Trader Horn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Trader Horn
Trader Horn
 Estados Unidos
1931 • p&b • 122 min 
Direção W. S. Van Dyke
Produção Irving Thalberg
Roteiro Dale Van Every
John T. Neville
Cyril Hume
Richard Schayer
Etherelda Lewis (livro)
Alfred Aloysius Horn (livro)
Elenco Harry Carey
Edwina Booth
Duncan Renaldo
Gênero Aventura
Idioma Inglês
Música William Axt
Sol Levy
Direção de fotografia Clyde De Vina
Figurino Eugene Joseph
Edição Ben Lewis
Estúdio MGM
Distribuição MGM
Lançamento Estados Unidos 23 de maio de 1931
Portugal 5 de abril de 1932
Orçamento US$1,300,000
Receita US$3,400,000
Página no IMDb (em inglês)

Trader Horn (Trader Horn, no original em inglês) é um filme estadunidense de 1931, do gênero aventura, dirigido por W. S. Van Dyke e estrelado por Harry Carey e Edwina Booth.

Produção[editar | editar código-fonte]

Clássico de aventuras, Trader Horn foi o primeiro filme sonoro[1] e o primeiro não documentário[2] rodado na África.

As filmagens foram muito difíceis e duraram sete meses, ainda em 1929.[1] Os acidentes foram inúmeros: um rinoceronte matou um garoto nativo e quase matou o consultor técnico Major W. V. D. Dickinson, enquanto outro membro da equipe caiu em um rio e perdeu a vida entre os dentes de um crocodilo.[2] Edwina Booth contraiu malária, da qual nunca se recuperou totalmente, e processou a MGM com sucesso por perdas e danos.[1] [3]

Quando recebeu o material, o produtor Irving Thalberg percebeu que os milhares de metros de celuloide filmados formavam um todo sem sentido. Assim, além de regravar a maior parte dos diálogos,[2] pois o som obtido in loco revelou-se largamente inútil, ele ordenou que várias cenas fossem refeitas no estúdio e adicionou outras, rodadas no México[1] [3] . A unidade que se deslocou a esse país foi acusada de deixar leões à beira da morte por inanição, para obter maior realismo em sequências de ataques a veados e hienas.[2]

Tudo isso tomou quase todo o ano de 1930.[1]

Apesar de todos os percalços, a persistência de Thalberg foi recompensada: Trader Horn revelou-se um tremendo sucesso de bilheteria e foi indicado ao Oscar de Melhor Filme.

Cenas não aproveitadas do filme ressurgiram em 1932, incorporadas pelo próprio Van Dyke em Tarzan the Ape Man, a primeira aventura do herói estrelada por Johnny Weissmuller.[1]

Trader Horn ganhou uma versão erótica em 1970, com o título de Trader Hornee. Em 1973, a MGM refilmou a história, com Rod Taylor e Anne Heywood nos papéis principais.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Trader Horn e Peru, respectivamente um explorador e um jovem inexperiente, ajudam a corajosa Senhora Edith Trent a resgatar sua filha Nina das garras de uma tribo selvagem na África misteriosa. O problema é que Nina, de prisioneira, passou a ser uma divindade cruel a quem todos devem obediência.

Premiações[editar | editar código-fonte]

Prêmio Categoria Situação
Oscar Melhor Filme Indicado

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Harry Carey Trader Horn
Edwina Booth Nina Trent
Duncan Renaldo Peru
Mutia Omoolu Rencharo
Olive Carey Edith Trent

Referências

  1. a b c d e f EAMES, John Douglas, The MGM Story, Londres: Octopus Books, 1982 (em inglês)
  2. a b c d WOLLSTEIN, Hans J.. Trader Horn. AllMovie. Página visitada em 25 de novembro de 2013.
  3. a b MATTOS, A. C. Gomes de, Hollywood Anos 30, Rio de Janeiro: EBAL - Editora Brasil-América, 1991

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]