Trítono

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Chamamos de Trítono um intervalo entre alturas de duas notas musicais que possua exatamente três tons inteiros. O efeito denominado trítono consiste uma das mais complexas dissonâncias possíveis na música ocidental.

Quando ocorre em acordes, caracteriza-se por 4ª aumentada (#4) ou 5ª diminuta (b5). Todos os acordes diminutos possuem em sua formação o trítono, sendo a distância intervalar da tônica do acorde para a quinta do mesmo, o que se repete em acordes de 7ª menor, onde a relação intervalar da 4ª para a 7ª é de um trítono.

O trítono causa sensação de movimento, motivo que o faz ser muito explorado em momentos de "tensão" da música.

Durante algum tempo os trítonos eram proibidos pela igreja ocidental por causarem demasiado efeito de tensão e movimento. Fato superado em algum tempo pelos compositores, que descobriram meios para justificarem sua utilização.

Exemplos de trítono podem ser encontrados em quase todas as músicas, sendo que as mais carregadas de tensão (como a 5ª Sinfonia, 1º Movimento de Beethoven) obviamente possuem mais trítonos em sua construção harmônica. Atualmente, mesmo as músicas calmas apresentam empregos de trítonos em alguns momentos: o simples fato de executar a nota e a si ao mesmo tempo gera um trítono (por exemplo).

O trítono é um elemento essencial do heavy metal, compondo a atmosfera musical que lhe é característica.[1]

É conhecido como "a nota do diabo".[2]

Referências

  1. Metal: A Headbanger's Journey. Documentário. Produção de Sam Dunn, Scot McFayden e Sam Feldman. Warner Home Video, 2005.
  2. O que é o "som do diabo"? mundoestranho.abril.com.br. Página visitada em 17/1/13.
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.