Três Augustos e os Cinco Imperadores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
History of China.gif
História da China
ANTIGA
Dinastia Zhou 1122/1027 AEC–221 AEC
Dinastia Chin 221 AEC–206 AEC
Dinastia Han Ocidental 206 AEC–220 EC
Dinastia Xin
Dinastia Han Oriental
Três Reinos 220–280
  Wei, Shu & Wu
Dezesseis Reinos
304–439
Dinastia Sui 581–618
Dinastia Tang 618–907
5 Dinastias e
10 Reinos

907–960
Dinastia Liao
907–1125
Dinastia Song
960–1279
  Song do Norte Xia
  Song do Sul Jin
Dinastia Yuan 1271–1368
Dinastia Ming 1368–1644
Dinastia Qing 1644–1911
MODERNA
República da China 1912–1949
República Popular
da China

1949–presente
Republica
da China (Taiwan)

1945–presente

Os Três Augustos e os Cinco Imperadores foram líderes mitológicos da China durante o período aproximado de 2850 a.C. a 2205 a.C., que é o tempo que precede a Dinastia Xia;

Os Três Augustos[editar | editar código-fonte]

Os Três Augustos, conhecidos também como os Três Soberanos, são considerados reis-deuses ou semi-deuses que usaram seus poderes mágicos para melhorar a vida das pessoas. Devido a sua grande virtude, eles teriam vivido até idade extremamente avançada, e governaram durante um período de grande paz e prosperidade.

Os Três Augustos são colocados sob diferentes identidades dependendo do documento. O famoso livro Registros do Historiador por Sima Qian apresenta os seguintes nomes:

  • O Deus Celestial (天皇), que governou por 18.000 anos
  • O Deus Terreno (地皇), que governou por 11.000 anos
  • O Deus Humano (泰皇 ou 人皇), que governou por 45.600 anos

O Yundou shu (運斗樞) e Yuanming bao (元命苞) os identifca como:

O deus Fuxi e a deusa Nüwa são considerados marido e mulher e ancestrais da humanidade após uma devastadora enchente, e Shennong é o deus que teria inventado a agricultura e foi o primeiro a ter utilizado uma planta para uso medicinal.

O Shangshu dazhuan (尚書大傳) e Baihu tongyi (白虎通義) substitui Nüwa por Suiren (燧人), o criador do fogo. O Diwang shiji (帝王世紀) substitui Nüwa pelo Imperador Amarelo (黄帝), o lendário ancestral de todo o povo chinês.

Os Cinco Imperadores[editar | editar código-fonte]

Os Cinco Imperadores são lendários reis-sábios de moral perfeita. De acordo com Registros do Historiador, eles eram:

Yao e Shun são também conhecidos como os Dois Imperadores, e, junto com Yu (禹), fundador da Dinastia Xia, são considerados posteriormente por confucionistas como modelos de líderes e exemplos de moral na história chinesa. O Shangshu xu (尚書序) e Diwang shiji incluem Shaohao (少昊) entre os Cinco Imperadores em vez do Imperador Amarelo.

A Canção de Chu (楚辭) identifica os Cinco Imperadores como deuses ligados aos pontos cardeais:

  • Shaohao (Leste)
  • Zhuanxu (Norte)
  • Imperador Amarelo (Centro)
  • Shennong (Oeste)
  • Fuxi (Sul)

O Livro das Sagrações (禮記) combina os Cinco Imperadores com as Cinco Linhagens (五氏), o que compreende:

  • Youchao-shi (有巢氏)
  • Suiren-shi (燧人氏)
  • Fuxi (伏羲氏)
  • Nüwa (女媧氏)
  • Shennong (神農氏)

O primeiro imperador chinês historicamente registrado e oficialmente considerado pela historiografia ocidental é Qin Shi Huang.