Tractatus de Amore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Tractatus de Amore de André Capelão, também conhecido como De arte honeste amandi, do qual provavelmente veio o título em português Tratado do Amor Cortês, foi escrito no século XII e pode ter sido inspirado numa obra anterior sobre o amor, Tawq al-hamamah (O colar da pomba) do filósofo muçulmano Ibn Hazm.

A obra[editar | editar código-fonte]

Tractatus de Amore foi escrito entre 1186 e 1190, muito provavelmente para a corte francesa de Filipe Augusto. Eruditos anteriores acreditavam que a obra havia sido redigida por solicitação de Marie de Champagne, filha do rei Luís VII e de Eleonor da Aquitânia, mas isto foi refutado pelo historiador e lingüista John Benton na década de 1960. A alusão reprovadora no texto à "riqueza da Hungria" sugeriu a hipótese de que o texto teria sido redigido depois de 1184, quando Bela III da Hungria enviou à corte francesa uma declaração de sua renda e propôs casamento a irmã de Marie, Margarida de França, mas antes de 1186, quando a proposta foi aceita.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CAPELÃO, André. Tratado do Amor Cortês. São Paulo: Martins Fontes, 2000. ISBN 8533612656

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Donald K. Frank: Naturalism and the troubadour ethic. New York: Lang, 1988. (American university studies: Ser. 19; 10) ISBN 0-8204-0606-6
  • Gregory M. Sadlek: Idleness working: the discourse of love's labor from Ovid through Chaucer and Gower. Washington, DC: Catholic Univ. of American Press, 2004. ISBN 0-8132-1373-8

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.