Tier (grelha)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Na Internet, há diferentes redes de acesso para se ligar ao resto do mundo, o que forma uma hierarquia dos fornecedores de acesso à Internet, os ISPs. No extremo superior, há um número reduzido dos chamados ISPs de nível 1 conhecidos por Tier 1. A palavra tier significa sequência, ordem.

Característica[editar | editar código-fonte]

A característica dos tiers 1 é que :

  • têm uma capacidade fora do comum para troca de dados, da ordem dos 10 gigabytes/s (ver WLCG)
  • estão ligados por fibra óptica diretamente aos outros tiers 1
  • cada um está ligado a um importante grupo de tiers 2 (ISP de nível 2)
  • possuem uma cobertura mundial
  • têm uma confiabilidade superior a 99,50%

Tier 0-3[editar | editar código-fonte]

Como primeiro na linha, o CERN é o chamado tier 0, pois é a partir do Centro de Controlo do Cern (CERN Control Center) que se distribuem os dados do LHC pelo resto do mundo. Como um tier 0, é o primeiro e principal lugar para a salvaguarda dos dados tal qual foram captados, os dados brutos (raw data) [1] .

Os tier 1 atuais são: TRIUMF (Canadá), KIT (Alemanha), Port d'Información Científica (PIC) (Espanha), IN2P3 (França), INFN (Itália), Nordic Datagrid Facility (países nórdicos), NIKHEF / SARA (Holanda), ASGC (Taipei), GridPP (Reino Unido), Fermilab-CMS e BNL ATLAS (EUA).

Os tier 2 são geralmente universidades e institutos científicos. Os tier 3 são constituídos pelos recursos de computação local[1] .

Localização[editar | editar código-fonte]

Localização dos tiers e informação relacionada:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências