Total War: Rome II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Total War: Rome II
Desenvolvedora The Creative Assembly
Publicadora(s) SEGA
Compositor(es) Jeff van Dyck
Plataforma(s) PC, Windows
Série Total War
Data(s) de lançamento 3 de Setembro de 2013[1]
Gênero(s) Estratégia em Tempo Real, Estratégia por Turnos
Modos de jogo Single-player, Multiplayer
Classificação Inadequado para menores de 13 anos i ESRB (América do Norte)
Recomendado para públicos maduros i OFLCA (Austrália)
Inadequado para menores de 16 anos i PEGI (Europa)
Mídia 3 CDs-original // Download na Steam
Requisitos mínimos
  • OS: XP/ Vista / Windows 7 / Windows 8
  • Processador: Intel Dual Core 2 GHz / Processador Intel Single Core 2.6 GHz
  • Memória RAM: 2 GB
  • Vídeo: 512 MB DirectX 9.0c compatível (shader model 3, textura de vértice com suporte).
  • DirectX®: 9.0c
  • Disco Rígido: 35 GB de espaço em disco
  • Resoluçao: 1024x768
Controles Teclado, Mouse
Idioma Inglês e mais 8 idiomas disponíveis
Hardware
Versão v1.13.0 (27/5/2014)
Último
Último
Total War: Shogun 2
Próximo
Próximo

Total War: Rome II[2] é um jogo de estratégia que desenvolvido pela The Creative Assembly e publicado pela SEGA que foi lançado 3 de Setembro de 2013 para o sistema Windows.[1] Este deverá ser o oitavo título da série de jogos eletrônicos Total War, sendo uma sequência do jogo de 2004 Rome: Total War.

Assim como em Rome: Total War, Rome II se passa durante o período da antiguidade clássica e foca na República Romana, dando ao jogador a escolha de transformar-se em Império Romano.

O jogo tem um mapa de campanha maior do que o de Rome: Total War, e além dos territórios atingidos pelo Império Romano, o mapa também "deverá abranger o leste e além".[3] Um novo motor gráfico é usado para renderizar o visual do jogo, e novas câmeras permitem o jogador focar em alguns soldados individualmente durante a batalha, que por si só deverá conter milhares de combatentes ao mesmo tempo - e em tempo real.[4]

Assim como em Total War: Shogun 2, o jogador deve fazer decisões durante o jogo. A The Creative Assembly pretende expandir essa mecânica, com cada decisões levando ao jogador a uma 'linha de decisão' em particular baseado nas suas decisões anteriores.[5] Além disso, ao invés de atribuir traits exclusivamente aos generais e membros da família como nos jogos anteriores da série, o jogador atribui traits também às legiões.[5] Os jogadores também poderão customizar suas legiões escolhendo as armas delas.[5]

O jogo foi um sucesso comercial e de crítica, superando seus predecessores em número de vendas.[6] [7]

Referências

  1. a b David Hinkle (2 de Julho de 2012). Total War: Rome 2 marches to PC in 2013 (em inglês). Joystiq. Página visitada em 6 de Julho de 2012.
  2. Total War: Rome II (em inglês). Página visitada em 6 de Julho de 2012.
  3. Alec Meer (2 de Julho de 2012). Surprise! Eyes-On With Total War: Rome II (em inglês). Página visitada em 6 de Julho de 2012.
  4. Total War: Rome II (em inglês). Joystiq. Página visitada em 6 de Julho de 2012.
  5. a b c Chris Thursten (2 de Julho de 2012). Total War Rome 2 preview: every detail about the new engine, naval combat, multiplayer and mods (em inglês). PCGamer. Página visitada em 6 de Julho de 2012.
  6. "Total War: Rome II trumps Shogun II’s peak number of players three times over". Página acessada em 16 de outubro de 2013.
  7. "Total War: Rome II for PC Reviews". Metacritic. Página acessada em 16 de outubro de 2013.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]