíveis, o álbum teve uma recepção calorosa também pelos fãs de animes, já que a faixa Tactics foi usada como primeiro encerramento do anime Rurouni Kenshin/Samurai X, fazendo com que o single se tornasse, até aquele momento, o mais vendido da banda. Muitos outros clássicos já eram identificados, como a Taiyou Ga Moeteiru, o rock and roll I Love You Baby, e músicas como Father, Tsuioku no Mermaid e Tsuki no Uta. Apesar do sucesso do disco, o The Yellow Monkey continuava sendo uma banda "cult", já que as letras e performances ao vivo permaneciam as mesmas.

Depois de dois discos seguidos, a banda decidiu fazer uma pausa de um ano, já que Kazuya entrou em estresse por causa do exaustivo trabalho de composição dos dois discos anteriores. No final de 1996, porém, a banda fez um show especial, o Mekara Uroko 7, um concerto para os fãs mais antigos da banda, no qual tocaram músicas anteriores ao álbum Smile, o qual muitos desses fãs antigos consideraram pop demais. Uma parte inesquecível deste concerto foi o momento em que tocaram Pearl Light of Revolution com orquestra que, segundo Kazuya, foi um dos momentos mais marcantes de sua carreira.

O The Yellow Monkey voltou em 1997 com o álbum considerado o melhor da banda: Sicks. O disco tinha uma sonoridade diferente dos dois anteriores. Era uma mistura do som atual do grupo com os primeiros trabalhos. Com composições mais trabalhadas, maduras e cadenciadas, Sicks foi um sucesso estrondoso de crítica. A principal característica do disco é a preocupação da banda com os arranjos, o que fica evidente já na primeira faixa Rainbow Man. O único single do disco foi Rakuen, que até hoje é uma de suas músicas mais conhecidas.

Apesar se ser um álbum conciso, cujas composições são todas equivalentes em qualidade, há três canções que roubam a cena. A primeira é a já citada Rakuen, cadenciada e com um refrão forte; a segunda é a balada Jinsei no Owari (For Grandmother), considerada a melhor balada do The Yellow Monkey; e a canção de mais de oito minutos, tida como a melhor canção que a banda já fez, a Tengoku Ryokou. Outro destaque da banda, é a interpretação teatral de Kazuya. A partir deste disco, o The Yellow Monkey abandonou de vez as tendências andróginas de suas apresentações, concentrando-se mais nas interpretações fortes. Neste instante, Kazuya passou a ser considerado um ícone" do rock n' roll japonês.

No ano de 1998 a banda lança o álbum Punch Drunkard, contendo canções marcantes como Kyuukon e as Burn (que se tornou o single mais vendido da banda) e Love Love Show. Apesar de conter canções mais acessíveis, como as já citadas, o álbum trazia de certa maneira a mesma fórmula livre de composição do Sicks. O sucesso do disco possibilitou uma turnê de 115 shows, a mais bem sucedida de sua história. Neste ponto, a banda já era a principal e mais influente do Japão, e arriscou outra turnê pelo Reino Unido.

Após a exaustiva sucessão de shows e turnês, o grupo faz uma pausa que dura mais de um ano. Voltando, em 2000, o The Yellow Monkey lança seu último disco de inéditas, álbum 8, que foi bem recebido tanto pela crítica quanto pelo público. Lançaram diversos singles: Pearl, Seinaru Umi to Sunshine, Barairo no Hibi e Shock Hearts. O álbum, que conta com canções bem variadas, é tido como o mais ocidental da banda. O grupo não fez muitos shows naquele ano.

O Fim[editar | editar código-fonte]

Em 2001, o grupo fez uma pausa, mas ainda lança a coletânea Golden Years Singles 1996-2001. Os integrantes realizaram trabalhos solo, com Kazuya alcançando maior sucesso, agora adotando o nome artístico de Yoshii Lovinson, que alguns anos mais tarde foi abandonado. Hirose também conseguiu relativo sucesso com sua nova banda Heesey with Dudes.

No ano de 2004, a banda lançou o álbum Mother of All the Best, gravou singles, b-sides, demos e realizou apresentações ao vivo. Logo em seguida, foi anunciado oficialmente o fim da banda, o que, de certa forma, já vinha ocorrendo desde o ano 2000, quando duas outras bandas lançaram seus últimos trabalhos: o Luna Sea; e o Siam Shade.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de Estúdio[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Álbuns Ao Vivo[editar | editar código-fonte]

Tributos à Banda[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

  • Romantist Taste
  • Avant-Garde de Ikouyo
  • Kanashiki Asian Boy
  • Nettaiya
  • Love Communication
  • Nagekunari Waga Yoru no Fantasy
  • Tsuioku no Mermaid
  • Taiyo ga Moeteiru
  • Jam / Tactics
  • Spark
  • Rakuen
  • Love Love Show
  • Burn
  • Kyuukon
  • Hanareruna
  • Sugar Fix
  • My Winding Road
  • So Young
  • Barairo no Hibi
  • Seinaru Umi to Sunshine
  • Shock Hearts
  • Pearl
  • Brilliant World
  • Primal

Ligações externas[editar | editar código-fonte]