Thomas Ravelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ravelli
Ravelli
Ravelli em 2009.
Informações pessoais
Nome completo Thomas Ravelli
Data de nasc. 13 de Agosto de 1959 (54 anos)
Local de nasc. Vimmerby,  Suécia
Altura 1,86 m
Apelido Príncipe dos Palhaços
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Goleiro
Clubes de juventude
1977-1978 Suécia Öster
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1978-1988
1989-1997
1998-1999
1999
2005-2006
Suécia Öster
Suécia IFK Göteborg
Estados Unidos Tampa Bay Mutiny
Suécia Öster
Suécia Gårda BK
219 (0)
211 (0)
23 (0)
8 (0)
- (-)
Seleção nacional
1981–1997 Flag of Sweden.svg Suécia 143 (0)

Thomas Ravelli (Vimmerby, 13 de agosto de 1959) é um ex-futebolista sueco que atuava como guarda-redes. É considerado um dos melhores jogadores da história de seu país, sendo o principal nome de sua posição no futebol local.

Carreira[editar | editar código-fonte]

A carreira de Ravelli por clubes teve mais destaque quando ele jogou por Öster (1978-1988) e IFK Göteborg (1989-1997). Ainda se aventurou no então incipiente futebol dos EUA, onde jogou pelo Tampa Bay Mutiny, por uma temporada (1998-99), até retornar ao Öster em março de 1999, encerrando a carreira aos 39 anos.

Porém, Ravelli, que após a aposentadoria trabalhava como diretor-esportivo do IFK, surpreendeu a Suécia ao anunciar seu retorno aos gramados aos 45 anos de idade, tendo assinado um contrato com o Gårda BK, equipe semi-profissional do país. No novo clube, reencontrou seus ex-companheiros de Seleção Kennet Andersson e Johnny Ekström. O Príncipe dos Palhaços (como era conhecido por conta de suas esquisitices em campo) atuou em alguns jogos até pendurar definintivamente as chuteiras em 2006.

Carreira na Seleção Sueca[editar | editar código-fonte]

Em 1981, aos 22 anos de idade, Ravelli estreou na Seleção Sueca, contra os vizinhos da Finlândia, derrotados pelos Amarelos por 2 a 1. Iniciava-se uma longa trajetória de 16 anos envergando a camisa número 1 da Suécia.

Mesmo com tanto tempo de Seleção, Ravelli disputou apenas três competições com a equipe: as Copas de 1990 e 1994, além da Eurocopa de 1992. Na Copa de 1990, Ravelli pouco fez para evitar a precoce eliminação de seu país na primeira fase. Na Euro, os suecos pararam apenas na semifinal.

1994 marcou o auge de Ravelli com a Seleção Sueca, terceira colocada na Copa dos EUA. Titular indiscutível da equipe (os reservas Lars Eriksson - na Seleção desde 1988 - e Magnus Hedman - estreante - ainda não inspiravam tanta confiança quanto Ravelli), o veterano chamou a atenção com as suas caretas, que ganharam destaque na partida contra a Romênia. Aos 34 anos, mostrou agilidade na disputa por pênaltis, tendo defendido a cobrança de Miodrag Belodedici.

Contra o Brasil, Ravelli fez o possível para conter os ataques da Seleção Canarinho. Só não teve chance no gol de cabeça marcado por Romário, em meio à gigante defesa sueca.

Thomas ainda tinha chances de disputar a Eurocopa de 1996, mas a Suécia ficou de fora do torneio. Deixou a Seleção em 1997, um ano antes da Copa da França, onde os "Amarelos" também não conquistaram a vaga.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de SuéciaSoccer icon Este artigo sobre futebolistas suecos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.