Thomas Hoeren

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde janeiro de 2012).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Thomas Hoeren

Biografia[editar | editar código-fonte]

Thomas Hoeren estudou Teologia e Direito na Universidade de Tübingen, Münster e Guildhall University, em Londres, entre 1980-1987. [1] Em 1986 graduou-se em Teologia em Münster. De outubro de 1986 a maio de 1988, realizou seu doutoramento em Direito (IT) na Universidade de Münster, apresentando sua dissertação intitulada: "Softwareüberlassung als Sachkauf" ("Licenciamento de Software como uma compra do produto"). Em Maio de 1994, Thomas Hoeren recebeu a qualificação como professor de Direito Civil na Faculdade de Direito da Universidade de Münster (título: "Selbstregulierung Banken im-und Versicherungsrecht" ("Problemas no direito da concorrência no que diz respeito à auto-regulação no sector bancário e de seguros ")).[2]

Carreira Acadêmica[editar | editar código-fonte]

Thomas Hoeren foi professor na Faculdade de Direito da Düsseldorf Heinrich-Heine-University de abril de 1994 a junho de 1997. [2] Foi nomeado professor de Informação, Mídia e Direito Empresarial na Faculdade de Direito da Universidade de Münster e Chefe do o Instituto de Telecomunicações, Informação e Lei de Imprensa, em Junho de 1997. O Instituto trata de temas como Direito Civil, Direito Público e Direito Penal sobre o setor Direito da Informação e realiza pesquisas sobre Direitos de Propriedade Industrial e E-Learning. [3] Em 2004 Hoeren foi nomeado Research Fellow no Oxford Internet Institute da faculdade Balliol ( Oxford). [4] Desde 2004 Hoeren também é professor na Academia de Arte de Münster para Lei de Direitos Autorais e Direito arte. Além disso, ele é professor de Informação e TI de Direito da Universidade de Zurique e da Universidade de Viena.

  • Hoeren é um membro editorial da revista "Computer und Recht" e co-editor das revistas "Informação e Tecnologia de Comunicações Lei" [5] e "EDI Law Review" desde 1997.
  • Em 1998, foi nomeado co-editor da revista Multimedia und Recht (MMR). [2]
  • Em maio de 2005 ele se tornou editor para "Informatik und Recht" da revista suíça "Jusletter".
  • Thomas Hoeren também é conselheiro editorial da revista "Legendum Ad" de Educação.

Carreira Jurídica[editar | editar código-fonte]

Em Junho de 1996 Hoeren tornou-se um juiz do Tribunal de Apelações, em Düsseldorf (Lei da Concorrência). [2] Hoeren é um dos assessores jurídicos da Comissão Européia (DG XIII) no "Conselho de Assessoria Jurídica em Tecnologia da Informação" e um membro do Grupo de Grupo de Trabalho sobre Propriedade Intelectual da Comissão Européia. Além disso, ele serve como conselheiro acadêmico para o DENIC e é membro do conselho do Centro de Pesquisa para o Direito da Informação da Universidade de St. Gallen. [3] [6] Desde junho de 2000 também é painelista no tema "nome e disputas de domínio" para a OMPI. [7] Em 2005 se tornou um membro do comitê de peritos em Direitos Autorais e Direito Editorial na União Alemã para Proteção da Propriedade Intelectual.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Thomas Hoeren foi homenageado com o prêmio de investigação ALCATEL-SEL "Technische Kommunikation" ("Comunicação Técnica") em 2005.

Referências[editar | editar código-fonte]

# 45.

Links externos[editar | editar código-fonte]

  • Website de Thomas Hoeren (Universidade de Muenster)
  • Website da União Alemã para Proteção da Propriedade Intelectual