Thrill Kill

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Thrill Kill é um jogo de 1998 desenvolvido para o PlayStation, porém nunca lançado oficialmente pois foi cancelado pela Eletronic Arts por ser excessivamente violento.

O jogo começou a ser desenvolvido no fim de 1990 pela Paradox Development (Que mais tarde viria a se tornar a Midway Studios). O jogo se envolveu em um hype muito grande, anunciado como o novo Mortal Kombat. O jogo também trazia uma nova tecnologia que permitia quatro jogadores simultâneos. A publicadora original seria a Virgin Interactive, que foi comprada pela Eletronic Arts em 1998. Neste momento o jogo já estava praticamente pronto, porém a EA se recusou a lançar um jogo tão "violento e sem sentido", com medo de afetar sua imagem, e tampouco permitiu que outras empresas o lançassem.

Posteriormente, empregados que trabalharam no desenvolvimento do jogo o vazaram na internet.

O jogo[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

Dez almas amaldiçoadas desceram ao inferno. Esse "inferno moderno" é baseado no mundo real, onde os personagens são manifestações físicas de suas doenças mentais ou do mal que se escondia em suas formas mortais. Marukka, Deusa dos Segredos, estava entediada com sua rotina e achou que seria divertido colocar essas almas para lutarem entre sí, prometendo ao vencedor a reencarnação.

Gameplay[editar | editar código-fonte]

O jogo consiste em uma sala fechada em 3D onde até quatro jogadores lutam até a morte. Ao invés das tradicionais barras de vida, os golpes desferidos enchem um "medidor da morte", que quando completo conferia ao personagem superpoderes que permite ao jogador usar um movimento Thrill Kill para assassinar brutalmente seu oponente.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Belladona: Uma dominatrix (dominadora sexual) munida de um bastão elétrico;

Cain: Um piromaníaco que teve seu corpo queimado e usa chamas para lutar;

Cleetus: Um capira canibal. Usa uma perna decepada como arma;

Dr. Faustus: Um médico louco, substituiu suas próprias arcadas dentárias por enormes dentes de aço e usa um bisturi em combate;

Judas: Dois irmão gêmeos siameses que nunca foram separados. Um sempre fica de cabeça para baixo servindo como pernas para o outro.

Mammoth: Um mutante deformado semelhante a um gorila. Possui extrema força física;

Marukka: Deusa dos segredos, fisicamente representada como uma demônia alada; Usa magia negra em combate;

Oddball: Um doente menta,sempre amarrado em uma camisa de força, lutando apenas com as pernas. Uma de suas skins o representa como um homem de braços mutilados;

The imp: Um anão psicopata, anda com um par de pernas de pau;

Tormentor: Um torturador por hobbie. Usa uma corrente como arma;

Violet: Contorcionista de um circo de horrores.

Legado[editar | editar código-fonte]

As controvérsias em torno do jogo aumentaram o interesse neste jogo pela comunidade de gamers, fazendo com que versões do jogo sejam facilmente encontradas na internet. Em 2004, a Official U.S. PlayStation Magazine citou Thrill Kill como um dos jogos cancelados mais esperados de todos os tempos.

Em 2009, a GameInformer citou Thrill Kill em décimo na listagem "Dez melhores jogos quase lançados". Em 2011, a Gamepro elegeu em décimo quarto lugar The Imp como "Um dos 50 maiores personagens de luta de todos os tempos".

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.