Três tesouros (taoismo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Os termos três tesouros, três preciosidades ou três jóias (chinês: 三寶; pinyin: sānbǎo; Wade-Giles: san-pao), se referem às três virtudes consideradas como valores básicos no taoismo.

Origem[editar | editar código-fonte]

Encontramos as primeiras referências ao têrmo sānbǎo, no capítulo 67 do Tao Te Ching. O famoso escritor Lin Yutang (1948:292) afirma que este trecho inclui "os mais belos ensinamentos" de Laozi:

我有三寶持而保之一曰慈二曰儉三曰不敢為天下先

Três jóias aprecio e preservo:

A primeira chama-se misericórdia;

A segunda chama-se moderação;

A terceira chama-se não buscar o poder.

Antes a misericórdia, depois coragem;

Antes moderação, depois generosidade.

Antes não buscar o poder, depois liderar homens de talento.

(trecho do capítulo 67, conforme tradução disponível no Wikisource)

Traduções[editar | editar código-fonte]

A linguagem poética do Tao Te Ching é notoriamente difícil de traduzir, como ilustram as diversas traduções dos "três tesouros" abaixo.

Tradução Sanbao
三寶
Ci
Jian
Bugan wei tianxia xian
不敢為天下先
Balfour (1884:41) três coisas que considero preciosas compaixão frugalidade evitar tomar a frente dos outros — modéstia
Legge (1891:110) três coisas preciosas gentileza economia evitar colocar-se no primeiro lugar em relação aos outros
Lin (1948:291) Três Tesouros Amor Nunca em demasia Nunca ser o primeiro do mundo
Erkes (1950:117) Três jóias Gentileza economia não ousar assumir o papel principal do reino
Waley (1934:225) três tesouros piedade frugalidade recusar ser 'o primeiro de todas as coisas sob o céu'
Wu (1961:97) Três Tesouros Piedade Frugalidade Não ousar ser o Primeiro do Mundo
Chan 1963:219) três tesouros amor profundo frugalidade não ousar estar adiante do mundo
Lau (1963:129) três tesouros compaixão frugalidade não ousar assumir a liderança no império
Wieger & Bryce (1984:34) três coisas caridade simplicidade humildade
Mitchell (1988:?) três coisas a ensinar simplicidade paciência compaixão
Henricks (1989:38) três tesouros compaixão frugalidade não presumir estar nas fronteiras do mundo
Chen (1989:208) três tesouros amor maternal frugalidade não ousar atingir os limites do mundo
Mair (1990:41) três tesouros compaixão frugalidade não ousar estar adiante de tudo sob o céu
Muller (2004:n.p.) três tesouros compaixão frugalidade não ousar me colocar acima de todos
Wikisource três jóias misericórdia moderação não buscar o poder

A partir desta comparação, uma tradução consensual destes têrmos poderia ser: compaixão ou amor, frugalidade ou simplicidade, e humildade ou modéstia.

Outros significados[editar | editar código-fonte]

Além dos "três tesouros" taoistas, o têrmo chinês sānbǎo também pode se referir aos três tesouros na medicina tradicional chinesa, ou aos três tesouros do budismo. Victor H. Mair (1990:110) observa que os budistas chineses escolheram o termo taoísta sānbǎo para traduzir o sânscrito triratna ou ratnatraya, e "não é de todo estranho que os taoistas pegariam essa antiga expressão generalizada indiana para usá-la para seus próprios fins".

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Balfour, Frederic H., 1884, "Taoist Texts: Ethical, Political, and Speculative", Trubner.
  • Chan, Wing-Tsit, 1963, "The Way of Lao Tzu", Bobbs-Merrill.
  • Chen, Ellen M., 1989, "The Te Tao Ching: A New Translation with Commentary", Paragon House.
  • Erkes, Eduard, 1950, "Ho-Shang-Kung's Commentary on Lao-tse", Artibus Asiae.
  • Henricks, Robert G., 1989, "Lao-tzu: Te-Tao Ching, A New Translation Based on the Recently Discovered Ma-wang-tui Texts", Ballantine.
  • Lau, D.C., 1963, "Tao Te Ching", Penguin Books.
  • Legge, James, 1891, "The Texts of Taoism", 2 vols (Sacred Books of China 39 and 40), Clarendon Press, 1891.
  • Lin Yutang, 1948, "The Wisdom of Laotse", Random House.
  • LIU, Pai Lin "A Ética e o Taoísmo", (palestra resumida por Inês Sarti), artigo publicado no jornal Being Dao, ano 2, nº 1, março de 2004.
  • Mair, Victor H., 1990, "Tao Te Ching: The Classic Book of Integrity and the Way, by Lao Tzu; an entirely new translation based on the recently discovered Ma-wang-tui manuscripts", Bantam Books.
  • Mitchell, Stephen, 1988, "Tao Te Ching", Harper Collins.
  • Muller, Charles, 2004, "Daode jing".
  • Waley, Arthur, 1934, "The Way and Its Power: A Study of the Tao Te Ching and its Place in Chinese Thought", Allen & Unwin.
  • Wieger, Léon, 1984. "Wisdom of the Daoist Masters", tr. Derek Bryce. Llanerch Enterprises.
  • Wu, John C.H., 1961, "Tao Teh Ching", St. John's University Press.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]