Tira da Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde fevereiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Tira
Princesa herdeira de Hanôver
Princesa da Dinamarca
Duquesa de Cumberland e Teviotdale
Cônjuge Ernesto Augusto de Hanôver
Descendência
Maria Luísa
Jorge
Alexandra
Olga
Cristiano
Ernesto
Nome completo
Tira Amélia Carolina Carlota Ana
Casa Glücksburg
Pai Cristiano IX da Dinamarca
Mãe Luísa de Hesse-Cassel
Nascimento 29 de Setembro de 1853
Copenhaga, Dinamarca
Morte 26 de Fevereiro de 1933 (79 anos)
Gmunden, Áustria
Enterro Mausoléu de Schloss Cumberland, Gmunden, Alta Áustria[1]

Tira da Dinamarca (Thyra Amelie Caroline Charlotte Anna; 29 de setembro de 1853 - 26 de fevereiro de 1933) foi a filha mais nova de Cristiano IX da Dinamarca e Luísa de Hesse-Cassel.

Vida[editar | editar código-fonte]

A princesa Tira era a irmã de Frederico VIII da Dinamarca, Alexandra da Dinamarca, Jorge I da Grécia e Dagmar da Dinamarca. Tira era uma jovem mulher atraente, com o cabelo loiro e olhos azuis escuros. Luísa de Hesse-Cassel queria que a sua filha mais nova fizesse um bom casamento. Tira teve como primeiro pretendente Guilherme III da Holanda, mas como ele era trinta e seis anos mais velho do que ela, ela o rejeitou. Ele casou mais tarde com Ema de Waldeck e Pyrmont.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Em 22 de dezembro de 1878, ela casou-se com Ernesto Augusto II de Hanôver. Ernesto Augusto era o filho mais velho e único filho de Jorge V de Hanôver e da sua esposa, a princesa Maria de Saxe-Altemburgo.

Antes do seu casamento, Tira havia se apaixonado por Vilhelm Frimann Marcher, um tenente da cavalaria, o que resultou numa gravidez. O seu irmão Jorge I da Grécia sugeriu que ela tivesse o bebé em Atenas para evitar o escândalo, depois da imprensa dinamarquesa ter dito que Tira tinha sido tomada pela icterícia. Ela deu à luz uma menina, Maria, em 8 de novembro de 1871, que foi adoptada por Rasmus e Ana Maria Jørgensen de Odense. Marcher matou-se em 4 de Janeiro de 1872 depois de um confronto com o rei.

Títulos[editar | editar código-fonte]

  • 29 de setembro de 1853 - 1858: "Sua Alteza a princesa Tira da Dinamarca"
  • 1858 - 22 de dezembro de 1878: "Sua Alteza Real a princesa Tira da Dinamarca"
  • 22 de dezembro de 1878 - 28 de março de 1919: "Sua Alteza Real a Princesa Herdeira de Hanôver, Duquesa de Cumberland e Teviotdale"
  • 28 Março 1919 - 26 de fevereiro de 1933: "Sua Alteza Real a Princesa Herdeira de Hanôver"

Descendência[editar | editar código-fonte]

Realeza Dinamarquesa
Casa de Glücksburg
Descendência
Royal Coat of Arms of Denmark (1948-1972).svg
Nome Nascimento Morte Observações
Maria Luísa de Hanôver 11 de outubro 1879 31 de janeiro 1948 casou com Maximiliano de Baden (10 de julho 1867-6 de novembro 1929)
Jorge Guilherme de Cumberland e Hanôver 28 de outubro 1880 20 de maio 1912
Alexandra de Hanôver e Cumberlandj 29 de setembro 1882 30 de agosto 1963 casou com Frederico Francisco IV de Mecklemburgo-Schwerin (9 de abril 1882-17 de novembro 1945)
Olga de Hanôver e Cumberland 11 de julho 1884 21 de setembro 1958 não se casou
Cristiano de Cumberland e Hanôver 4 de julho 1885 3 de setembro 1901
Ernesto Augusto de Brunsvique 17 de novembro 1887 30 de janeiro 1953 casou com Vitória Luísa da Prússia (13 de setembro 1892-11 de dezembro 1980)

Referências