Tomazina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Tomazina
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 02 de junho
Fundação 1867
Gentílico tomazinense
Prefeito(a) Guilherme Cury Saliba Costa ([(PSD)])
(2009–2012)
Localização
Localização de Tomazina
Localização de Tomazina no Paraná
Tomazina está localizado em: Brasil
Tomazina
Localização de Tomazina no Brasil
23° 46' 40" S 49° 57' 00" O23° 46' 40" S 49° 57' 00" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Norte Pioneiro Paranaense IBGE/2008[1]
Microrregião Wenceslau Braz IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Siqueira Campos, Wenceslau Braz, Arapoti, Pinhalão, Jaboti, Conselheiro Mairinck, Guapirama, Quatiguá
Distância até a capital 298 km
Características geográficas
Área 591,436 km² [2]
População 8 788 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 14,86 hab./km²
Altitude 541 m
Clima subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,716 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 68 988,354 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 7 734,12 IBGE/2008[5]
Página oficial

Tomazina[nota 1] é um município brasileiro do estado do Paraná. Localizado na Microrregião de Wenceslau Braz e na Mesorregião do Norte Pioneiro Paranaense.

Nesta cidade foi criada uma das maiores empresas brasileiras, o Banco Bamerindus, pois em Tomazina nasceu e viveu Avelino Antônio Vieira, fundador do banco. O nome Bamerindus quer dizer Banco Mercantil Agrícola e Industrial do Paraná, fundado em Tomazina e instalado em Wenceslau Braz, tendo sido comprado pelo HSBC em operação tumultuada e cercada de denúncias ao Governo Federal da época, em razão da intervenção realizada no banco, então presidido por um dos filhos de Avelino Vieira, o ex-senador e ex-ministro (por duas vezes) José Eduardo de Andrade Vieira, também tomazinense de coração, já que nasceu em uma fazenda da família, no município de Joaquim Távora, ao lado de Tomazina, sendo criado em Tomazina, na casa da família, localizada na rua que hoje se denomina "Moraes e Silva", em homenagem a Mário Moraes e Silva, grande advogado tomazinense e pai do Deputado Estadual Mauro Moraes, também tomazinense.

Tomazina organiza anualmente, no mês de novembro, um famoso Festival de Canoagem, congregando pessoas de todo o país, eis que o Rio Cinzas corta a cidade, em belo acidente geográfico, localizando-se bem próximo do centro da cidade belas cachoeiras e corredeiras, além do Salto Cavalcanti, um dos mais belos do país.

A cidade ainda tem vocação para o turismo rural, com ótimos hotéis fazenda, com passeios a cavalo, charretes pelas ruas da cidade, além do ar puro e natureza exuberante.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Homenagem ao major Tomás Pereira da Silva, pioneiro, desbravador e fundador do município. A denominação "Tomazina" é a junção do antropônimo "Tomás", cuja grafia arcaica era Thomaz, e do sufixo "ina".

História[editar | editar código-fonte]

O município de Tomazina tomou emprestado seu nome do major Tomás Pereira da Silva, que foi seu grande benemérito. No ano de 1865 adquire uma gleba de terras que abragia a margens direita e esquerda do Rio das Cinzas, e em novembro de 1867 parte em comitiva da cidade de Itajubá, da então Província de Minas Gerais, com destino ao sertão do norte pioneiro paranaense.

O major Tomás leva em sua bagagem numerosa família, parentes, amigos, escravos e agregados. Depois de mais de um mês de difícil viagem, finalmente chegam ao ponto desejado. O lugar, ermo e inóspito, não assustou aos intrépidos viajantes, que não vislumbravam outro caminho senão a picada aberta na mata que estavam atravessando. A esta época, poucas eram as localidades habitadas na região, não muito distante ali florescia São José do Cristanismo e São José da Boa Vista.

A numerosa comitiva vinda de Itajubá, e foi estrategicamente distribuída de forma a que todos pudessem viver com tranquilidade, em razão da grande área de terras oferecida.

A fertilidade do solo foi fator preponderante para atrair novos colonizadores, o que se efetivou em pouco tempo.

Em 1878 o major Tomás e sua mulher doaram área de terras para que se iniciasse um povoado sob a invocação de Nossa Senhora de Aparecida, e o autor foi o padre Antônio Camargo, numa justa homenagem ao desbravador daqueles sertões.

A Lei nº 923, de 6 de setembro de 1888 eleva a freguesia à categoria de vila, sendo que ano seguinte, no 8 de maio, a Lei nº 322, eleva a vila à condição de município emancipado, com território desmembrado de São José da Boa Vista.

A instalação se deu em 7 de janeiro, quando foram empossados os membros da primeira Câmara de Vereadores, os senhores Elias Xavier da Silva, José Albano Pereira, tenente João José Ribeiro, capitão Cândido Antônio Pereira e o major Tomás Pereira da Silva, que foi eleito presidente daquela Casa de Leis. Posteriormente assumiu o cargo de primeiro prefeito de Tomazina.

Na época o município pertencia à Comarca de São José da Boa Vista, possuindo área de 6.050 quilômetros quadrados, que em face dos numerosos desmembramentos que se sucederam, para a criação de novos municípios, tais como Ibaiti, Wenceslau Brás, foi sensivelmente reduzido, o que efetivamente não lhe tirou o mérito do progresso alcançado.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área é de 591 km² representando 0,2967 % do estado, 0,1049 % da região e 0,007 % de todo o território brasileiro. Localiza-se a uma latitude 23°46'40" sul e a uma longitude 49°57'00" oeste, estando a uma altitude de 541 metros. Sua população estimada em 2005 era de 8.690 habitantes.[carece de fontes?]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 8920 hab

  • Urbana: 4.286
  • Rural: 4.645
  • Homens: 5.091
  • Mulheres: 4.840

Densidade demográfica (hab./km²): 13,10 hab/km² (IPARDES/2005)

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,716

  • IDH-M Renda: 0,640
  • IDH-M Longevidade: 0,706
  • IDH-M Educação: 0,802

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rio das Cinzas

Salto Cavalcanti

Administração[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Nota ortográfica: Segundo as normas ortográficas vigentes da língua portuguesa, este topônimo deveria ser grafado como Tomasina.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.