Tibério (filho de Maurício)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tibério
Nascimento Depois de 583/585
Morte 27 de novembro de 602
Nacionalidade Império Bizantino
Progenitores Mãe: Constantina
Pai: Maurício I
Religião Catolicismo

Tibério (em grego: Tiberius; m. 27 de novembro de 602) foi um filho do imperador Maurício I (r. 582-602) e sua esposa Constantino. Foi executado pelo usurpador Focas (r. 602-610).[1] Teofilacto Simocata (livro 8, capítulo 11) registra que Tibério teria desempenhado um papel importante na sucessão de seu pai. A vontade de Maurício era de declará-lo co-imperador e governante de suas próprias regiões do Império Bizantino. As referidas regiões eram Velha Roma, a península Itálica e as ilhas do mar Tirreno.[2] John Bagnell Bury pontua que o testamento foi inventado no 15º ano do reinado de Maurício (597/598) na ocasião de uma severa doença. Registros sobre o conteúdo vem do começo do reinado de Heráclio (r. 610-641), quase uma década após a morte de Maurício e seus filhos. "Ele atribuiu a Nova Roma e "O Oeste" para seu filhos mais velho Teodósio; a Velha Roma, Itália e as ilhas ocidentais para seu segundo filho Tibério; enquanto o restante das províncias foram divididas entre seus outros filhos, e Domício e Melitene foi apontadas para os guardiões deles." Bury considerou provável que um dos filhos mais jovens teria recebido a Prefeitura pretoriana da Ilíria, e outro teria herdado a Prefeitura pretoriana da África. Os planos de Maurício para a divisão do império fracassaram com a revolução de Focas.[3]

Referências

  1. Martindale 1992, p. 1326
  2. Charles Cawley. MAURITIUS 582-602 (em inglês). Visitado em 14 de julho de 2013.
  3. Bury 1889, p. 94

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bury, John Bagnell. History of the Later Roman Empire from Arcadius to Irene– Volume II. [S.l.]: Cosimo, 1889. ISBN 978-1-60520-405-5.