Tintin en Amérique

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tintin en Amérique
3º Álbum da série regular
Comic image missing-pt.png
País de origem  Bélgica
Língua de origem Francês
Editor Casterman
Colecção Les Aventures de Tintin
Primeira edição 1932 (p&b)
1945 (cor)
ISBN ISBN 2-2030-0102-X
Numero de páginas 123 (p&b)
62 (cor)
Primeira publicação Le Petit Vingtième de 3 de setembro de 1931 a 20 de outubro de 1932
Género(s) BD Franco-Belga
Autor Hergé
Tema Aventura
Personagens principais Tintim
Milu
Local da acção Chicago, EUA
Título em português Tintim na América
Colecção As Aventuras de Tintim
Títulos da série regular
Último
Último
Tintin au Congo
Les Cigares du pharaon
Próximo
Próximo
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Tintim na América (Tintin en Amérique, no original em francês) é um álbum de história em quadrinhos da série As Aventuras de Tintim, escrita e desenhada pelo belga Hergé, e lançado em 1932.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Após o episódio no Congo, Tintim é enviado aos Estados Unidos da América (durante a época da lei seca). Ao chegar em Chicago, é imediatamente raptado por gângsters de Al Capone, que o consideram perigoso. Após escapar e os deter, ele é atacado por Bobby Smiles, o chefe de um bando rival. A perseguição conduz Tintim aos peles-vermelhas, que Bobby Smiles voltou contra ele. Tintim captura o criminoso e volta a Chicago. Novamente, combate outros gângsters e sai vitorioso. Ele deixa o País após um desfile bem digno dos heróis norte-americanos.

Análise[editar | editar código-fonte]

Tintim na América foi editado no Le Petit Vingtième de 3 de setembro de 1931 a 20 de outubro de 1932, duas páginas por semana. Em 1932, foi publicado como álbum, em preto-e-branco. Em 1945, foi colorido e redesenhado, assim como Tintim no Congo e Os charutos do faraó, pois não tinham uma qualidade narrativa e artística como a dos álbuns seguintes, que tiveram os traços apenas remontados e organizados antes da coloração.

Tintim no Congo e Tintim na América são os álbuns mais fantasistas e infantis, o que é um defeito, mas também uma qualidade. Foram uma alavanca para a carreira de Tintim.

Nesta aventura, aparece Al Capone. É a primeira e única vez na série em que Hergé transforma um indivíduo real em personagem. Hergé inspirava-se para a criação dos seus personagens em pessoas reais, mas introduzia várias modificações.

Para criar a história, Hergé tinha poucas fontes, da mesma maneira que para Tintim no país dos sovietes e Tintim no Congo. Partiu de Scènes de la vie future de Georges Duhamel, da revista Le Crapouillot, que dedicava uma edição especial aos Estados Unidos, e também de um livro sobre os índios da América.

Na criação do álbum, Hergé queria principalmente centralizar a história nos índios da América, pelos quais tinha grande fascinação. Dessa maneira, mostra os soldados americanos expulsando os índios a baioneta após a descoberta de um poço de petróleo em suas terras. Esta sequência não aparece na reedição do álbum - contra a vontade dele.

Hergé também procurou descrever a América na época em que a desenhava integrando diversos elementos, como a Lei Seca.

A língua portuguesa foi a primeira não-francesa a ter publicada alguma história de Hergé, quando no dia 16 de abril de 1936 O Papagaio (uma revista portuguesa para miúdos) publicou Tintin en Amérique sob o título As Aventuras de Tim-Tim na América do Norte.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Aparece na primeira página. É o chefe dos bandidos de Chicago. Quer que Tintim seja morto.

  • Piétro

Aparece na página 12. Trabalha para Al Capone.

  • Bobby Smiles (dito Bob)

Aparece na página 12. Quer se livrar de Al Capone e de Tintim

  • Poderoso Sachem

Aparece na página 19. É o chefe dos peles-vermelhas. Bobby Smiles fez ele se voltar contra Tintim.

  • Mike Mac Adam

Aparece na página 45. É um detetive particular. Tenta, sem sucesso, encontrar Milu.

  • Tom Hawake

Aparece na página 53. É o responsável pelas usinas Slift e deve matar Tintim.

  • Hyppolyte Bolivar

Aparece na página 60. É campeão de halterofilismo.

Leilão[editar | editar código-fonte]

O original em guache de um desenho de Hergé da aventura “Tintin na América” foi vendido em Paris, em 2 de Junho de 2012 por um preço recorde de 1.338.509 euros, mais de 500 mil euros acima do preço a que tinha sido vendido em 2008.

A ilustração de 32 centímetros quadrados, pintado a tinta-da-china e guache, mostra o jovem repórter vestido de cowboy, acompanhado pelo cão, Milou, com um grupo de nativos a aproximar-se de si durante uma emboscada.

Tal como o anterior dono da obra, a identidade do comprador é desconhecida, informou a Artcurial, a empresa que intermediou a venda. [1] .

Referências