Torbern Bergman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Torbern Bergman
Química, mineralogia
Nacionalidade Suécia Sueco
Residência  Suécia
Nascimento 20 de março de 1735
Local Katrineberg
Morte 8 de julho de 1784 (49 anos)
Local Medevi
Atividade
Campo(s) Química, mineralogia
Instituições Universidade de Uppsala
Alma mater Universidade de Uppsala
Orientador(es) Bengt Ferrner
Orientado(s) Johan Afzelius

Torbern Olof Bergman (Katrineberg, 20 de março de 1735Medevi, 8 de julho de 1784) foi um químico sueco.

Contribuiu para a física, astronomia, geologia e mineralogia, mas sobretudo para a química.

Estudou na Universidade de Uppsala, doutorando-se em 1758. Ensinou física e matemática antes de se tornar professor de química, profissão que manteve até o fim da sua vida.

Introduziu a nomenclatura binomial dos sais e é autor de uma classificação química dos minerais, baseada na composição química.

A química analítica avançou significativamente com os trabalhos de Bergman, que separou os metais (cátions) em grupos, dando origem à análise química sistemática. É frequentemente considerado como o fundador da análise inorgânica quantitativa e um dos fundadores da mineralogia química.

Bergman foi um grande contribuinte para o avanço da análise quantitativa, e desenvolveu um esquema de classificação dos minerais que se baseava nas características químicas e na aparência. Salientam-se as suas pesquisas sobre química dos metais, em especial do bismuto e do níquel. Desenvolveu métodos quantitativos para determinar o cálcio, o chumbo e o ácido sulfúrico. Identificou o manganês, isolou o tungstênio e obteve, por oxidação do açúcar, o ácido oxálico. Estudou a química do alume. Introduziu a idéia de proporções de combinação constantes. Sua Dissertação sobre afinidades electivas contém as maiores tabelas de afinidade química já publicadas. Bergman foi o primeiro químico a utilizar o sistema de notação A, B, C, etc. para espécies químicas. Desenvolveu uma teoria reticular dos cristais.

Bergman também estudou o dióxido de carbono e desenvolveu procedimentos para produzir água mineral artificial mineral: em 1771, quatro anos após Joseph Priestley ter criado a água carbonatada artificial, Bergman inventou um processo para a sua produção a partir de giz, por acção do ácido sulfúrico.

É ainda conhecido pelo seu apoio a Carl Wilhelm Scheele, por muitos considerado "a maior descoberta" de Torbern Bergman.

Embora Bergman tenha morrido de tuberculose antes de completar 50 anos, conseguiu fazer da Uppsala um importante centro de estudos de química na Europa. Seus alunos mais talentosos como Scheele, Gadolin, Hjelm e os irmãos Elhyar prosseguiram seu trabalho. A tradução dos seus trabalhos, originalmente publicados em latim ou em sueco foi iniciada quando o cientista ainda era vivo.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Mostrom, Birgitta. (1957). Torbern Bergman: a bibliography of his works. Stockholm: Almqvist & Wiksell.
  • Schufle, J.A. (1985). Torbern Bergman : a man before his time. Lawrence, Kan.: Coronado Press.
  • Smeaton, W.A. (1970). "Bergman, Torbern Olaf". Dictionary of Scientific Biography 2. New York: Charles Scribner's Sons. 4-8. ISBN 0684101149 
  • Johannes Uray, Chemische Theorie und mineralogische Klassifikationssysteme von der chemischen Revolution bis zur Mitte des 19. Jahrhunderts. In: Berhard Hubmann, Elmar Schübl, Johannes Seidl (Hgg.), Die Anfänge geologischer Forschung in Österreich. Beiträge zur Tagung „10 Jahre Arbeitsgruppe Geschichte der Erdwissenschaften Österreichs“ von 24. bis 26. April 2009 in Graz. Graz 2010, S 107-125.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]