Tigranes VI da Armênia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Outubro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Tigranes VI da Armênia conhecido também como Júlio Tigranes ou Tigranes VI da Capadócia foi um governante da Reino da Arménia, da dinastia arsácida, do período dividido entre o Império Romano e os Império Parta, tendo governado sob o protectorado romano entre o ano 59 e o ano 62. Reinou durante o interregno do governo Tiridates I da Arménia.

Ele descendia de Herodes, o Grande: seu pai era Alexandre, filho de Alexandre, filho de Herodes.[1] Sua avó paterna era filha de Arquelau, rei da Capadócia.[1] Alexandre, seu pai, também teve outro filho, Tigranes, que foi rei da Arménia, mas morreu sem filhos.[1]

Tirídates I da Arménia havia sido posto por seu irmão Vologases I da Pártia, rei dos Partas, como rei da Armênia, assim como outro irmão, Pácoro, foi colocado como rei da Média Atropatene.[2] [3]

Tigranes foi colocado no trono da Arménia por Nero.[1] Tirídates foi deposto e expulso da Armênia por Tigranes, o que levou seu irmão, Vologases, a ponderar romper a paz que a Pártia tinha com o Império Romano, mas Vologases era naturalmente disposto a temporizar, e ainda tinha que lidar com uma revolta de tribos na Hircânia. Quando ele estava pensando sobre o que fazer, chegaram notícias de uma nova afronta, porque Tigranes VI atacou Adiabena, cujo governante, Monobas II, reclamou que a Pártia não oferecia nenhuma proteção contra os romanos, havia cedido a Armênia, e que era melhor se render aos romanos a ser conquistado por eles. Tirídates também reclamou, porque grandes impérios não são mantidos pela inação.[4]

Vologeses, reconhecendo que havia errado por hesitar demais, enviou um exército contra a Armênia, comandado por um nobre chamado Monaeses, junto com tropas de Adiabena, fez as pazes com a Hircânia e reuniu todas suas tropas para um ataque contra as províncias romanas.[3] A guerra não foi conclusiva, e terminou com um acordo de paz entre Vologases e o imperador romano Nero.[5]

Pelo acordo, Tirídates colocou sua coroa aos pés da estátua de Nero, para ser coroado por Nero mais tarde.[6] Tirídates foi coroado por Nero no momento em que o imperador condenava à morte Barea Soranus [7] e Thrasea Paetus.[8]

Tigranes teve um filho, Alexandre, que se casou com Iotapa, filha do rei Antíoco III de Comagena do Reino de Comagena e foi nomeado por Vespasiano rei de uma ilha na Cilícia.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XVIII, Capítulo 5, Herodes, o Tetrarca, guerreia contra Aretas, rei da Arábia, e é derrotado por ele. Sobre a morte de João Batista. Como Vitélio foi a Jerusalém. Um relato de Agripa e os descendentes de Herodes, 4 [em linha]
  2. Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XX, 3.4 [em linha]
  3. a b Tácito, Anais, Livro XV, 2
  4. Tácito, Anais, Livro XV, 1 [em linha] [em linha]
  5. Tácito, Anais, Livro XV, 11
  6. Tácito, Anais, Livro XV, 29
  7. Tácito, Anais, Livro XVI, 23 [em linha] [em linha]
  8. Tácito, Anais, Livro XVI, 21
Ícone de esboço Este artigo sobre reis de um dos reinos da Arménia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.