Tragulidae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaTragulidae
Ocorrência: Mioceno–Recente
Tragulus javanicus

Tragulus javanicus
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Subordem: Ruminantia
Infraordem: Tragulina
Família: Tragulidae
Milne-Edwards, 1864
Gêneros

Tragulidae é uma família de mamíferos da ordem Artiodactyla. As espécies são chamadas de trágulos, também conhecido como cervo-rato (não confundir com rato-cervo, Peromyscus) ou chevrotain.[quem?] Eles são criaturas pequenas, misteriosas, encontrados somente nas florestas tropicais da África, da Índia, e no Sudeste Asiático. São os únicos membros vivos do infraordem Tragulina.

A família era difundida e bem sucedida do Oligoceno (34 milhões de anos atrás) ao Mioceno (aproximadamente 5 milhões de anos atrás), mas quase não alteraram a sua forma neste tempo todo, e são um exemplo de uma forma primitiva de ruminante. Eles possuem um estômago tetra-compartimentado para fermentar plantas resistentes, mas a terceira câmara é mal-desenvolvida. Não têm chifres, mas ambos os sexos possuem os caninos superiores ampliados [1], os dos macho são proeminentes e afiados, projetando-se para fora da mandíbula. Eles tem as pernas curtas e finas, que os deixam com pouca agilidade, mas ajuda-os também a manter um perfil menor que os ajude a transpor a densa folhagem de seu ambiente.

O maior membro da família é o trágulo-aquático da África, aproximadamente com 80 cm de comprimento e 10 quilogramas de peso. É considerado como os mais semelhante aos suídeos e o mais primitivo das 4 espécies. Todos os três restantes preferem habitats rochosos de floresta. O trágulo-pequeno do Sudeste Asiático é o menor, e é realmente o menor de todos os ungulados em um tamanho maduro, mede 45 cm de comprimento e pesa 2 quilogramas.

Todas as quatro espécies dependem, para sua sobrevivência, da preservação de seu habitat florestal e da limitação do comércio de carne silvestre.

No folclore Indonésio, os trágulos tem o mesmo papel da esperta raposa nas fábulas da Europa.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

São reconhecidos 3 gêneros e 10 espécies recentes:[1] [2] [3]

Vários gêneros fósseis são descritos para a família:

Referências

  1. Grubb, P.. Order Artiodactyla. In: Wilson, D.E.; Reeder, D.M. (eds.). Mammal Species of the World. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005. 637–722 pp. ISBN 978-0-8018-8221-0 OCLC 62265494
  2. MEIJAARD, I.; GROOVES, C.P.. (2004). "A taxonomic revision of the Tragulus mouse-deer". Zoological Journal of the Linnean Society 140: 63–102.
  3. GROVES, C.; MEIJAARD, E.. (2005). "Intraspecific variation in Moschiola, the Indian Chevrotain". The Raffles Bulletin of Zoology (Supplement 12): 413–421.
  4. KAUP, J.−J. 1832–39. Description d’ossements fossiles de mammifères inconnus jusqu’à présent, qui se trouvent au Muséum grand−ducal du Darmstadt. Part. V. Darmstadt, 91–103. J.−G. Heyer, Darmstadt
  5. PILGRIM, G.−E.. (1910). "Notices on new mammalian genera and species from the Tertiaries of India". Records of the Geological Survey of India 40: 63–71.
  6. HAN, D.. (1986). "Fossils of Tragulidae from Lufeng, Yunnan [in Chinese, with English abstract]". Acta Anthropologica Sinica 5: 68–78.
  7. THOMAS, H.; GINSBURG, L.; HINTONG, C.; SUTEETHORN, V.. (1990). "A new tragulid, Siamotragulus sanyathanai n. gen. n. sp. (Artiodactyla, Mammalia) from the Miocene of Thailand (Amphoe Pong, Phayao Province)". Comptes Rendues de l’Academie des Sciences, série II 310: 989–995.
  8. MÉTAIS, G., CHAIMANEE, Y.; JAEGER, J.-J.; DUCROCQ S.. (2001). "New remains of primitive ruminants from Thailand: evidence of the early evolution of the Ruminantia in Asia". Zoologica Scripta 30: 231–248.
  9. SÁNCHEZ, I.M.; QUIRALTE, V.; MORALES, J.; PICKFORD, M.. (2010). "A new genus of tragulid ruminant from the early Miocene of Kenya". Acta Palaeontologica Polonica 55 (2): 177–187. DOI:10.4202/app.2009.0087.