Titina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Titina são imensos filamentos de polipeptídeos, que mantêm a integridade estrutural dos sarcômeros (Kellermayer et al.,1997). A elasticidade da titina é baseada no desdobramento reversível de sua estrutura FN3 dominio e da imunoglobulina. Nenhum outro mecanismo parece possível de alcançar 4 vezes a extensão da banda I durante o alongamento da fibra muscular (Ericksen,1994).

A titina (também denominada de conectina) é uma proteína elástica extremamente longa que percorre paralelamente ao arranjo ordenado dos miofilamentos e se estende da linha | para a linha M no centro do filamento da miosina e mantém o sarcômero no centro durante contração e relaxamento (Horowits,1992). Presume-se que a miosina associada ao segmento da titina não se alongue (Erickson,1994).

Quando o sarcômero é alongado, a região da molécula de titina encontrada na banda A, geralmente comporta-se como se ela fosse rigidamente ligada aos filamentos grossos e impede o alongamento (Horowits, 1992). Provavelmente pela interação dos filamentos grossos e outras proteínas relacionadas. Resistência passiva quando o músculo é alongado origina-se da banda I. E a parte da titina que se encontra na linha z é complacente ao alongamento. E parece bem estabelecido que a banda I da titina estende durante alongamento do sarcômero (Erickson,1994). E tem sido sugerido que a elasticidade da titina deriva do desdobramento reversível da disposição linear da imunoglobulina (Ig) e da fibronectina tipo III (Kellermayer et al., 1997).

Então, a titina que se localiza da linha z ao centro do sarcômero, são divididas em região inelástica que é rigidamente ligada aos filamentos grossos e uma região elástica da banda I. O segmento entre a linha z e o limite da banda a é extensível e o segmento dentro da banda a é ancorado e previne o alongamento possivelmente pela interação dos filamentos grossos (Wang et al.,1993).

O aumento efetivo dos filamentos de titina para conservação do posicionamento dos filamentos grossos no centro do sarcômero durante maior extensão do sarcômero, indica que os filamentos de titina são mais resistentes para uma extensão maior do sarcômero ( Wang et al.,1993 ). Quando os filamentos grossos tendem a se desestabilizarem do centro do sarcômero alongado a titina oferece tensão e resistência. Todavia, quando um músculo é alongado para um dado comprimento do sarcômero, a força de tensão diminui em função do tempo (Kellermayer et al., 2001). Quando a titina mantém-se em alongamento, apresenta um relaxamento dependente do desdobramento de sua molécula. E quanto mais longa a titina, maior extensibilidade e a tensão é iniciada com um comprimento maior que isoformas de titina menores (Wang et al.,1991). Alta tensão de alongamento parece desdobrar a molécula de titina e retorna ao seu tamanho natural, após tensão de alongamento ser liberada. É possível que a titina dobre e desdobre durante carga cíclica. Todavia com sucessivos alongamentos é possível que algumas moléculas de titina falhe em voltar do desdobramento. Como outras proteínas, o filamento titina demonstra fadiga molecular, durante repetido alongamento e liberação de ciclos, para uma maior extensão muscular ( Kellermayer et al., 2001). Ambos, histerese e resposta viscoelástica depende do tempo e da magnitude da tensão mecânica.

Nome científico[editar | editar código-fonte]

O nome científico completo da Titina é a maior palavra de todas as línguas, com 189.819 letras, sendo extremamente superior a outras palavras grandes. Demoraria cerca de 25 horas para ser totalmente pronunciada em velocidade normal. Por ser uma palavra científica, não é introduzida em dicionários e por isso o título de "maior palavra" é dada a nomes comuns grandes.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Bioquímica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.