Tom and Jerry

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tom e Jerry
Tom e Jerry (BR)
Tom (gato) e Jerry (rato)
Informação geral
Formato Série de desenho animado
Duração Aprox. 8 minutos[1]
Criador(es) William Hanna
Joseph Barbera
País de origem  Estados Unidos
Idioma original Inglês
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil SBT
Brasil Cartoon Network
Transmissão original 10 de fevereiro de 1940 - 27 de setembro de 2005
N.º de episódios 162

Tom e Jerry é a mais tradicional das séries animadas de curta-metragens criada por William Hanna e Joseph Barbera para a Metro-Goldwyn-Mayer, cujo o tema é a eterna rivalidade entre um gato (Tom) e um rato (Jerry).

Trama e formato[editar | editar código-fonte]

O centro da trama se baseia geralmente em tentativas frustradas de Tom de capturar Jerry, e o caos e a destruição que se segue.

Tom raramente consegue capturar Jerry, principalmente por causa das habilidades do engenhoso ratinho, e também por causa de sua própria estupidez. As perseguições eram eletrizantes e sempre vinham acompanhados por boa trilha sonora. Também eram utilizadas diversas armadilhas e truques que no final não davam resultado satisfatório como bombas e ratoeiras, coisas que eram fundamentais na rivalidade entre o gato e o rato. Alguns personagens também marcam presença na trama como o bulldog Spike e o rival de Tom, o gato Butch.

Depois de 1953, todos os desenhos de Tom & Jerry foram criados e produzidos no formato Academy Ratio; desde 1953 até 1956 alguns dos desenhos foram produzidos no formato Academy e no processo Widescreen Cinemascope.Desde 1956 até o fechamento do estúdio de animacão da MGM um ano depois, todos os desenhos animados de Tom & Jerry foram compativeis também no formato Academy Widescreen. Todos os desenhos de Hanna-Barbera foram produzidos em Technicolor; os trabalhos dos anos 1960 foram feitos em Metrocolor.

Tom & Jerry inspirou uma versão em humor negro e sádica dentro de Os Simpsons chamada de Comichão e Coçadinha (Itchy e Scratchy).

História[editar | editar código-fonte]

A Era Hanna-Barbera (1940-1958)[editar | editar código-fonte]

A dupla começou em um curta da MGM chamado "Puss Gets the Boot", que foi para os cinemas em 20 de fevereiro de 1940. O produtor Fred Quimby pediu a William Hanna e Joseph Barbera que desenhassem um curta, e a dupla de animadores teve a ideia de um desenho onde um gato perseguia um rato. Neste curta Tom se chamava Jasper e Jerry se chamava Jinx. Somente depois os produtores batizaram os personagens de "Tom e Jerry". William Hanna e Joseph Barbera escreveram e dirigiram mais 113 episódios entre 1940 e 1957, 93 destes episódios foram produzidos por Fred Quimby (apesar da proeminência do seu nome nos créditos da produção, artisticamente falando, Quimby não teve participação alguma na produção da série animada), quando a MGM Cartoon Studio (local onde os desenhos eram produzidos) foi fechada, causando o fim do desenho original. O último dos 114 episódios foi lançado em 1958. A série original ganhou o Oscar de melhor curta de animação sete vezes.

A Era Gene Deitch (1960-1962)[editar | editar código-fonte]

Em 1960, a MGM decidiu produzir novos curtas de Tom & Jerry, então, o produtor William L. Snyder fez um acordo com o diretor Gene Deitch e seu estúdio, a Rembrandt Films para continuar a produzir o desenho em Praga, na Checoslováquia. Foram ao todo, produzidos 13 curtas pela Rembrandt Films. A dupla havia participado, na mesma época, da produção de alguns episódios de Popeye no pool de produtores para o seriado de TV coordenado pela King Features Syndicate. Nesse tempo de produção dirigido por Gene Deitch Thomas era o mascote de um homem que tinha problemas em controlar seus nervos e ficava facilmente nervoso, fato bastante visível quando seu rosto ficava vermelho. E o rato Jerry também morava em um buraco da casa assim como na época de Hanna Barbera, para o azar de tom.

Os desenhos produzidos por William Snyder e Gene Deitch foram muito criticados por adotar um formato totalmente diferente da série original, abusando da surrealidade, misturando motion blur com movimentos dos personagens extremante exagerados, adição efeitos sonoros bizarros e utilização excessiva de reverberação, além de diversas enfatizações gráficas.

Como eram produzidos na chamada Cortina de Ferro, não constava nos créditos no fim dos desenhos a frase "Made in Hollywood, USA", mas sim "A MGM Cartoon", numa tentativa de esconder o local da produção.

A Era Chuck Jones (1963-1967)[editar | editar código-fonte]

Depois que o último desenho produzido por Deitch foi lançado, Chuck Jones tinha sido despedido da Warner Bros. Cartoons após trabalhar lá mais de trinta anos, iniciou o seu próprio estúdio de animação, a Sib Tower 12 Productions com seu amigo Les Goldman. Então, a MGM contratou ele e seu estúdio para produzir os novos desenhos da série. Ao todo, a Sib Tower produziu 34 curtas entre 1963 e 1967.

Jones fez diversas adaptações nos personagens, mudando as suas personalidades e fazendo algumas mudanças na aparência de Tom, que teve a sobrancelha mudada e ganhou um tom de cinza mais claro semelhante ao da série original, e Jerry, que teve os olhos aumentados e orelha mais arredondada. O leão da MGM na abertura dos curtas foi substituído por Tom, tentando imitar os seus gemidos.

A MGM parou a produção de Tom & Jerry em 1967 época em que já tinha comprado a Sib Tower 12 renomeado-a de MGM Animation/Visual Arts.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Desde 1965, os curtas de Hanna e Barbera foram editados para passar na televisão. A personagem que representa a dona de Tom foi substituída em alguns episódios por uma mulher branca e magra, além de ter sua voz substituída por um tom mais suave. Grande parte das cenas de violência também foi retirada para versão exibida no Reino Unido.

Novo proprietário[editar | editar código-fonte]

Em 1986, a MGM foi comprada pelo fundador da WTBS, Ted Turner. Turner, vendeu a empresa alguns anos mais tarde, mas continuou com direitos de Tom & Jerry, tornando propriedade da Turner Entertainment.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Tom é um gato doméstico azul ou cinza, dependendo do cartoon (a cor da pele de Tom é perto daquela da raça azul Russian dos gatos), que vive uma vida boa, enquanto Jerry é um rato marrom pequeno que vive sempre na proximidade dele. Tom é muito rápido, moderado e fino-descascado, enquanto Jerry é independente e oportunista. Apesar de ser muito energético e determinado, Tom é carente de inteligência e esperteza. Uma característica nos episódios é que Jerry geralmente sai triunfante das inúmeras batalhas, enquanto Tom é o perdedor. Entretanto, outros resultados podem ser alcançados; em ocasiões raras, quando Jerry atua como o instigador, há triunfos de Tom. Às vezes, ironicamente, ambos perdem ou ambos, em casos mais extremos, terminam amigos (Heavenly Puss e Triplet Trouble). Mas ambos os personagens possuem tendências sádicas, o que demonstra em proporções iguais a intenção de um atormentar a vida do outro.

Entretanto, dependendo do cartoon, sempre que um dos personagens parecer estar em uma situação de perigo por um inimigo extra, o outro fará o possível para tira-lo dessa situação. E também quando ambos encontram um inimigo em comum, quase sempre trabalham juntos para derrotá-lo. Não muito frequente, Tom e Jerry às vezes falam. Tom, o mais famoso, canta ao "wooing" para as fêmeas; por exemplo. O co-diretor William Hanna forneceu a maioria dos efeitos vocais para a dupla, incluindo o famoso grito de dor do Tom (criado e gravado do grito de Hanna, eliminando o começo e final da gravação, deixando somente a parte a mais forte do grito no efeito-sonoro).

A única outra vocalização razoavelmente comum é feita por Tom quando em alguma situação extrema, mas quase inevitável, acontece algo irônico com o gato. Tom com sono e golpeado parece dizer assombrado, ecoando a voz “não acredites nisso!”. Num dos episódios de 1956, toda a história é narrada por Jerry.

Polêmicas envolvendo Tom e Jerry[editar | editar código-fonte]

Assim como a maioria das séries animadas produzidas nas décadas de 1920, 1930, 1940, 1950, e 1960, Tom & Jerry não é considerado politicamente correto. Pelo menos vinte e quatro episódios foram acusados de possuir cenas racistas, como quando ocorre uma explosão ou algum liquido cai no rosto de um personagem e seu rosto fica negro, o que foi interpretado por algumas pessoas como racismo.[2] Em consequência disso, diversas cenas foram editadas e cortadas de alguns episódios.

Em 2006 Tom e Jerry recebeu uma forte crítica do governo da Inglaterra, por ter sido exibido um episódio em que Tom fuma dentro de uma limosine. O governo inglês achou inaceitável a exibição daquela cena.[3]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Curtas-metragens[editar | editar código-fonte]

No Brasil, os desenhos de Tom e Jerry já foram exibidos na televisão aberta e na televisão por assinatura. Na televisão aberta, são exibidos exclusivamente pelo SBT. Na televisão por assinatura, são exibidos pelo Cartoon Network, tal como em Portugal.

Alguns desenhos dos anos 40 e 50, assim como os curtas produzidos na Rembrandt, Sib Tower e Filmation foram dublados no Brasil pela BKS. Os demais desenhos clássicos, em versão simplificada para a TV e com créditos no final, foram dublados pela Cinecastro, sendo estes, os primeiros a chegarem ao país.

Filme[editar | editar código-fonte]

Em 1992, foi lançado o filme Tom and Jerry: The Movie, onde Tom e Jerry ajudam uma menina a encontrar seu pai e fugir de sua malvada tia.

Vencedores do Oscar de melhor curta de animação:

  • 1943: The Yankee Doodle Mouse
  • 1944: Mouse Trouble
  • 1945: Quiet Please!
  • 1946: The Cat Concerto
  • 1948: The Little Orphan
  • 1951: The Two Mouseketeers
  • 1952: Johann Mouse

Nomeados ao Oscar de melhor curta de animação, mas não venceram:

  • 1940: Puss Gets the Boot
  • 1941: The Night Before Christmas
  • 1947: Dr. Jekyll and Mr. Mouse
  • 1949: Hatch Up Your Troubles
  • 1950: Jerry's Cousin
  • 1954: Touché, Pussy Cat!

Nomeados ao Annie Award de melhor animação, mas não venceram:

  • 1946: Springtime for Thomas
  • 1955: That's My Mommy
  • 1956: Muscle Beach Tom
  • 2005: The KarateGuard

Séries de televisão[editar | editar código-fonte]

Filmes[editar | editar código-fonte]

  • Anchors Aweigh (film) (MGM, 1945)
  • Dangerous When Wet (MGM, 1953)
  • Tom and Jerry: The Movie (Miramax, 1992)

Filmes para a televisão[editar | editar código-fonte]

Videogames[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tom and Jerry