Totòtruffa 62

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Totòtruffa 62
Totó Vigarista (PT)
 Itália
1961 • pb • 107 min 
Realização Camillo Mastrocinque
Argumento Castellano e Pipolo
Elenco Totò, Nino Taranto
Género Comédia
Idioma Italiano
Página no IMDb (em inglês)

Totòtruffa 62 (Totó Vigarista) é um filme italiano de 1961[1] , dirigido por Camillo Mastrocinque.

Estreou em Portugal a 22 de Fevereiro de 1963.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Antonio (Totò) e Camillo (Nino Taranto) são dois ex-transformistas que vivem de organizar pequenos golpes e fraudes e só não vão presos graças à benevolência do comissário Malvasia (Ernesto Calindri), ex companheiro de escola de Antonio. Este emprega tudo o que ganha para pagar os estudos da sua filha Diana, que estuda na universidade. A jovem pensa que o pai é diplomata. Tudo se complica quando Antonio vigariza o filho do comissário. Este filme, entre outras, conta com a célebre cena da venda da Fontana di Trevi a um ingénuo italo-americano (Ugo D'Alessio), que passou para a história do cinema de comédia italiano.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.