Tiestes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Outubro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Tiestes, na mitologia grega, é um dos irmãos de Atreu e pai de Pelópia e Egisto.

Família[editar | editar código-fonte]

Atreu e Tiestes eram filhos de Pélope e Hipodâmia.[1] Pélope era filho de filho de Tântalo e Dione[2] [3] ou de Tântalo e Eurianassa.[4] Hipodâmia era filha de Enomau e Evarete.[1]

Enomau desafiava todo pretendentes da sua filha Hipodâmia a uma corrida de carros, e matava-os durante a corrida, mas Pélope conseguiu que Mírtilo, o cocheiro de Enomau, sabotasse seu carro, vencendo a corrida e ganhando a mão de Hipodâmia; Pélope, porém, matou Mírtilo,[1] [5] que amaldiçoou Pélope e sua descendência.[5]

Exílio[editar | editar código-fonte]

Hipodâmia convenceu Atreu e Tiestes, seus filhos, a assassinarem Crísipo, filho de seu marido Pêlops [1] com a ninfa Axíoque. Segundo uma versão, Hipodâmia se suicidou quando Pélope a culpou pelo crime.[1] Após o crime, foram ela e os dois filhos expulsos, onde foram acolhidos por Euristeu em Micenas e Midéia,[carece de fontes?] onde mais tarde Hipodâmia suicidou-se.[6]

Disputa por Micenas[editar | editar código-fonte]

Euristeu morreu lutando contra os heráclidas, e Atreu e Tiestes se tornaram reis de Micenas.

Atreu quis oferecer o seu melhor cordeiro como sacrifício a Ártemis.[7] Ao procurar no seu rebanho, descobriu um cordeiro dourado, que ofereceu à sua esposa, Aérope, para o esconder dos deuses.[7] Mas ela deu o cordeiro ao seu amante, Tiestes, o irmão de Atreu.[7] [8] Este diz que quem tiver o cordeiro dourado deverá ser rei.[8] Atreu aceita, mas Tiestes aparece com o cordeiro e reclama o trono.[8] Mas Atreu, a conselho de Hermes, desafia Tiestes a dar-lhe o trono se o Sol andar para trás.[9] Tiestes concorda, Zeus coloca o sol a andar para trás no céu, e Atreu retoma o trono e expulsa Tiestes de Micenas.[9]

Vingança de Atreu[editar | editar código-fonte]

Quando Atreu descobriu a infidelidade da esposa, quis vingar-se e convidou Tiestes para um banquete a pretexto de uma suposta reconciliação.[10] Terminada a refeição, Atreu mostrou a Tiestes que a comida servida a ele era carne dos seus próprios filhos e expulsou Tiestes de Micenas.[10]

Os filhos de Tiestes, que ele teve com uma náiade, se chamavam Aglaus, Callieon e Orcômeno.[10]

Estupro da própria filha[editar | editar código-fonte]

A conselho de um oráculo, que disse que um filho dele com sua filha, vingaria Atreu, ele teve um filho, Egisto, com sua filha.[11]

De acordo com outra versão, disfarçado, Tiestes violou Pelópia, sua filha, que conseguiu ficar com a espada do violador. Atreu, que casou com Pelópia sem saber que era filha de Tiestes, adotou o filho de Pelópia, que tinha sido abandonado nas montanhas, mas que foi recuperada por um pastor e entregue a Atreu. Atreu perdoou Pelópia e chamou à criança Egisto.

Retomada de Micenas[editar | editar código-fonte]

Quando Egisto cresceu e descobriu que era filho de Tiestes, matou Atreu e restaurou Micenas a Tiestes.[11]

De acordo com outra versão, os filhos de Atreu conseguiram mais tarde aprisionar Tiestes e Atreu ordenou a Egisto que o matasse. Contudo, foi dominado por Atreu e reconheceu a espada de Egisto como sendo sua. Então contou-lhe toda a história e ordenou ao seu filho que chamasse Pelópia, que ao ter conhecimento que o verdadeiro pai de Egisto era Tiestes, suicidou-se. Ordenado pelo pai, Egisto assassinou Atreu, cumprindo a previsão do oráculo, depois de Tiestes ter-lhe revelado que era ele o verdaderio pai de Egisto.

Fim do reinado[editar | editar código-fonte]

Agamemnon e Menelau conseguiram escapar de Micenas, sendo levados pela babá para Polifides, rei de Sicião, que os entregou a Eneu, da Etólia.[12] [Nota 1]

Tíndaro trouxe Agamemnon e Menelau de volta, expulsou Tiestes e o exilou em Citéria, após Tiestes haver fugido para um altar de Hera e de ter feito feito um juramento.[12] Agamemnon casou-se com Clitemnestra, e matou seu marido, Tântalo, filho de Tiestes, e o filho recém nascido de Tântalo e Clitemnestra.[12]

Descendentes de Tiestes[editar | editar código-fonte]

Clitemnestra, esposa de Agamemnon, o traiu com Egisto;[13] assim que Agamemnon chegou em Micenas com Cassandra, Clitemnestra deu-lhe como presente uma camisa que não tinha mangas e, quando ele a vestiu, foi morto, e Egisto passou a reinar.[14]

Electra, filha de Agamemnon, conseguiu que Orestes, seu irmão, escapasse,[15] este voltou mais tarde com Pilades, e matou Egisto e sua própria mãe Clitemnestra.[16]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Eneu era rei de Calidão

Referências

  1. a b c d e Higino, Fabulae, LXXXIV, Enomau
  2. Higino, Fabulae, LXXXII, Tântalo
  3. Higino, Fabulae, LXXXIII, Tântalo
  4. Dositeu, Descendentes de Pélope, citado por Pseudo-Plutarco, Parallela Minora, 33
  5. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epítome, 2.7-8
  6. Higino, Fabulae, CXLIII, Mulheres que cometeram suicídio
  7. a b c Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epitome, 2.10
  8. a b c Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epitome, 2.11
  9. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epitome, 2.12
  10. a b c Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epitome, 2.13
  11. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epitome, 2.14
  12. a b c Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epitome, 2.15
  13. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epitome, 6.9
  14. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epitome, 6.23
  15. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epitome, 6.24
  16. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, Epitome, 6.25
Precedido por
Atreu
Rei de Micenas
Sucedido por
Agamemnon