Transtorno de personalidade esquiva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde outubro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Transtorno de personalidade esquiva
Classificação e recursos externos
CID-10 F60.6
CID-9 301.82
Star of life caution.svg Aviso médico

O Transtorno de Personalidade Esquiva é um transtorno de personalidade caracterizado por um padrão predominante de inibição social (timidez), sentimentos de incapacidade, sensitividade extrema a críticas ou repreensões, e uma tendência à solidão ou isolamento. Pessoas que apresentam o transtorno de personalidade esquiva vêem a si mesmas como socialmente ineptas e não atraentes e evitam contato social por medo de serem ridicularizadas, humilhadas ou desprezadas. Os pacientes, tipicamente, mostram-se solitários e relatam o sentimento de distanciamento da sociedade.

Etiologia e Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

O diagnóstico ou mais precisamente, a identificação do sistema sintomático, é baseado nas experiências reportadas pelo sujeito, como também marcadores do transtorno observados por um psicoterapeuta, seja ele um psicólogo clínico, psiquiatra ou outro profissional qualificado. O perfil pode ser apoiado por padrões de comportamento em longo prazo observados pelos membros da família, amigos e colegas de trabalho. No entanto, não podemos cair no erro paradigmático de confundir os sintomas com o sujeito: a pessoa que sofre. A pessoa é um todo e nunca poderá ser reduzida a sintomas.

A lista de critérios, que precisam ser alcançados para o diagnóstico, está descrita em linhas gerais no DSM-IV. Mas a restrição a estes termos não é recomendada. Cada caso é um caso, a maneira específica como a esquiva se manifesta depende de cada pessoa,a assim, uma investigação psicoterapêutica acurada é necessária levando a particularidade, a singularidade do sujeito.

Critérios do DSM-IV[editar | editar código-fonte]

A última versão do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM) - o guia americano amplamente usado por médicos à procura de um diagnóstico de doenças mentais – define o transtorno de personalidade esquiva como: “um padrão invasivo de inibição social, sentimentos de inadequação, e hipersensitividade a críticas, que começa no início da idade adulta e está presente em uma variedade de contextos”. Um diagnóstico desse transtorno requer quatro dos sete critérios listados no DSM:

Os critérios são:

  1. Evitação de contatos sociais que envolvam um significante contato interpessoal, por medo de críticas, desaprovações ou rejeições.
  2. Só se envolve com pessoas quando tem certeza de que gostarão dele.
  3. Apresenta certo bloqueio nas relações íntimas por medo de ser envergonhado ou humilhado.
  4. É extremamente preocupado com críticas ou em ser rejeitado em situações sociais.
  5. É inibido em novas situações interpessoais por sentimentos de inadequação.
  6. Vê a si mesmo como socialmente inepto, sem características atraentes.
  7. É usualmente relutante em tomar riscos ou em engajar-se em novas atividades porque elas podem se tornar embaraçosas.

Nomenclatura e transtornos semelhantes[editar | editar código-fonte]

No caso de timidez patológica os diagnósticos usados na psiquiatria contemporânea podem ser, entre outros, transtornos de ansiedade social.

O transtorno de personalidade esquiva é comumente confundido com a fobia social, no entanto, as pessoas afetadas por fobia social experimentam uma enorme ansiedade e apreensão ao confrontarem situações socialmente temidas e fazem de tudo para evitá-las. Nesta patologia, o consciente e o bom senso não são suficientes para superar o excesso de timidez, sendo este de caráter orgânico/cognitivo e fora do alcance de uma decisão racional do paciente. O transtorno de personalidade esquiva é comumente confundido também com transtorno de personalidade anti-social, no entanto, clinicamente, o termo anti-social significa atitudes agressivas e contrárias à sociedade (sociopatia), não inibições sociais. Ainda, o transtorno de personalidade esquiva não deve ser confundido com o transtorno de personalidade esquizoide. Enquanto os esquizoides apresentam falta de interesse nas relações sociais, os esquivos têm muito interesse, mas sua falta de confiança age como um bloqueio em tais relações. Outra diferença é que os esquizoides são imunes às críticas e a elogios, e esquivos são muito sensíveis às mesmas.

Referências