Transtorno de personalidade masoquista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Transtorno de personalidade masoquista
Classificação e recursos externos
Star of life caution.svg Aviso médico

Transtorno de personalidade masoquista foi uma proposta de diagnóstico de transtorno de personalidade discutido em um apêndice da terceira edição revista do Manual (DSM-III-R) em 1987, mas que nunca foi formalmente admitido no Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM). Como alternativa, o diagnóstico de Transtorno não especificado da personalidade pode ser usado. Alguns pesquisadores e teóricos continuam a usar seus critérios. O transtorno possui um número de código oficial, 301.90.[1]


As versões mais recentes do DSM (DSM-IV, DSM-IV-TR e DSM-5) não mais incluí esse transtorno, juntamente com o Transtorno de personalidade sádica.[2]

Critérios do DSM-III-R[editar | editar código-fonte]

Os critérios estabelecidos são:

A) Um padrão invasivo de comportamento autodestrutivo, a partir da idade adulta e presente em uma variedade de contextos. A pessoa pode muitas vezes evitar ou minar experiências prazerosas, ser atraído por situações ou relacionamentos em que vai sofrer e evitar que outras pessoas o ajude, como indicado por pelo menos cinco dos seguintes:[2] :145
  1. Escolhe pessoas e situações que levam ao desapontamento, fracasso, ou maus-tratos, mesmo quando melhores opções estão claramente disponível
  2. Rejeita ou torna ineficazes as tentativas de outras pessoas para ajudá-la
  3. Eventos pessoais positivos (por exemplo, a nova realização) é seguido por depressão, culpa, ou um comportamento que produz dor (por exemplo, um acidente)
  4. Incita respostas irritadas ou rejeição dos outros e, em seguida, sente-se ferido, derrotado, ou humilhado (por exemplo, gosta de ser o divertimento do cônjuge em público, provocando uma réplica com raiva, em seguida, sente-se devastado)
  5. Rejeita oportunidades para o prazer, ou não está disposto a reconhecer e desfrutar a si mesmo (apesar de ter habilidades sociais adequados e a capacidade para o prazer)
  6. Não consegue realizar tarefas cruciais para seus objetivos pessoais, apesar de demonstrar capacidade para o fazer, por exemplo, ajuda a colegas em algo, mas é incapaz de fazer o mesmo para si
  7. É desinteressado ou rejeita as pessoas que sempre o trata bem, por exemplo, não tem atração por parceiros sexuais afetuosos
  8. Se envolve em excesso de auto-sacrifício não solicitadas pelos destinatários do sacrifício
B) Os comportamentos em A não ocorrem exclusivamente em resposta a, ou em antecipação, de ser física, sexual ou psicologicamente abusado.
C) Os comportamentos em A não ocorrem somente quando a pessoa está deprimida.

Referências

  1. Tavris, Carol. The mismeasure of woman. New York: Simon & Schuster, 1993. p. 181. ISBN 0-671-79749-2
  2. a b Daniel L. Segal; Frederick L. Coolidge; Erlene Rosowsky (2006). Personality Disorders and Older Adults: Diagnosis, Assessment, and Treatment. John Wiley & Sons. pp. 137 –1 38. ISBN 978-0-470-03768-3.