Tom Capone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Tom Capone, como era conhecido Luís Antônio Ferreira Gonçalves (Brasília, DF, 1 de janeiro de 1966Los Angeles, 2 de setembro de 2004), foi um produtor musical brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Tom Capone começou carreira como guitarrista na década de 1980 em Brasília, onde tocou nas bandas Peter Perfeito e Detrito Federal. Mudou-se para o Rio de Janeiro onde iniciou trabalho como produtor musical. Em 1998 entrou para a gravadora Warner como diretor artístico.

Consagrou-se como um dos maiores produtores musicais do país, dono de uma audição detalhista e apurada que fazia toda a diferença na finalização de um disco.

Produziu grandes nomes da música brasileira como Raimundos, Legião Urbana, Renato Russo, Skank, O Rappa, Maria Rita, Catedral, Gilberto Gil, Lenine, Oswaldo Montenegro, Herbert Vianna, Marisa Monte, Detonautas Roque Clube, Milionário & José Rico e Preta Gil. Em um de seus últimos trabalhos, o disco O Silêncio Q Precede O Esporro, a banda O Rappa chegou a esperar até seis meses para poder contar com a produção de Tom.[1]

Casou-se com Constança Scofield, ex-integrante do grupo Penélope, com quem teve um filho. Também deixou dois filhos de um casamento anterior com Ana Cristina Leal Lauande, Khalid Lauande Gonçalves e Victoria Lauande Gonçalves.

Faleceu em 2 de setembro de 2004[2] [3] vítima de um acidente de motocicleta em Los Angeles, EUA, quando voltava da cerimônia do Grammy Latino, onde concorreu em 5 categorias, ganhando pelo disco de Maria Rita, Maria Rita. Na época estava produzindo os novos discos de Gilberto Gil, Maria Rita e Frejat.

Artistas e álbuns produzidos[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.