Thin-film transistor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Portal A Wikipédia possui o portal:

Transístor de película fina (TFT ou Thin-film transistor) é feito pelo depósito de finas películas para os contactos metálicos, as camadas semicondutoras activas e as camadas isolantes.

A sua principal aplicação é em desenho de ecrãs planos, um tipo de LCDs (monitores de cristais líquidos). Os TFTs são a melhor variante da tecnologia LCD e são mais flexíveis, já que com eles cada pixel é controlado individualmente. Isto é conseguido através do uso de vários transístores. Desde 2004 que este tipo de tecnologia tem fornecido os LCDs com a maior resolução.

Devido ao seu desenho, os ecrãs TFT são frequentemente chamados de Active matrix LCDs.

A maioria dos TFTs não são transparentes eles próprios, mas os seus electrodos e interconectores podem ser. Os primeiros TFTs transparentes, baseados em óxido de zinco foram inventados em 2003 pelos pesquisadores da Universidade do Estado Americano do Oregon (Oregon State University).

Entretanto, o laboratório português CENIMAT da Universidade Nova de Lisboa, descobriu uma forma de produzir estes materiais à temperatura ambiente, tendo feito o primeiro TFT absolutamente transparente à temperatura ambiente. Também conseguiu desenvolver o primeiro transístor em papel, o que abre caminho para capas de revistas e jornais com imagens em movimento.