Três Passos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Três Passos
Tres-passos.jpg

Bandeira de Três Passos
Brasão de Três Passos
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 28 de dezembro de 1944 (69 anos)
Gentílico trespassense
Prefeito(a) José Carlos Amaral (PTB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Três Passos
Localização de Três Passos no Rio Grande do Sul
Três Passos está localizado em: Brasil
Três Passos
Localização de Três Passos no Brasil
27° 27' 21" S 53° 55' 55" O27° 27' 21" S 53° 55' 55" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Noroeste Rio-grandense IBGE/2008 [1]
Microrregião Três Passos IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Esperança do Sul, Tenente Portela, Miraguaí, Bom Progresso, Humaitá, Crissiumal e Tiradentes do Sul
Distância até a capital 470 km
Características geográficas
Área 268,395 km² [2]
População 23 973 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 89,32 hab./km²
Altitude 451 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,822 muito alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 355 123,653 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 14 796,82 IBGE/2008[5]
Página oficial

Três Passos é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 27º27'20" sul e a uma longitude 53º55'55" oeste, estando a uma altitude de 451 metros. Sua população no ano de 2010 era de 23 973 habitantes.[3]

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro vestígio da formação do município de Três Passos deve ser buscado no ano de 1879, quando da construção da Colônia Militar do Alto Uruguai. Nesta época, o Império do Brasil buscava sua afirmação como dono das terras meridionais no mesmo contexto de aquisição definitiva das Missões jesuíticas.

Criada pelo Decreto Imperial nº 7221, de 15 de janeiro de 1879, a Colônia tinha como função guardar as terras do Noroeste, bem como vigiar o território e a Picada Geral, estrada que ligava-a ao município de Palmeira das Missões.

Distante 35 quilômetros da Colônia no sentido sul, foi construído em 1882, uma casa de guarda avançada que tinha como incumbência vigiar e proteger a precária estrada. Este local fora escolhido por contar com três córregos de água potável que serviam a homens e animais, recebendo a todos os viajantes com hospitalidade e a generosidade de uma terra profícua e abundante. Chamado inicialmente de “Pouso dos três passos”, é neste local que mais tarde surgirá uma cidade moderna com a marca da amizade e hospitalidade em seu seio.

Nas terras ao redor do “pouso”, vai formando-se um povoado com pessoas atraídas pela fertilidade da terra, bom clima para a agricultura como também pela distribuição e comercialização de colônias de terras a bom preço.

A povoação era servida por telégrafo, que interligava Palmeiras das Missões/Colônia Três Passos/Alto Uruguai. A principal estrada também passava pelo povoado, sendo fator de expansão da colonização através do sertão.

A partir de 1933, o crescimento econômico e populacional da Colônia Três Passos faz com que as autoridades municipais de Palmeira das Missões transformem-na no 5º Distrito. Feito este ato, o povoado segue recebendo colonizadores, principalmente alemães que, vindos de áreas anteriormente ocupadas, buscavam terras no Noroeste, interiorizando a colonização germânica rumo às novas terras e novas oportunidades.

Com o trabalho dos colonos e o conseqüente crescimento da Colônia, surge a oportunidade de transformá-la em cidade. Na verdade, a necessidade de criação de novos municípios se faz fundamental dentro da política nacional e internacional. Viviam-se os anos iniciais da década de 40 e o espectro da Segunda Guerra Mundial assombrava a todos, preocupando as autoridades estaduais e federais. As colônias de origem imigrante (alemãs e italianas) até então tinham crescido sem serem lembradas pelo poder público.

Para garantir a integridade do território e evitar manifestações de apoio ao Eixo, as autoridades decidem-se pela criação de inúmeros novos municípios. Tratava-se de levar autoridade até as colônias. A história da formação da comunidade de Três Passos não é diferente de qualquer outra localidade que contou com a participação do imigrante na definição de um núcleo populacional com importância regional.

A 28 de dezembro de 1944, sob decreto lei nº 716, assinado pelo general Ernesto Dornelles, foi criado o 92º município do estado do Rio Grande do Sul, Três Passos.

Economia[editar | editar código-fonte]

Três Passos, desde seu nascedouro, caracterizou-se pela atividade agrícola minifundiária. Esse setor, ainda bastante preponderante, notabiliza-se pelo cultivo de soja, trigo, milho e pela criação de suínos e gado leiteiro.

Três Passos conta com um distrito industrial com treze hectares de extensão, total infra-estrutura(água, luz, telefone, etc.), distante um quilômetro da cidade. O município, além de dispor do referido Distrito Industrial, ainda com espaço disponível aos empreendedores interessados, concede isenção de todos os tributos municipais durante cinco anos, para empresas que pretendam aqui instalar-se, podendo os mesmos serem estendidos por períodos sucessivos, caso o empreendimento gere empregos suplementares.

Em razão de seu setor agrícola desenvolvido, abrem-se oportunidades ímpares no ramo da agroindústria. Conta também com relevante desenvolvimento do setor moveleiro e de indústrias do vestuário. Sua proximidade com a República da Argentina dota-lhe de posição geográfica em relação ao MERCOSUL.

Educação[editar | editar código-fonte]

Três Passos possui um campus da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí), cuja reitoria se localiza em Ijuí, além da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS)e também pólo da Universidade Aberta do Brasil (UAB), com parceria firmada com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Univerdade Federal de Santa Maria (UFSM) e Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

Três Passos também possui dois grandes centros de educação, o Colégio Érico Verissimo[6] e o Colégio Ipiranga, referências na região.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. a b Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Informações Pessoais

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]