Thomas de Quincey

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Thomas de Quincey no frontispício de Revolt of the Tartars

Thomas de Quincey (Greenheys, Manchester, 15 de agosto de 1785 - Edimburgo, 8 de dezembro de 1859), foi um escritor inglês.

Órfão de pai, Thomas de Quincey atravessou momentos difíceis em sua juventude. Após diversos anos passados em um colégio de Manchester, partiu a pé para Londres a fim de regularizar sua situação. Sozinho e sem dinheiro, conseguiu, contudo, entrar em contato com seus tutores; foi então enviado a Oxford, onde brilhou nos estudos.

Atacado por fortes e freqüentes nevralgias, procurou aplacar a dor com ópio. Em pouco tempo o vício dominou-o, apesar de se esforçar inutilmente por deixá-lo. Sua luta contra o vício durou de 1804 até 1813, data em que se declarou um "opiômano regular e inveterado". Retornou para Londres quatro anos depois e passou a colaborar em diversas revistas. Os últimos trinta anos de vida passou em Edimburgo.

Thomas de Quincey foi um helenista precoce e erudito. Além de The Confessions of an English Opium-Eater (Confissões de um comedor de ópio [segundo o titulo da versão brasileira]), sua principal obra, de Quincey escreveu diversas obras: pequenos tratados e monografias, estudos e pesquisas sobre filosofia e lendas alemãs, artigos sobre economia, política, história e crítica literária. Também escreveu inúmeros artigos que forma publicados em jornais, como por exemplo: Batem a porta de Macbeth, O assassinato considerado como uma das belas-artes, Recordações dos poetas lakistas ingleses. A título de curiosidade para o público português, deve ser salientado ainda que é atribuida a Quincey a autoria de dois textos anónimos referentes à Guerra Peninsular, nomeadamente The peasant of Portugal, escrito em 1827, e no ano seguinte, The Caçadore. A story of the peninsular war.

Seus escritos, quando da sua morte, somavam uma quinzena de volumes.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.