Tornada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portugal Tornada  
—  freguesia portuguesa extinta  —
Igreja Matriz da Tornada, Caldas da Rainha.
Igreja Matriz da Tornada, Caldas da Rainha.
Tornada está localizado em: Portugal Continental
Tornada
Localização de Tornada em Portugal Continental
39° 26' 52" N 9° 07' 45" O
Concelho primitivo Caldas da Rainha
Concelho (s) atual (is) Caldas da Rainha
Freguesia (s) atual (is) Tornada e Salir do Porto
Extinção 2013
Área
 - Total 19,82 km²
População (2011[1] )
 - Total 3 561
    • Densidade 179,7/km2 

Tornada foi uma freguesia portuguesa do concelho de Caldas da Rainha, com 19,7 km² de área e 3 561 habitantes (2011). Densidade: 180,8 hab/km².

Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada à freguesia de Salir do Porto, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Tornada e Salir do Porto da qual é a sede.[2]

Situada a 5 km a norte da sede do concelho, é limitada a norte pelas freguesias de Alfeizerão (concelho de Alcobaça) e Salir do Porto, a sul por Nossa Senhora do Pópulo e Santo Onofre, a leste por Salir de Matos e Coto, e a oeste por Serra do Bouro.

Situada em terrenos planos e férteis, é atravessada pelo rio de Tornada, que desagua no Oceano Atlântico, na baía de São Martinho do Porto.

A localidade de Tornada inclui os aglomerados populacionais de Tornada, Campo, Chão da Parada, Reguengo da Parada, Casais dos Morgados, Mouraria, Casais do Rio do Peixe e Casais do Vau.

Os pontos de interesse da localidade incluem a Igreja Matriz do século XVI e o Paul de Tornada.

História[editar | editar código-fonte]

O local era habitado quando da Invasão romana da península Ibérica, situado na via que ligava Coimbra a Torres Vedras. Na Idade Média, tinha o nome de Cornagaa, pertencendo ao termo de Óbidos, próxima do limite deste com os coutos de Alcobaça.

Com a fundação do Hospital de Nossa Senhora do Pópulo pela Rainha D. Leonor, esposa de João II de Portugal, Tornada iniciaria o processo de aproximação a Caldas da Rainha. D. Leonor deixaria em testamento ao hospital as rendas de terras situadas em Tornada de que era possuidora, entre as quais o então designado Paul da Boa Vista do Extremo. A expansão territorial dos coutos de Alcobaça para sul seria travada em Tornada, por sentença dada por D. Leonor em 1490.

Existia nesta época uma cultura florescente de linho para fins artesanais, comércio de cereais e vinha, extracção de sal e madeira, além da construção naval. A produção era escoada pelo porto fluvial de Tornada.

Com a reforma administrativa do século XIX, a freguesia de Tornada passou a integrar o concelho de Caldas da Rainha (1835). A proximidade da sede do concelho e a passagem pela povoação da estrada que liga Caldas da Rainha a Alcobaça, Nazaré, Leiria e ao norte de Portugal, e mais tarde da auto-estrada do Oeste (A8), originaram um significativo crescimento populacional e económico. Por esse motivo, é por vezes incluída, no todo ou em parte, na área urbana de Caldas da Rainha.

Referências

  1. População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano) (em português) Instituto Nacional de Estatística. Página visitada em 1 de Março de 2014. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013. "Informação no separador "Q601_Centro""
  2. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.