Trajano de Moraes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Trajano de Moraes
Bandeira de Trajano de Moraes
Brasão de Trajano de Moraes
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 25 de abril de 1891 (123 anos)[1]
Gentílico trajanense
Prefeito(a) Carlos José Gomes de Souza (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Trajano de Moraes
Localização de Trajano de Moraes no Rio de Janeiro
Trajano de Moraes está localizado em: Brasil
Trajano de Moraes
Localização de Trajano de Moraes no Brasil
22° 03' 46" S 42° 03' 57" O22° 03' 46" S 42° 03' 57" O
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Mesorregião Centro Fluminense IBGE/2008[2]
Microrregião Santa Maria Madalena IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Bom Jardim, Conceição de Macabu, Cordeiro, Macaé, Macuco, Nova Friburgo, Santa Maria Madalena e São Sebastião do Alto
Distância até a capital 222 km
Características geográficas
Área 589,397 km² [3]
População 11 181 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 18,97 hab./km²
Altitude 655 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,723 (81º) – alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 74 921,802 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 7 541,96 IBGE/2008[6]
Página oficial

Trajano de Moraes[7] é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Sua população estimada em 1º de julho 2009 era de 10.990 habitantes.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a 22º03'48" de latitude sul e 42º03'59" de longitude oeste, a 655 metros de altitude. Conta com uma população de 9.945 habitantes (2010).[4] O município faz divisa com Macaé ao Sul; Conceição de Macabu e Santa Maria Madalena a leste; São Sebastião do Alto e Macuco ao Norte; Cordeiro, Bom Jardim e Nova Friburgo a Oeste.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O desbravamento do município de Trajano de Moraes está ligado aos portugueses estabelecidos nas baixadas que subiram a serra, em busca de riquezas. Os veios de ouro não existiam, mas logo eles descobriram um outro tipo de riqueza: o café. Os colonos portugueses e a mão-de-obra escrava tornaram a terra produtiva e dela extraíram grandes fortunas. Em 1881 chegava os primeiros colonos europeus a região, atraídos pelos cafezais.

Sabe-se que o primeiro núcleo populacional se formou em volta da Capela Nosso Senhor dos Passos, em 1840, situada na atual São Francisco de Paula. A agricultura fez com que São Francisco de Paula vivesse um período de imponência, os barões do café vestiam-se de acordo com a moeda e costumes vivido pela população da capital. Criaram os jornais que circulavam na localidade, a banda de música, desenvolveram o comércio, etc.

Em 1846, em decorrência do desenvolvimento alcançado pela região através da cultura cafeeira e por influência de José Antônio de Moraes, proprietário da fazenda Aurora, o núcleo foi elevado à categoria de freguesia, sob a denominação de São Francisco de Paula, então pertencente ao município de Cantagalo. Em virtude da emancipação de Santa Maria Madalena, no ano de 1861, essa freguesia foi incorporada ao território desse novo município fluminense. Com a abolição da escravatura e esgotamento dos solos, toda a economia da região ficou abalada. No intuito de atenuar a crise econômica, o governo decretou a criação do município de São Francisco de Paula, através do Decreto n.º 178, de 12 de março de 1891, instalado em 25 de abril do mesmo ano, tendo a freguesia sido elevada à categoria de vila e sede do novo município.

Com a chegada da linha férrea, em 1893, na localidade denominada Ventania, foi inaugurada a estação ferroviária Dr. Trajano de Moraes, um novo núcleo populacional se formou ao redor da linha férrea. Essa localidade desenvolveu-se com tal rapidez que o governo transferiu para lá a sede municipal, em 1915. Entre 1919 e 1923, a sede do município foi temporariamente alterada para a localidade onde ficava a estação de Aurora, atual Visconde de Imbé. Em 1923, a sede do município foi novamente transferida para Vila Ventania (hoje Trajano de Moraes).

Em 27 de dezembro de 1929, o Coronel Alfredo Lopes Martins mudou o nome do município de São Francisco de Paula para Trajano de Moraes.

Foram políticos influentes da época: José Antônio de Moraes, Visconde de Imbé, fazendeiros da Fazenda Aurora, Trajano Antônio de Moraes (que mais tarde daria o nome à sede do município), entre outros.

Quem foi Trajano de Moraes?[editar | editar código-fonte]

Trajano Antônio de Moraes nasceu no município de Borrazópolis no estado do Paraná e mudou-se ainda criança com seus pais para o estado do Rio de Janeiro, estabelecendo residência na Fazenda Aurora. Era filho de José Antônio de Moraes (o Visconde de Imbé) e Leopoldina Neves de Moraes (a Viscondessa de Imbé). Era um homem influente de sua época e um grande fazendeiro, proprietário das fazendas de Santo Inácio, Barro Alto e Retiro. O Comendador Trajano Antônio de Moraes faleceu em 1911.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Sua beleza natural pode ser observada principalmente nas cachoeiras, em especial a Cachoeira Graças a Deus (em Sodrelândia, 5.° Distrito), Barragem e Cachoeira das Neves. Também existem algumas fazendas históricas, e o local que deu origem ao município – conhecido como São Francisco de Paula.

Não existe linha de ônibus regular que ligue o município com a capital do Estado. A Auto Viação 1001 faz a ligação entre Trajano e Nova Friburgo (via Macuco, Cantagalo, Cordeiro e Bom Jardim). Há ainda uma linha da mesma empresa que liga Friburgo ao distrito de Barra dos Passos.

A empresa Expresso Macabu liga Trajano de Moraes a Macaé, Conceição de Macabu e Santa Maria Madalena.

A Viação Silveira liga Trajano de Moraes ao distrito de Maria Mendonça (via Serra das Almas). A mesma viação faz também o trajeto entre Maria Mendonça e o município de Bom Jardim.

Referências

  1. dados gerais
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. a b Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  7. Lei nº 4088, de 25 de março de 2003. Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. Página visitada em 29 de março de 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio de Janeiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.