Tonante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
O mais recente logo da marca Tonante logo
O Headstock da guitarra Tonante Finder

Tonante, inicialmente chamada Ao Rei dos Violões Limitada, começou sua produção no dia 5 de abril de 1954 pelos irmãos portugueses Abel e Samuel Tonante que fabricavam os instrumentos de maneira artesanal, treze anos depois de mudarem-se para o Brasil.

Importância para a História da Música Brasileira[editar | editar código-fonte]

Tonante foi particularmente importante para a história musical no Brasil, pois quando surgiu o movimento da Jovem Guarda (ou Iê-Iê-Iê, como era chamado então o pop/rock, numa referência ao "Yeah, yeah, yeah" da música "She Loves You" dos Beatles) - época em que a guitarra elétrica tornou-se o objeto de desejo de boa parte da juventude - esse fabricante oferecia seus instrumentos a preços baixos, acessíveis à classe média, e tornando possível o sonho de ter um conjunto de rock.

Status[editar | editar código-fonte]

Embora a marca Tonante tenha ficado famosa pela má qualidade de sua construção, ultimamente vem ganhando um status de "cult" por sua importância histórica. Os instrumentos Tonante eram baratos e de construção simples. Os violões tinham a caixa de ressonância feita com madeira laminada. O braço não possuia tensor e, para que não empenasse pela tração do encordoamento, era de espessura bem acima do normal. A escala era plana. As guitarras tinham corpo sólido e braço em Cedro e escala em Ipê e, diferentemente de outras guitarras, também não utilizava tensor, sendo igualmente muito espesso. A escala também era plana e os trastes eram baixos.

Primeiros modelos[editar | editar código-fonte]

Concorrente direta da Giannini Supersonic. Braço colado nos modelos mais antigos e parafusado nos seguintes. Os colados tinham o perfil do braço em "C", com 25mm de espessura no 1º traste e os aparafusados, perfil em "D" e 23mm de espessura. As tarrachas nos primeiros modelos - braço colado - eram 3 + 3 (três de cada lado do headstock) e posteriormente, passaram para 6 em linha, como nas Fender, das quais a Tonante também se inspirou no desenho do headstock. Escala (corda sonante, da ponte ao nut) = 640mm. Três captadores "single-coil", como nas Strato, mas com uma chave liga/desliga para cada captador, ao invés da chave seletora de cinco posições (mesmo sistema das Jaguar). Também da Jaguar copiava o mecanismo de vibrato flutuante, porém sem trava. Os captadores eram produzidos inicialmente pelos irmãos Malagoli (marca Sound), que forneciam também para vários outros fabricantes de guitarras dos anos 60 e 70 e chegaram a fabricar alguns exemplares de uma guitarra com sua própria marca. Pouco depois a própria Tonante passou a fazer os captadores. A opção por chaves independentes para cada captador possibilitava sete combinações diferentes, ao invés das cinco possíveis com uma seletora (além daquelas, era possível ligar conjuntamente os captadores das extremidades - braço + ponte - ou os três captadores simultameamente). Havia ainda um potenciômetro de volume para os três captadores e dois controles de tonalidade para o do meio e do braço; todos de 220k ohms.

  • vários cavaquinhos e violões sem modelo definido (guitarra clássica em Portugal).

Modelos atuais[editar | editar código-fonte]

  • Tonante Erton - aprimoramento da Tonante Finder, versão das Stratocaster.
  • Tonante Starlight - uma guitarra para heavy metal com um interessante sistema vibrola, sistema derivado da Floyd Rose e com três captadores single coil.
  • Tonante Less Paul - Uma versão da Les Paul.
  • Diversos banjos, violões e cavaquinhos.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]