Transnístria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde agosto de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Република Молдовеняскэ Нистрянэ
(Republica Moldovenească Nistreană)
Приднестрóвская Молдáвская Респýблика
(Pridnestrovskaya Moldavskaya Respublika)
Придністровська Молдавська Республіка
(Prydnistrovs'ka Moldavs'ka Respublika)


República Moldava da Transnístria
Bandeira da Abecásia
Brasão de armas da Transnístria
Bandeira Brasão de armas

Localização da Transnístria

Capital Tiraspol
46°50′N 29°37′E (capital)
Cidade mais populosa Tiraspol
Língua oficial Russo1, moldavo2 e ucraniano
Governo República presidencialista
 - Presidente Yevgeny Shevchuk
 - Primeira-ministra Tatyana Turanskaya
Território autónomo da República da Moldávia, de facto independente  
 - Declaração de Independência 2 de Setembro de 1990 
 - Guerra da Transnístria 2 de Março - 21 de Julho de 1992 
 - Reconhecimento internacional por apenas três países não membros da ONU3 
Área  
 - Total 4163 km² 
 - Água (%) 2,35
População  
 - Estimativa de 2010 518700 hab. 
 - Censo 2004 555347 hab. 
 - Densidade 124,6 hab./km² (n/d.º)
PIB (base PPC)
 - Total US$ n/d 
 - Per capita US$ n/d 
Moeda Rublo transnístrio4 (PRB)
Fuso horário (UTC+2)
 - Verão (DST) (UTC+3)
Cód. Internet nenhum5
Cód. telef. ++373; especificamente +373 5 e +373 2

Mapa da Transnístria

1 O russo é a principal língua oficial e a língua franca.
2 Linguisticamente, o mesmo que romeno.
3 Limitado aos países separatistas Abecásia e Ossétia do Sul.
4 O leu moldavo é usado em localidades sob controle moldavo e na zona de segurança.
5 São por vezes utilizados .ru e .md.

A Transnístria (também Transdnístria[1] , Transdniestre ou Transdniéstria[2] , "além do rio Dniester"), é uma região no Leste Europeu que pertence oficialmente à Moldávia, embora tenha unilateralmente declarado sua independência em 1990 com a ajuda de contingentes russos e cossacos.

A região mantém-se, de facto, independente com o auxílio de forças russas. O Conselho da Europa considera a questão da Transnístria um conflito congelado.

Os nativos chamam ao país República Moldava da Pridnestróvia (Pridnestróvskaia Moldávskaia Respúblika), não aceitando o termo 'Transnístria' por o considerarem romeno.

A capital da região é Tiraspol.

O território hoje independente de facto não corresponde literalmente ao termo 'Transnístria' (quer na acepção russófona quer na acepção moldava), porquanto não fica "além do rio Dniester", mas antes é atravessado por ele.

História[editar | editar código-fonte]

A partir dos séculos X e XI, a história da Transnístria esteve sempre ligada à história da Ucrânia, tendo feito parte, inclusive, de um Estado poderoso e prestigioso na Europa, o Principado de Kiev, que estabeleceu a base das identidades nacionais das nações eslavas orientais nos séculos subsequentes. A capital do principado era Kiev, hoje capital da Ucrânia. Esta relação fez com que o alfabeto utilizado pela maioria de seus habitantes fosse o cirílico, em vez do alfabeto latino utilizado na Romênia.

Após a extinção desse principado, em consequência das invasões mongois no século XIII, o território passou por diversas mãos, até que, no final do século XVIII, foi incorporado ao Império Russo.

Mapa do Reino da Romênia em 1939: O rio Dniester delimita a fonteira entre Romênia e Ucrânia

Com a Revolução Russa, a Transnístria foi incorporada à recentemente criada República Socialista Soviética da Ucrânia (março de 1919), esta posteriormente anexada à União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, aquando de sua criação em dezembro de 1922.

Mapa das fronteiras acordadas no pacto Molotov-Ribbentrop e mapa das fronteiras reais de 1939

Em 23 de agosto de 1939, a Alemanha nazista e a União Soviética assinaram o Pacto Molotov-Ribbentrop que estipulava, entre outras coisas, o «interesse» soviético por territórios situados na Romênia.

Romênia após a Segunda Guerra Mundial. Os territórios perdidos estão indicados a verde-claro.

Em 1940, início da Segunda Guerra Mundial, já invadida, a Romênia perdeu a Bessarábia para a União Soviética. Em 1941, numa contra-ofensiva, a Romênia, aliada da Alemanha, retomou a região, tornando a perdê-la para as tropas russas em 1944. No final da guerra, sob domínio soviético, a Bessarábia foi dividida em partes, uma das quais dá origem à República Socialista Soviética da Moldávia [1] . A República Socialista Soviética da Ucrânia também cede parte de seu território, a Transnístria, para a formação do novo país.

Em 1990, em meio à onda de independências das ex-repúblicas soviéticas, a Moldávia decretou a obrigatoriedade da língua moldava (uma variante do romeno) em todo o seu território e proibiu o ensino e a utilização do russo na Transnístria. Esta proclamou então a sua independência, que não foi reconhecida pela Moldávia. Uma intervenção soviética na região, ainda em 1990, evitou a guerra civil naquele ano. Após a independência da Moldávia em relação à URSS, em agosto de 1991, eclodiu a guerra civil. Contingentes militares e policiais da Moldávia, com o apoio de voluntários romenos e moldavos, invadiram a Transnístria, tendo causado numerosas baixas entre os civis. A intervenção militar russa impediu o massacre da população russófona. Em 1992 foi assinado um cessar-fogo entre o governo moldavo, os separatistas e a Federação Russa, em troca de uma maior autonomia à província. No entanto, manteve-se uma situação de independência de facto, havendo atualmente uma fronteira real entre a Moldávia e a Transnístria, com controlos militares, policiais e aduaneiros de cada lado, que todavia não impedem a normal circulação de pessoas e bens. Entre os beligerantes, mantêm-se contingentes de capacetes azuis das Nações Unidas, constituídos por militares russos.

Em 2004, ainda sob ocupação do exército russo, o governo da Transnístria encerrou diversas escolas que utilizavam o alfabeto latino (alegadamente por o seu número ser desproporcionado em relação ao número de transnístrios de língua moldava) e promoveu o uso do alfabeto cirílico, o mesmo empregado na escrita russa.

Em 2006 foi realizado um referendo na Transnístria (sem o apoio do governo moldavo), cujo resultado indicou a preferência da população pela independência e posterior união com a Federação Russa. Contudo, dada a falta de contiguidade geográfica (entre a Rússia e a Transnístria estende-se todo o território da Ucrânia), o governo russo não parece recetivo a uma integração política da Transnístria, considerando a sua situação distinta das da Abcásia e da Ossétia do Sul, estas geograficamente contíguas à Rússia na zona do Cáucaso. O apoio de Moscovo à Transnístria manifesta-se, nomeadamente, pela venda de combustíveis fósseis (petróleo e gás natural) a preços favoráveis.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

600 a.C.: O primeiro estabelecimento, uma colônia grega nomeada Tyras, é fundado no local da Tiráspol de hoje.

100 a.C.: Habitada por citas, a Pridnestróvia é formalmente parte da Sarmátia eslava. O rio Dniestre dá forma à fronteira com a Dácia, precursora da Romênia e da Moldávia de hoje.

850: Na Idade Média, a Pridnestróvia é povoada por tribos de eslavos e por nômades calmos da Turquia. Como uma fronteira natural, o rio Dniestre marca uma separação desobstruída das terras romanas (Moldávia, ao oeste).

1450: A Pridnestróvia transforma-se em parte formal do Grão-Ducado da Lituânia no século primeiro. As fortes influências da Europa do Norte podem ainda ser vistas na cultura e na arquitetura da Pridnestróvia, em consequência da união polaco-lituana (República das Duas Nações) que a incluía. A fronteira com a Moldávia ficou delimitada pelo rio Dniestre.

1792: O império russo incorpora a área, permanecendo a fronteira com a Moldávia a partir do rio Dniestre.

1924: A Pridnestróvia é incorporada na República Socialista Soviética da Ucrânia.

1939: Assinatura do Pacto Molotov-Ribbentrop entre União Soviética e Alemanha.

1940: Stálin invade a Romênia e anexa partes de seu território. É criada a República Socialista Soviética da Moldávia com territórios conquistados à Romênia e à Pridnestróvia, então parte da República Socialista Soviética da Ucrânia.

1990: Em 2 de setembro, a Pridnestróvia proclama sua independência em relação à Moldávia. Tropas soviéticas entram na região.

1991: A República da Moldávia declara sua independência em relação à URSS[3] . Guerra civil na Pridnestróvia.

1992: Cessar-fogo.

2006: Referendo sobre a independência da região, que dá apoio esmagador ao corte com a Moldávia e à eventual integração na Federação Russa.

Política[editar | editar código-fonte]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Regiões administrativas:
Os nomes em russo entre parênteses.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Subdivisões da Moldávia Bandeira da Moldávia

Condados ou Distritos:

Anenii Noi | Basarabeasca | Briceni | Cahul | Cantemir | Călăraşi | Căuşeni | Cimişlia | Criuleni | Donduşeni | Drochia | Dubăsari | Edineţ | Făleşti | Floreşti | Glodeni | Hînceşti | Ialoveni | Leova | Nisporeni | Ocniţa | Orhei | Rezina | Rîşcani | Sîngerei | Soroca | Străşeni | Şoldăneşti | Ştefan Vodă | Taraclia | Teleneşti | Ungheni |

Municípios: Chişinău | Bălţi | TighinaRegiões autônomas: Gagaúzia e Transnístria

Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.