Tiny Tower

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tiny Tower
Logotipo do jogo eletrônico Tiny Tower.
Desenvolvedora NimbleBit
Publicadora(s) NimbleBit (iOS)
Mobage (Android)
Distribuidora Apple Inc. (iOS)
Google (Android)
Plataforma(s) iOS
Conversões/
relançamentos
Android
Data(s) de lançamento 23 de junho de 2011 (iOS)
16 de novembro de 2011 (Android)
Gênero(s) Simulação, Estratégia
Modos de jogo Um jogador
Classificação Inadequado para menores de 6 anos i ESRB (América do Norte)
Mídia Distribuição digital
Requisitos mínimos iOS 3.0 ou superior
Android 2.0 ou superior
Controles touchscreen
Idioma Inglês
Hardware
Versão 2.2.1 (iOS)
1.3.6 (Android)

Tiny Tower é um jogo eletrônico de simulação desenvolvido pela NimbleBit, lançado em 23 de junho de 2011 para dispositivos com iOS e em 16 de novembro de 2011 para dispositivos com Android. O jogo teve mais de dez milhões de downloads na App Store e mais de um milhão no Android Market, sendo eleito o Jogo do Ano de 2011 para iPhone pela Apple Inc..

Com seus gráficos pixelizados, Tiny Tower põe o jogador no comando de um edifício residencial e comercial, ocupado por pessoas virtuais denominadas bitizens. O aplicativo, se deixado no modo de espera, faz com que o edifício funcione 24 horas por dia, até emitindo notificações se alguma ação importante ocorre no jogo.

O jogo teve uma recepção positiva, alcançando a pontuação de 82/100 no website Metacritic, com nenhuma crítica negativa. Na App Store alcançou 4,5/5 estrelas, baseadas em mais de 155 mil avaliações de usuários.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Quando o jogo começa, o jogador ganha um terreno para construir sua torre, onde já está construída a portaria. O jogador é obrigado a seguir um tutorial, onde constrói seus dois primeiros andares; um residencial e um comercial, e emprega seus primeiros bitizens. Em cada residência moram cinco bitizens, enquanto o comércio emprega três.[1]

Para ganhar dinheiro, o jogador pode empregar seus habitantes, que produzem itens em seus negócios. Para manter esses negócios funcionando é necessário estocá-los com mercadorias, o que custa dinheiro, porém tem um retorno ainda maior. Caso não hajam mercadorias, o negócio fecha, fazendo com que o jogador deixe de ganhar dinheiro. O jogador recebe notificações quando um andar está pronto para ser reestocado ou, se estava em construção, quando está concluído.[1] [2]

Em Tiny Tower, existem cinco tipos de andares comerciais: alimentação, serviços, lazer, varejo e criativo. Cada bitizen trabalha melhor ou pior em cada um deles, o que reflete no desempenho do andar. Eles também possuem um emprego ideal, e se trabalharem nesse local o jogador é recompensado.[1] [3]

Um recurso utilizado no jogo são as Tower Bucks, moedas que custam dinheiro real, e que são utilizadas para ações que favorecem o jogador, como acelerar a construção de um novo andar ou a estocagem de uma loja. Contudo, elas podem ser ganhas gratuitamente fazendo ações simples e não impedem o acesso a nenhum aspecto do jogo.[1] [2] [3]

O jogo possui uma versão da rede social Facebook denominada Bitbook, onde os bitizens revelam detalhes de sua vida, interagindo uns com os outros e adicionando um pouco de humor e charme ao jogo. Ele também lembra o jogadores de que eles devem estocar seus negócios, com frases como "Fechando a barbearia, espero que eu não perca meu emprego.".[4] [5] [6]

Outra atração são os VIPs, que aparecem ocasionalmente na portaria do prédio, e realizam ações especiais, como a celebridade, que aumenta temporariamente as vendas numa loja e o mestre-de-obras, que diminui o tempo de construção de um andar em três horas. Além dos VIPs, outro evento aleatório é uma espécie de jogo no formato de Onde Está Wally? que recompensa o jogador com Tower Bucks.[1] [2] [7]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O jogo foi criado pelos irmãos Ian e David Marsh, também criadores de Pocket Frogs, que são donos da empresa desenvolvedora de jogos eletrônicos independente NimbleBit. Seu desenvolvimento foi anunciado em março de 2011, durante a Game Developers Conference (GDC) 2011, antes de ser lançada a versão beta do jogo.[8] [9]

O jogo utiliza gráficos bem pixelizados, como parte de um visual retrô, porém isto não o impede de ser utilizado em tablets. Esse estilo também se estende ao som e à música de fundo que o adotam e podem ser desligados no menu de configurações. Tiny Tower é controlado pelo toque do usuário na tela touchscreen de um dispositivo móvel.[2] [7] [10]

Recepção[editar | editar código-fonte]

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
AppGamer 10[11]
Touch Arcade 10[11]
The Appera 10[12]
Vivid Gamer 9.5[7]
Gamezebo 9[11]
Revista Edge 8[11]
Macworld 4/5[13]
Eurogamer 6[11]
Telegraph 3/5[14]
Pontuação global
Publicação Nota média
Metacritic 8,2[11]
Premiações
Premiador Prêmio
Apple Inc. Jogo do Ano de 2011 (iPhone)[15]

Em geral, Tiny Tower foi bem recebido pela crítica, que não o deu notas negativas. Ele obteve uma pontuação de 8,2/10 no website Metacritic, baseada em dezoito críticas profissionais, sem nenhuma negativa. Já em relação à pontuações de usuários, ele obteve uma avaliação de 4,5/5 na App Store, baseada em mais de 155 mil avaliações, e de 4,6/5 no Android Market, esta baseada em cerca de 45 mil avaliações.[11] [16] [17]

Tiny Tower foi definido pela crítica como um jogo que estabelece novos patamares para jogos freemium, sendo assemelhado à FarmVille e We Rule. Também foi elogiado o fato de que ao contrário de muitos jogos deste estilo, não há grandes obstruções para jogadores que não desejarem gastar dinheiro real.[3] [18] [19]

Os gráficos do jogo foram chamados pela revista MacWorld de "distintos, com um charme retrô", enquanto o website Gamezebo afirma que o "acompanhando sua boa jogabilidade, o jogo brilha em termos de apresentação, com gráficos irradiantes com personalidade.". Já Carter Dotson, do website 148Apps deu para os gráficos do jogo uma pontuação de 4/5 estrelas, dizendo que "os ótimos gráficos pixelizados o prenderam ao jogo".[2] [3] [13]

O jogo foi comparado ao clássico SimTower de 1995, desenvolvido pela Maxis. Contudo, foram apontadas pela crítica algumas diferenças e semelhanças. Por exemplo, tanto em Tiny Tower como em SimTower o jogador tem de construir a maior torre que puder, com reserva monetária limitada e contratando trabalhadores, todavia em Tiny Tower as coisas são mais simples, com apenas uma torre e um elevador.[4] [5] [7]

Alguns dos aspectos pelos quais o jogo foi criticado foram a sua repetitividade e falta de longevidade. Segundo os websites Eurogamer e Pocketgamer, depois de um tempo o jogador começa a se sentir apenas apertando botões indefinidamente, devido à falta de um propósito do jogo. Já Nissa Campbell, do website Touch Arcade, ressaltou que há uma falta de integração social no jogo, visto que apenas é possível ver as torres de terceiros e competir em premiações com eles.[1] [20] [21]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2011, Tiny Tower foi nomeado pela Apple Inc. Jogo do Ano para iPhone de 2011. O jogo foi indicado para o 12º Game Developers Choice Awards na categoria "Melhor Jogo para Dispositivos Móveis", e também figura na lista dos melhores 15 jogos para iPhone da revista PC World, juntamente com Angry Birds, Infinity Blade e Cut the Rope. Já o website games.com da Aol incluiu Tiny Tower nas suas listas dos dez melhores jogos gratuitos para iOS e Android. O jogo também aparece na lista dos 50 melhores jogos para iOS de 2011 do website The Appera.[22] [23] [24] [25] [26]

Vendas[editar | editar código-fonte]

Lançado em 23 de julho de 2011, Tiny Tower atingiu a marca de um milhão de downloads em quatro dias, algo fora do comum para jogos do gênero. Este número foi aumentando, e em dezembro de 2011, chegou à 10 milhões apenas na App Store. Já no Android Market, o jogo foi lançado em 16 de novembro de 2011, acumulando, até janeiro de 2012, mais de um milhão de downloads.[16] [17] [27] [28]

Aproximadamente cinco porcento dos jogadores de Tiny Tower compram as Tower Bucks, moeda fictícia do jogo que custa dinheiro real, com uma média de déz dólares gastos por jogador pagante. Sessenta porcento do lucro vem do pacote intermediário de Tower Bucks, que custa cinco dólares. Enquanto isso, Trinta porcento do lucro vem do maior pacote, que custa trinta dólares, porém as compras desse pacote representam apenas quatro porcento do total de compras.[15] [29]

Total de compras/Lucro total[15]
Pacote de US$0,99 Pacote de US$4,99 Pacote de US$0,99
43 % das compras 52 % das compras 4 % das compras
10 % do lucro total 60 % do lucro total 30 % do lucro total

Em uma entrevista com Kathleen De Vere do website Inside Mobile Apps, David Marsh, um dos criadores de Tiny Tower, revelou que o jogo estava gerando cerca de cinquenta vezes mais lucro que seus jogos pagos tiveram, visto que mesmo depois de que jogo saíra das paradas, alguns jogadores ainda investiam no jogo. Dados de janeiro de 2012, um mês após a entrevista, corroboraram isto, com a informação de que o jogo tinha um milhão de jogadores diariamente ativos, com cerca de dez milhões de sessões diárias.[15] [29]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f Campbell, Nissa (22 de julho de 2011). 'Tiny Tower' Review - Tiny People in a Freemium World (em inglês). Touch Arcade. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  2. a b c d e Dotson, Carter (23 de julho de 2011). Tiny Tower Review (em inglês). 148 Apps. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  3. a b c d Squires, Jim (23 de julho de 2011). Deeper than Hotel City yet simpler than Yoot Tower, Tiny Tower delivers a delightful building management experience (em inglês). Gamezebo. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  4. a b Val, Marina (7 de julho de 2011). App do dia: Tiny Tower para iOS (em português). Gizmodo Brasil. Página visitada em 10 de janeiro de 2012.
  5. a b Nobre, Izzy (19 de julho de 2011). Tiny Tower: seja um síndico virtual nesse jogo gratuito para iPhone (em português). Tecnoblog.net. Página visitada em 10 de janeiro de 2012.
  6. Schiller, Jen (12 de julho de 2011). The Authoritarian Control Of Labour In Tiny Tower (em inglês). Kotaku Austrália. Página visitada em 11 de dezembro de 2012.
  7. a b c d Quintana, Rebecca (28 de junho de 2011). Review Tiny Tower (em inglês). Vivid Gamer. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  8. Hodapp, Eli (16 de março de 2011). NimbleBit Reveals 'Tiny Tower' - The Freemium Successor to 'Pocket Frogs' (em inglês). Touch Arcade. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  9. Schramm, Mike (8 de março de 2011). GDC 2011: NimbleBit on Pocket Frogs and Tiny Tower (em inglês). AOL. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  10. Chavez, Chris (16 de novembro de 2011). Mobage’s Hit Game “Tiny Tower” Now Available For Android (em inglês). Phandroid. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  11. a b c d e f g Tiny Tower no Metacritic (em inglês). Metacritic. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  12. Isabel, James (29 de junho de 2012). TINY TOWER REVIEW: THE MOST ADDICTING FREE GAME YOU’LL PLAY (em inglês). The Appera. Página visitada em 10 de janeiro de 2012.
  13. a b Michaels, Philip. Tiny Tower Review: Tower-building sim game aims for the sky—and delivers (em inglês). Macworld. Página visitada em 6 de janeiro de 2012.
  14. Warman, Matt (24 de novembro de 2011). Tiny Tower Android app review (em inglês). The Daily Telegraph. Página visitada em 5 de janeiro de 2011.
  15. a b c d De Vere, Kathleen (14 de dezembro de 2011). Free-to-Play Pioneer NimbleBit Says to Put Fun and User Experience First, Not Monetization (em inglês). Inside Moblie Apps. Página visitada em 7 de janeiro de 2012.
  16. a b Tiny Tower na App Store (em inglês). App Store. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  17. a b Tiny Tower no Android Market (em inglês). Android Market. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  18. Byron, Paul (22 de novembro de 2011). Tiny Tower (ver 1.5) (em inglês). AppGamer.net. Página visitada em 6 de janeiro de 2012.
  19. Podolsky, Andrew (23 de junho de 2011). Tiny Tower Review (Slide to Play) (em inglês). Slide to Play. Página visitada em 6 de janeiro de 2012.
  20. Reed, Kristan (4 de julho de 2011). Mobile Games Roundup • Page 2 (em inglês). Eurogamer.net. Página visitada em 7 de janeiro de 2012.
  21. Jordan, Jon (28 de junho de 2011). Tiny Tower (Pocketgamer) (em inglês). Pocketgamer.co.uk. Página visitada em 7 de janeiro de 2012.
  22. Rigney, Ryan (15 de agosto de 2011). The 15 Best iPhone Games (em inglês). PC World. Página visitada em 8 de janeiro de 2012.
  23. Nominees and Award Recipients (em inglês). Game Developers Choice Awards. Página visitada em 8 de janeiro de 2012.
  24. Isabel, James (5 de janeiro de 2012). TOP 50 OF 2011: TINY TOWER, TEMPLE RUN, SWORD & SORCERY ENTER THE FINAL 10! (em inglês). The Appera. Página visitada em 10 de janeiro de 2012.
  25. Osborne, Joe (22 de dezembro de 2011). Games.com's Top 10 Free iPhone and iPad Games of 2011 (em inglês). Aol. Página visitada em 10 de janeiro de 2012.
  26. Osborne, Joe (23 de dezembro de 2011). Games.com's Top 10 Free Android Games of 2011 (em inglês). Aol. Página visitada em 10 de janeiro de 2012.
  27. Download Tiny Tower 1.3.3 For Android (em inglês). Tom's Guide. Página visitada em 30 de dezembro de 2011.
  28. Schramm, Mike (28 de junho de 2011). Tiny Tower picks up a million downloads in four days (em inglês). AOL. Página visitada em 7 de janeiro de 2012.
  29. a b Cutler, Kim-Mai (6 de janeiro de 2012). NimbleBit’s Tiny Tower Reaches 1M Daily Active Users (em inglês). Inside Moblie Apps. Página visitada em 7 de janeiro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]