Tom Sharpe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Tom Sharpe (nascido em 30 de março de 1928 - 6 de junho de 2013) foi um escritor satírico inglês, nascido em Londres e educado em dois dos melhores colégios de Cambridge.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Depois de cumpridos os estudos e o Serviço Militar nos Fuzileiros navais, Tom Sharpe mudou-se para a África do Sul, fazendo trabalho social e ensinando na província de KwaZulu-Natal. Manteve um estúdio de fotografia em Pietermaritzburg entre 1957 e 1961, data em que foi expulso do país. Regressado a Inglaterra, foi leitor de história no Colégio de Artes e Tecnologia de Cambridge[1] entre 1963 e 1972.

A sua permanência na África do Sul foi inspiradora do argumento das suas duas primeiras novelas: Riotous Assembly (1971), uma sátira ao regime sul-africano e às teses da supremacia racial, seguido de Indecent Exposure, um romance na mesma linha de crítica ao apartheid[2] . A partir de 1976 inicia a série de livros dedicados à personagem de Henry Wilt.

Obras escritas[editar | editar código-fonte]

Prémios[editar | editar código-fonte]

Em 1986 Tom Sharpe foi galardoado com o XXXIII Grand Prix de l'Humour Noir Xavier Forneret.

Referências

  1. Nota biográfica inserida na edição portuguesa de A Epopeia de Mr. Skullion (1990), Lisboa- Editorial Teorema, pg. 2 ISBN 972-695-092-9
  2. http://dn.sapo.pt/2005/02/16/artes/o_gosto_satira_social.html Diário de Notícias online, acedido em 20-12-2008