Tondo (Manila)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

14.617° N′ 120.967 E° 00′ {{{6}}}

Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.
Tondo

Mapa de Manila com a localização de Tondo.

Cidade Manila
População (2007) 630.604
 – Densidade 69,297 per km²
Área 9,10 km²
 – Barangays 259

Tondo é um distrito de Manila, a capital das Filipinas. No passado, foi um principado muçulmano e de sucessão hereditária controlado pelos rajás locais darante o período pré-colonial.

Uma das áreas mais densamente povoadas do mundo, Tondo localiza-se na parte noroeste da cidade e é essencialmente um bairro residencial-industrial. Tondo é conhecido por ser uma das áreas mais pobres e subdesenvolvidas do país. Muitas das favelas da cidade nesta área. Também é o local onde nasceram o ex-presidente Joseph Estrada, a cantora e atriz Regine Velasquez, o empresário e político Manuel Villar, o prefeito de Manila Antonio Villegas, Andres Bonifacio, o grande líder dos Katipuneros, e Kyla, a "princesa filipina do R&B.

História[editar | editar código-fonte]

Uma rua movimentada perto do mercado de Pritil.

A antiga região de Tondo possui mais onze séculos. Historicamente, Tondo já existia no ano 900 de acordo com a Laguna Copperplate Inscription (LCI),[1] um documento legal escrito em kawi e que agora faz parte do acervo do Museu Nacional das Filipinas. De acordo com esse documento, Tondo era dominada por uma pessoa chamada Jayadeva, a qual detinha o título sânscrito de Senapati ou "Almirante".

Tondo foi dominada por uma linhagem de muçulmanos malaios até a Conquista Espanhola.

Após a Conquista Espanhola da cidade em 1571, Tondo foi inicialmente incluída na criação da Província de Pampanga, a primeira província colonial estabelecida no antigo Sulatanato. No censo realizado por Miguel de Loarca em 1583, Tondo era notificada como falando a mesma língua dos nativos da província de Pampanga.[2] O comissário do Instituo da Língua Nacional Jose Villa Panganiban uma vez escreveu que a linha divisória entre o povo kapampangan e o tagalog era o rio Pasig, e que, portanto, Tondo originalmente falava a língua kapampangan.[3] Tondo acabou se tornando uma província separada na metade final da era colonial espanhola.

Vendedor de frutas na rua Juan Luna.

Tondo foi uma das primeiras províncias a se rebelarem contra a Espanha no ano de 1896. Em 1911, sob a tutela norte-americana houve uma grande reorganização das divisões políticas. A província de Tondo foi dissolvida e suas cidades passaram a fazer parte das províncias de Rizal e Bulacan. Hoje em dia, Tondo é apenas um distrito da cidade de Manila.

O Festival de Sto. Niño[editar | editar código-fonte]

Calesa, uma carruagem típica.

Em 19 de janeiro de 2008, os festivais de Sto. Niño começaram em várias partes de Metro Manila, particularmente (com um desfile fluvial) em Tondo. O pároco Frei Enrique Santos, da paróquia de Sto. Niño, disse que a celebração começaria "com uma tradicional procissão de devotos dançando nas ruas e carregando imagens do menino Jesus; um pagode carregando uma velha imagem de Sto. Niño da Espanha conduzirá o desfile com 20 barcos menores acompanhando-o. A paróquia de Tondo abriga a imagem de Sto. Niño feita de marfim que foi trazida ao país por sacerdotes agostinianos de Acapulco, México no final da década de 1570."[4]

Em 20 de janeiro de 2008 a celebração das festividades de Sto. Niño, três pessoas foram mortas e cinco ficaram feridas um policial que levou um disparo.[5]

Hospitais[editar | editar código-fonte]

  • Hospital Geral de Tondo
  • Hospital Mary Johnston Hospital
  • Hospital Gat. Andres Bonifacio

Lugares de interesse[editar | editar código-fonte]

Uma tipo comum de táxi.
  • Praça Andres Bonifacio
  • Praça Moriones
  • Praça A. Hernandez
  • Praça Morga

Cultura Popular[editar | editar código-fonte]

Tondo é o pano de fundo para o filme independente, Tribu, que mostra a vida das ruas e das gangues do ponto de vista de garotos pobres.

Referências

Literatura sobre o tema[editar | editar código-fonte]

  • Gaspar de San Agustin, Conquistas de las Islas Philipinas 1565-1615, Translated by Luis Antonio Mañeru, 1st bilingual ed [Spanish and English], published by Pedro Galende, OSA: Intramuros, Manila, 1998
  • Henson, Mariano A. 1965. The Province of Pampanga and Its Towns: A.D. 1300-1965. 4th ed. revised. Angeles City: By the author.
  • Loarca, Miguel de. 1582. Relacion de las Yslas Filipinas. Blair and Robertson vol. 5 page 87:
  • Panganiban, J.V. 1972. Diksyunaryo-Tesauro Pilipino-Ingles. Quezon City: Manlapaz Publishing Co.
  • Mallat, Jean, Les Philippines: Histoire, Geographie, Moeurs, Agriculture, Idustrie, Commerce des colonies Espagnoles dans l’Océanie, Paris: Arthus Bertrand, Libraire de la Société de Géographie, 1846
  • Santiago, Luciano P.R., The Houses of Lakandula, Matanda, and Soliman [1571-1898]: Genealogy and Group Identity, Philippine Quarterly of Culture and Society 18 [1990]
  • Scott, William Henry, Barangay: Sixteenth-Century Philippine Culture and Society, Quezon City: Ateneo de Manila University Press, 1994
  • Scott, William Henry, Prehispanic Source Materials for the Study of Philippine History, Quezon City: New Day Publishers, 1984

Ligações externas[editar | editar código-fonte]