Tibério Semprônio Longo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Tibério Semprônio Longo (260 a.C.210 a.C.) foi um cônsul romano durante a segunda Guerra Púnica com Públio Cornélio Cipião. Em 218 a.C., Semprônio foi enviado à África com 160 quinquerremes para reunir forças e fornecimentos, enquanto Cipião foi enviado à Hispânia para interceptar Aníbal. Por esta época, Semprônio capturou Malta aos Cartagineses.[1]

Com Cipião ferido e perseguido pelos exércitos de Aníbal depois da Batalha de Ticino, o Senado mandou chamar Tibério Semprônio. Depois da sua chegada em dezembro, e contra do conselho de Cipião, Semprônio dirigiu um ambicioso ataque na Batalha do Trébia. As suas legiões caíram numa emboscada e foram rodeadas pelas forças de Magão, irmão de Aníbal. Embora aquela batalha fosse uma esmagadora derrota romana, Semprônio Longo e um exército de 10 000 infantes seguiram os passos das forças cartaginesas, atacando-as.

Em janeiro de 217 a.C. Semprônio regressou para Roma para supervisar as eleições dos novos cônsules.[2] Foi sucedido por Caio Flamínio Nepote, e retornou ao seu exército.[3]

Em 215 a.C., Tibério Semprônio lutou contra Hanão, o Velho. As suas legiões mataram 2000 inimigos e capturaram 280 mais, obrigando Hanão a retirar-se de Lucânia para a Calábria e recuperando todas as povoações da região.[4]

Referências

  1. Políbio. Histórias, Livro III, seção 40-41
  2. Tito Lívio. História de Roma, Livro XXI, seção 15
  3. Ibid. Livro XXI, seção 63.
  4. Ibid. Livro XXIII, seção 37.