Tiro de laço

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Tiro de laço ou Laço Comprido é uma forma de competição a cavalo característica da região sul do Brasil, na qual o peão tem o espaço de 100 metros para laçar um novilho que tenta fugir.

Na região de Mato Grosso do Sul, desenvolveu-se o laço comprido típico da região, a qual possui regras e costumes do próprios do peão campeiro do Estado, tradicionalmente campeira, não confundindo-se com o tiro de laço da região sul do Brasil.

São importantes para o bom desempenho a qualidade da montaria bem como a habilidade do laçador.

Origem[editar | editar código-fonte]

Foi no município de Esmeralda na década de 1950, que foi realizado o primeiro torneio de laço, em forma de competição e que deu origem aos atuais rodeios onde atualmente se realizam as provas de tiro de laço. É hoje uma das mais tradicionais provas campeiras. Com a saída dos agropecuaristas gaúchos para o restante do Brasil, em buscas de novas terras para plantar e criar gado, o esporte foi disseminado e hoje é conhecido nacionalmente como Laço Comprido.

No Mato Grosso do Sul, a tradição pontua que tudo começou na década de 70. Nessa época, nasceu o Clube do Laço "Bela Vista”, em Bela Vista, onde ocorreu o primeiro torneio nacional de laço comprido na cidade. Posteriormente, depois da divisão do estado, em 1977, nasceu Mato Grosso do Sul. Onde surgiram Clubes do Laço em Ponta Porã, Caracol, Maracaju e Laguna Carapã. Nos anos 70/80, praticamente só se laçava nas Exposições, de Bela Vista e de Ponta Porã. O laço era praticado sem leis e sem regras específicas. Ninguém sabia bem como fazer. Em cada Clube existia uma regra. Somente depois da criação do Clube do Laço de Guia Lopes que foi estabelecido o estatuto considerando o Laço Comprido como esporte.  Os associados dos Clubes do Laço acreditam que o Laço Comprido criou um sentimento de fraternidade, de igualdade e, de respeito pela família do homem campeiro.

Ao todo foram criados 43 Clubes de Laço em 77 municípios do Estado. A ideia principal foi organizar os Encontros de C.L., mas, também, de criar um esporte da família do homem do campo e, de criar um órgão de representação da classe dos agropecuaristas.

Regras[editar | editar código-fonte]

A prova é realizada em uma cancha. A cancha é a pista onde correm os laçadores e bovinos. A cancha contém um ponto demarcado chamado raia, um brete de solta, por onde entram os bois na cancha, com espaços para o laçador destro e canhoto e um brete de chegada, por onde o bovino sai da cancha, nela é retirada o laço da cabeça dos animais - é chamada de saca-laço. O laçador deve arremeçar seu laço antes de seu cavalo ultrapaçar a marca de 100 metros. Da marca da raia até o brete do saca-laço, uma área de aproximadamente 30metros, é onde o laçador tem que fechar a laçada (cerrar) em torno das aspas (guampas) e deve acontecer antes que o boi ou vaca entrar no brete. Os laçadores devem capturar o bovino pelas guampas com uma corda trançada em couro ( laço). O laço tem em uma ponta uma argola de metal e na outra uma presilha. O seu comprimento total deve ser de 12 braças (aproximadamente 18 a 20 metros). É chamada de armada a parte arremessada na cabeça do bovino e tem medidas que obedecem a categoria do laçador. Cada categoria é definida pela idade e/ou sexo. Numa mesma prova podem competir laçadores de categorias diferentes. A categoria adulta requer uma armada com medida de 8m (circunferência) começando da argola até uma marca feita no laço e mais 4 rodilhas de, no mínimo, 25cm de diâmetro. Mulheres (prendas), crianças (gurís ou piás) e idosos (veteranos ou vaqueanos) tem armadas com dimensões menores. Conforme estipulado, a prova pode ser de armada cerrada ou julgada. No primeiro caso só é considerada boa a laçada que entrar cerrada no brete do saca-laço. No segundo caso, uma comissão julgadora, manifesta-se no caso do bovino baixar a cabeça na hora do laço tocar as aspas, arbitrando uma repetição para o laçador; ou, quando em ponto de cerrar, o boi retira o laço da cabeça, assim, nesse caso, é considerado pelos juízes uma armada boa. Trata-se de uma competição de precisão e envolve duas fases: uma fase classificatória e uma fase final eliminatória (mata-mata) onde quem errar está fora da competição. Ganha o laçador que tiver 100% de aproveitamento na fase do mata-mata.

Curiosidades da competição[editar | editar código-fonte]

*Devidamente pilchado nos estados do RS, SC e PR. 
  • Em crioulaços: Os laçadores somente poderão inscrever-se montando Cavalos Crioulos confirmados (reprodutores, éguas e cavalos castrados), sendo obrigatório a apresentação do registro ou cópia autenticada. Nas demais competições todas as raças equinas são aceitas.
  • O concorrente que perder o chapéu ou qualquer objeto de uso campeiro, como faca, lenço, etc. Perde a armada.
  • Vacaria tem o maior rodeio crioulo da américa latina, o Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria, ou simplesmente Rodeio de Vacaria, sonho de consumo de todo bom laçador e considerado "A Copa do Mundo do Laço", pelo nível de excelência dos competidores.
  • O órgão responsável pela regulamentação geralm é o MTG, mas cada região possui o seu núcleo de coordenação, sendo que cada município deverá obedecer às normas de sua região, quando em rodeios municipais ou regionais. Em caso de competições a nível estadual ou nacional, o regulamento do MTG é padrão para todos.

MTG RS, MTG SC e MTG PR.

Competições[editar | editar código-fonte]

As competições mais comuns são organizadas pelos CTGs em forma de Rodeios. As provas de tiro de laço é uma das modalidades de competições e é a que mais atrai público. Há os rodeios classificatórios de cada região tradicionalista seletivos para uma disputa da FECARS, a festa campeira a cargo do MTG,considerada o "Nacional do Laço" e que ocorre anualmente em diferentes locais. A FECARS define os campeões de todas as modalidades existentes, bem como Braço de Ouro e, eventualmente, Braço de Diamante. Atualmente o Rodeio mais conhecido é o de Vacaria, realizado a cada 2 anos. Na prova de Tiro de Laço, participam competidores de diversos estados do Brasil e tem, pela dificuldade, o título mais cobiçado: o de campeão da Vacaria - Rodeio de Vacaria. Outro grande rodeio acontece no estado de SC na cidade de São José na grande Florianópolis, esse rodeio é organizado pelo CTG Os Praianos, sendo um dos maiores CTGs do Brasil.

Ícone de esboço Este artigo sobre Cultura é um esboço relacionado ao Projeto Cultura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.