Tihuana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Tihuana
Informação geral
Origem São Paulo, SP
País  Brasil
Gênero(s) Rock alternativo, punk rock, reggae, ska, folk rock
Período em atividade 1999 — atualmente
Gravadora(s) Universal Music
Universal Music Brasil
Building Records
Página oficial tihuana.com.br
Integrantes Egypcio
Román
Léo
Fouad
P.G
Ex-integrantes Baía

Tihuana é uma banda brasileira de rock alternativo surgida em 1999, na cidade de São Paulo. O som da banda possui influências diversificadas de vários gêneros que vai desde o rock mais pesado, passando pelo rapcore, punk rock, o reggae e o ska em algumas canções, mas tendo como a maior das influências a música latina. A banda conta com o paulistano Egypcio nos vocais, o argentino Román no baixo, os cariocas P.G. na bateria e Léo nas guitarras e Fouad na percussão, substituto de Baía que passou a se dedicar totalmente a atividade de DJ[1] [2] .

História[editar | editar código-fonte]

Primeiros passos[editar | editar código-fonte]

A falta de espaço para o rock na mídia fluminense mobilizou os quatro amigos e músicos, Paulo Guilherme (baterista), Román (baixista), Baía (percussionista e vocais) e Léo (guitarrista) a se mudarem para São Paulo com a finalidade de divulgarem a antiga banda chamada Ostheobaldo e o sonho de viverem de música. Em 1999, já na capital paulista, com o fim do grupo, surgiu uma outra dúvida entre os amigos: buscar o sonho ou a volta frustrante para o Rio de Janeiro. Nesse intervalo de tempo, os músicos conheceram o vocalista Egypcio, em uma feira de surfe em São Paulo.

Egypcio chamou a atenção de Paulo Guilherme, o P.G., que achou bacana o vocal e o jeito dele cantar. Entraram em contato com o vocalista e começaram a gravar músicas até formarem uma demo. Com apenas seis canções prontas, a banda batizada de Tihuana conquistou seu primeiro contrato pela gravadora multinacional Virgin Records, cujo álbum de estréia chamado Ilegal fora lançado, com sucessos como "Tropa de Elite", que ganhou fama nacional a partir de sua inclusão no filme homônimo,[3] "Eu Vi Gnomos" e "Pula!",[4] álbum este que vendeu 150 mil cópias, proporcionando o primeiro disco de ouro para o Tihuana.[5]

"Tudo o que não tínhamos conseguido com nossas bandas anteriores, conseguimos com o Tihuana. Obtivemos ótima aceitação da galera, da gravadora, ganhamos disco de Ouro, tocamos no festival Rock in Rio e no país todo. Foi uma surpresa tanta aceitação logo de primeira", disse o baixista Román.[4]

Em 2001, lançaram o segundo álbum, A Vida nos Ensina, pela gravadora EMI, trazendo influências latinas e instrumentos andinos como marca principal. O sucesso se repetiu: hits do primeiro álbum como "Pula", "Ilegal", "Na Praia Nudista", "Clandestino", "Tropa de Elite" e "Eu Vi Gnomos" ainda tocavam incessantemente nas rádios e paradas da MTV juntamente com os novos sucessos da banda. Emendaram a turnê do primeiro trabalho no segundo, se apresentaram no Japão e, quando voltaram ao Brasil, já se preparavam para a produção do terceiro álbum, Aqui ou em Qualquer Lugar, um disco muito mais rock, com o peso das guitarras e um som mais visceral, tendo sido produzido por Rick Bonadio e Rodrigo Castanho, lançado no ano de 2003 pela Sony Music.

Tihuana[editar | editar código-fonte]

O quarto álbum de estúdio, lançado em 2005, veio com o nome da banda, Tihuana e foi alavancado pelo hit "Renata", que tratava de um tema polêmico, a prostituição infantil. Esse disco foi gravado no Midas Studios com produção de Rick Bonadio e Rodrigo Castanho, que também cuidou dos arranjos, ao lado da própria banda. O primeiro single do álbum foi a canção "Mulheres São de Venus Homens São de Marte".

Este quarto disco, que por sinal leva o nome da banda como citado antes, ao contrário dos anteriores, não tem naipe de metais, nem instrumentos andinos, em compensação tem um mega peso de guitarra. É bem melódico e trás letras, que "fazem a gente pensar", sem serem chatas. Segundo a banda "muitos sons vieram primeiro do violão para depois tomarem "corpo"".

A originalidade de suas letras, a capacidade de criar melodias que ficam na cabeça das pessoas e a qualidade de suas canções fizeram com que o grupo de tornasse um dos mais reconhecidos pela critica.

Um Dia de Cada Vez[editar | editar código-fonte]

Em 2006, o Tihuana lançou o seu quinto e mais recente álbum, Um Dia de Cada Vez. Este disco mostra o amadurecimento da banda, após tantos anos na estrada, tanto na parte instrumental como nas letras, determinando uma nova fase na sua carreira. O primeiro single, "Na Parede do Quintal", sendo executado nas principais rádios do país.

Perguntado o porque do nome Um Dia de Cada Vez os integrantes da banda respondem: "O titulo vem da nossa história, estamos juntos desde 2000… então esse é o quinto álbum da banda. Depois de sete anos, a gente encara que a banda hoje tá assim, vivendo um dia de cada vez mesmo, pra estar sempre aí. Então o título é bem isso aí mesmo! Acho que é o que a gente hoje tá fazendo tanto na nossa vida pessoal, quanto na vida da banda, na carreira da banda. Acho que indo mesmo e vivendo um dia de cada vez. E esse disco, como eu disse, é o quinto da nossa carreira, ele tem 14 faixas. É um disco repleto de canções, do tipo que, se você pegar um violão, você toca as 14 músicas.

É um álbum que tem um diferencial, que abrange diversos assuntos de formas diferentes. Fala sobre amor, ódio, religião, política, guerra, fala sobre saudades, sobre um monte de coisas.

E a novidade, é que tem a participação de uma parceira minha que é a Ivy Martins. Ela compôs 70 por cento do disco comigo, o que é uma novidade, já que, como o Tihuana sempre foi uma banda muito democrática, nos outros trabalhos sempre todo mundo compôs, tanto na parte musical, quanto de letra. E esse disco foi diferente, porque eu chamei mais a responsabilidade pra mim mesmo nas autorias das letras, eu junto com essa minha amiga Ivy. Então a gente assina 70 por cento das músicas.

Aí depois tem duas músicas de um amigo nosso que já é um parceiro de longa data, o Belex, que inclusive participou na composição de "Renata", e ele também tem duas músicas nesse novo trabalho da gente. E mais uma novidade, que é uma parceria inédita com o Rodrigo Koala do Hateen, que escreveu a letra de uma faixa do disco, que se chama "Um Novo Dia", que pô, caprichou! Ele sempre disse que queria fazer um trabalho com o Tihuana, e ai nos mostrou a letra, e essa faixa se chama Um Novo Dia", completa os integrantes do Tihuana.

Dias atuais (2007 - presente)[editar | editar código-fonte]

Em 2007, o Tihuana apareceu muito na mídia após "Tropa de Elite" ser utilizada na trilha sonora do filme homônimo. A canção, escrita como um "grito de guerra" particular (a "tropa" seria a própria banda), se tornou muito associada ao BOPE do qual a produção se trata. "Essa música estava na nossa primeira fita demo!", diz Egypcio, vocalista do grupo de São Paulo. "Mas não foi feita para nenhuma equipe de polícia. A tropa a que nos referíamos éramos nós mesmos, que estávamos chegando", explica.

O Tihuana fez duas turnês internacionais, a primeira no Japão, nas cidades de Nagoya e Toyohashi, a segunda nos Estados Unidos, passando por Nova Jersey, Boston, Atlanta e Virgínia. A banda já se apresentou nos maiores festivais do Brasil como Rock in Rio, Planeta Atlântida, BMF, São Paulo Mix Festival, Pop Rock Brasil, Ceará Music, Porão do Rock, entre outros. Com mais de 700 shows na carreira, a banda encerrou a turnê Tropa de Elite - Ao Vivo.

Em 2011 a banda esteve em estúdio gravando o novo álbum, que contará com algumas faixas como "Perto de você, longe de mim", "Funk do Edmilson" (regravação de uma das músicas da banda Ostheobaldo), "Minha Garota" que inclusive já está sendo tocada em todas as rádios de pop/rock do Brasil[6] , "Vem Morar Comigo", "Isso Aqui É Uma Festa de Loucos", e a trilha do filme Tropa de Elite 2, chamada "Comboio do Terror".

No início de 2013 lançaram mais um single, "Minha Rainha", com a participação de Digão dos Raimundos. O novo álbum intitulado Agora é Pra Valer! foi lançado dia 10 de Maio em 2013[7] [8] .

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Formação atual[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Canção Álbum
2000 Praia Nudista Ilegal
Pula!
Tropa de Elite
Que Ves?
2001 Eu Vi Gnomos
Por Que Será? A Vida Nos Ensina
2002 Uma Noite
Jamaica No Problem
2003 Bote Fé Aqui ou em Qualquer Lugar
Vai Vendo
2004 Mulheres São de Vênus os Homens São de Marte Tihuana
2005 Renata
Tudo Bem
2006 Na Parede do Quintal Um Dia de Cada Vez
2007 Um Dia de Cada Vez
Tropa de Elite (relançamento) Tropa de Elite - Ao Vivo
2008 De Longe (ao vivo)
2010 Comboio do Terror Trilha do Filme Tropa de Elite 2
2011 Minha Garota
2013 Minha Rainha Agora é Pra Valer!
Vem Pra Festa

Singles[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. http://mais.uol.com.br/view/14318424
  2. http://musica.terra.com.br/apos-efeito-tropa-e-saida-de-integrante-tihuana-lanca-novo-cd,e918d98ac7c3e310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html
  3. Tihuana fez a música do filme Tropa de Elite; veja. R7 (11 de abril de 2011). Página visitada em 29 de janeiro de 2013.
  4. a b Vituzzo, Lilian (8 de fevereiro de 2004). Tihuana - A Dedicação Supera as Dificuldades. Whiplash.net. Página visitada em 29 de janeiro de 2013.
  5. http://www.abpd.org.br/default.asp
  6. Tihuana toca inéditas; ouça "Minha Garota". Página visitada em 15 de Março de 2013.
  7. http://blogs.jovempan.uol.com.br/musicjournal/tihuana-lanca-novo-album-com-participacao-de-digao-dos-raimundos/
  8. Novidades: Tihuana e Digão – “Minha Rainha”. Página visitada em 15 de Março de 2013.